Crianças índias são enterradas vivas, mas ANTOpólogus defendem a não-intervenção

canibalismo

O programa Fantástico do dia 07/12/2014 (veja aqui) rompeu o silêncio sobre o assassinato crianças indígenas indesejadas. Finalmente o grande público está ciente de que o governo federal – não só o governo atual, mas todos os demais governos anteriores – faz vista grossa para o sofrimento desses inocentes enterrados vivos ou envenenados pelo simples fato de serem órfãos, gêmeos, deficientes ou filhos de mãe solteira.

E o sofrimento não é só das crianças, mas também de muitos índios adultos, que percebem essa matança como algo mau. A maioria se vê sem opções e se omite, ou cede às pressões da tribo; alguns, no entanto, têm a coragem de se opor a essa sentença de morte, e saem da tribo com a criança. O exílio é o preço a ser pago por serem fiéis à sua consciência.

O vídeo abaixo expressa perfeitamente o apelo de muitos indígenas brasileiros, que não querem a morte dessas crianças e denunciam que a perpetuação da prática do infanticídio se deve, em parte, à atuação ideológica de certos antropólogos – ou melhor seria dizer, ANTOpólogus.

Mas porque os índios fazem isso? Por que isso é parte essencial de sua cultura? Não! Eles fazem isso pelos mesmos motivos que inúmeras mães em todo o mundo “civilizado” também o fazem: medo de serem marginalizados pelo grupo e descrença da possibilidade de criar aquela criança em seu atual estado de vida.

Especialmente nas grandes cidades, o abandono de recém-nascidos nas ruas, valões, rios e latões de lixo ocorre com razoável frequência. A maioria morre de frio, fome, ou atacado por ratos e formigas. As mães, quase sempre, são extremamente pobres ou são mães solteiras.

atini

Algumas das crianças e jovens atendidas pelo ATINI.

Que diferença há entre a realidade dessas mães que abandonam seus filhos à morte nas grandes cidades e as índias que o fazem no meio do mato? Nenhuma! Então, esse papo de que o infanticídio de crianças não desejadas é um aspecto intocável da “cultura indígena” é uma imbecilidade. Se assim fosse, teríamos que dizer que esse tipo de coisa também não deve ser contestada em nosso meio, afinal, vez ou outra vemos nos jornais a notícia de algum recém-nascido abandonado no lixo.

Pensando bem… Há sim uma diferença: para as mães desesperadas que vivem em países de raiz cristã, há sempre a possibilidade de entregar a criança a algum orfanato, em vez de deixá-la ao relento.

Nos países cristãos sempre existiram – e sempre existirão – pessoas como São Vicente de Paula, que recolhia esses pobres bebês nas ruas de Paris; também Madre Teresa fazia o mesmo em Calcutá, enquanto Irmã Dulce o fazia em Salvador. E hoje, nas ruas do Rio de Janeiro, Elba Ramalho e tantos outros guerreiros anônimos do movimento pró-vida dão palavras de esperança a apoio material a mães que pensavam em abortar seus filhos, que passam então a criá-los com alegria.

Amor, recursos materiais, educação e dignidade: é isso que muitos índios pedem, especialmente as mães aflitas, que não querem matar seus filhos. Infelizmente, no meio do mato é impossível haver acessibilidade para deficientes, hospitais, orfanatos… Porém, é possível dialogar com esses povos e oferecer a eles a oportunidade de dizer não ao infanticídio. Eis algumas saídas:

  • os índios podem entregar as crianças indesejadas para os cuidados de uma instituição, com eventual encaminhamento para adoção;
  • os pais podem sair da tribo com a criança, se assim desejarem, e ser acolhidos com dignidade em um local onde poderão criar seu filho em paz, com os devidos recursos.
pequeno_indio

Pequeno índio recebendo tratamento dentário no Atini.

É isso que faz o Movimento ATINI – Voz Pela Vida, que intervém, salva e cuida de crianças indígenas condenadas. Uma das fundadoras é a Dra. Damares Alves, pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular, advogada e assessora parlamentar. Que os membros da ATINI prossigam seu trabalho, com as bênçãos de Tupã!

Enquanto isso, certos intelêkituaiz ANTOpólogus dizem que ninguém deve interferir na “cultura” indígena. Talvez falte a essa gente um pouco de coragem para se imaginar na pele de uma criança comendo terra dentro de um buraco, ou de uma mãe ou pai que se vê obrigado a matar seu próprio filho.

Para os corações de pedra, faria bem conhecer a história de Amalé (vídeo abaixo), menino ninja que, mesmo depois de sido enterrado vivo e pisoteado, sobreviveu pra exibir suas bochechas fofas na cara da sociedade.

Desde que o mundo é mundo os povos fazem intercâmbio, e assim há mudanças na cultura, na tecnologia, nos costumes… Por que com os índios tem que ser diferente, senhores ANTOpólogus? Que direito um grupelho de “estudiosos” têm de decretar que um determinado povo deve ser encarcerado em uma bolha, sendo assim impedido de receber influências de outra cultura – e também, é claro, de comunicar de modo mais amplo a sua própria cultura?

Notem: graças à intervenção cristã no meio indígena, houve o abandono quase que total do canibalismo entre as tribos brasileiras. Essa mudança de costumes, convenhamos, foi indispensável para viabilizar o trabalho dos ANTOpólogus nas tribos; do contrário, eles iriam para o espeto!

59 comments to Crianças índias são enterradas vivas, mas ANTOpólogus defendem a não-intervenção

  • Padre Orlando Henriques

    Esse tipo de ANTA-pólogos são tão intragáveis que acho que nem mesmo bem grelhados os índios canibais os quereriam… Eh! Eh! Eh!

    • Boa observação, Padre Orlando! Devem ter um gosto de carne de burro! rsrs

      • Carlos

        Desculpe mudar de assunto (e pensando bem é o mesmo assunto!) mas o recado do link abaixo precisa ser divulgado com urgência entre todos os blogs e sites católicos e entre todas as pessoas (crentes, agnósticas ou ateias) que amam a justiça e tem sensibilidade diante de vidas inocentes ameaçadas :

        http://www.citizengo.org/pt-pt/14700-perigo-aborto-volta-no-codigo-penal?m=5&tcid=8901983

        Assinar essa petição e lutar por outros meios possíveis é uma autêntica expressão concreta (senão a maior) da Opção Preferencial pelos Pobres, pois trata-se de defender os mais pobres entre os pobres, as crianças já geradas a quem se quer negar, não apenas COMIDA, TETO, TERRA, mas a própria vida que se quer interromper fria e cruelmente, sem que as pobrezinhas sequer possam correr, já que estão presas entre as paredes de um útero fechado. E ainda existe quem seja cínico e frio o bastante para chamar esse outro pequeno ser de “meu corpo”, e chamar a eliminação mortal desse outro ser, de “DIREITO SOBRE O MEU CORPO”, mesmo que esteja óbvio e visível que se trata de outro corpo e outro ser totalmente diverso. Não entendo como uma óbvia mentira é berrada aos quatro ventos, como sendo verdade…ETA MUNDO BURRO E HIPÓCRITA!

        • Carlos

          E isso tá longe de ser um problema pessoal ou de crença moral e religiosa pessoal, diante do qual não pode haver INTROMISSÃO alheia. Isso são meros slogans gritados pela rua afora para intimidar a luta pela JUSTIÇA E SENSIBILIDADE HUMANA de quem se preocupa com o bem comum de todos, a começar pelos mais fracos e indefesos. Assassinar crianças já geradas, já vivas (estejam no ventre ou fora dele) é gravíssimo PROBLEMA SOCIAL, DE ÉTICA PÚBLICA e não há ideologia capaz de distorcer esse dado do real, que está bem debaixo do nariz de quem não se deixou anestesiar pelo CINISMO ideológico que insiste em negar a evidencia dos fatos (e por isso inventa números, estatísticas e paga militâncias) com intenção de impor sobre os países mais pobres, politicas que favoreçam do domínio do meta-capitalismo no mundo! ETA MUNDO EGOÍSTA, CRUEL e MANIPULADOR. E pensar que falando cinicamente em nome dos “pobres” haja gente que se diz cristã (BOFF, BETTO, GEBARA) sendo cúmplices subservientes do que há de mais podre no alto capitalismo!!!! HIPOCRISIA POUCA É BOBAGEM!

  • RobertoBt

    Cultura não é desculpa para a perpetuação de certos costumes que, seja lá por que motivos começaram a existir, ainda existam.
    Fosse assim, eu, que sou descendente de europeus do norte da Itália e sul da Alemanha, me daria o direito de sair por aí quebrando tudo. Afinal, sou descendente de bárbaros!

  • André Luiz

    Há alguns anos eu fiquei chocado ao saber da existência comum de infanticídio entre as tribos indígenas. Razão disso, há muitos poucos índios deficientes. Também não concordo com muitas ideias dos antropólogos. Os índios têm direito de serem evangelizados.

  • Renato Pinheiro

    O problema dos antropólogos é o esquerdismo anticatólico. Para eles é importantíssimo pintar a cultura indígena pré-colonial como preciosa, e a cultura trazida pelos jesuítas (evangelho) como um assassinato da preciosa cultura original. Não importa se o evangelho é melhor. Para eles, toda cultura tem igual valor, e uma cultura que “engole” e “transforma” as outras é que é assassina. Essa maldita lógica é toda diabolicamente montada para frear a propagação do evangelho e tratá-la como algo bom e positivo às culturas. Inculturação do evangelho é o pesadelo dos antropólogos esquerdopatas.

    • E o pior é que muitos nos membros do nosso clero, e também os leigos, compraram essa ideologia da não-intervenção. Assim, é comum ver católicos que dizem fazer missão nas tribos, mas jamais buscam pregar o Evangelho, como se isso fosse um desrespeito à cultura indígena.

      • Arlindo

        Verdade,mas a Igreja Catolica sempre teve e sempre terá esses catolicos e um clero fraco.Tudo de mal que está na sociedade está na Igreja também .É uma pena ,pois haverá menos dureza para os hereticos,cismaticos e pagãos no juizo final que para esses catolicos.Como sempre falo,o clero catolico em sua maioria é pessimo,mas são essas exceções que constroem o catolicismo.A catolicidade sempre foi construida por uma minoria consciente e por outra minoria menor ainda de santos.

      • carlos

        Desrespeito às culturas autóctones é o que vem fazendo a ONU apoiada por organizações internacionais e governos alinhados com sua agenda:

        Como já denunciou o Papa Francisco (e também o último sínodo dos bispos) a ONU e organismos financiadores estão chantageando cruel e cinicamente os países africanos e latino-americanos impondo agendas agressivas às culturas locais (abortismo, gayzismo ideológico, ideologia de gênero e outras falsificações dos Direitos Humanos) em troca de empréstimos e ajudas financeiras que são negadas se os países pobres não se curvarem passivamente. Chantageia-se com a fome dos pobres!!! Cade esses antropólogos de meia tigela para protestar contra tamanho descalabro???

        Por isso seria muito ingênuo acreditar que que eles estejam de fato preocupados com os índios e sua cultura. Tudo não passa de oportunismo e conveniência. Se algo é injusto mas favorece certa agenda ideológica, bico calado. Se algo é correto, mas desfavorece essa agenda, boca no trombone. Processos de manipulação muito bem bolados e é claro, muitas militâncias envolvidas nessas barbaridades, sequer sabem onde a coisa começa e por ode passa, e sequer sabem que são peças de um grande jogo, já planejado há décadas por grandes grupos de poder econômico e politico. Por isso urge, resgatar a inteligência nacional, difundir a boa filosofia, o pensar rigoroso e crítico, traduzir os grandes autores que estão banidos do mundo editorial brasileiro. Mas algo começa a ocorrer no Brasil, aos poucos as coisas estão mudando…Não importo que rotulem isso de “conservadorismo” e “nova direita” (como se fossem xingamentos), depende do que se quer conservar e à direita do que se está. Eu prefiro dizer que é um ressurgir do humano em toda a sua dignidade e verdade, para além de quaisquer “ismos”, do humano que não se deixa manipular e se pergunta pela origem e pelo porque de todas as coisas, que desvenda os jogos do poder. Não digo que venceremos tanto mal que nos assola, mas mesmo sofrendo e perdendo, faze-lo com a dignidade de uma consciencia livre faz toda a diferença!

        • Eduardo Araújo

          Excelente comentário, Carlos, e ótima observação acerca da conduta hipócrita desses “intelectuais”, que se servem de minorias (índios, negros, gays…) apenas enquanto úteis à sua agenda política e ao seu proselitismo ideológico.

          De fato, quando não se pode extrair dividendos políticos, as militâncias se calam cinicamente, como o fazem por ocasião da onda muçulmana que já se possa da Europa e chega, ainda timidamente, ao nosso país. Já tivemos, também, visita do primeiro-ministro iraniano. Temos, ainda, um deputado emerso da porcaria de um “reality show” que defende o ensino do islamismo nas escolas. Aí, para esses sacripantas, vale esquecer o que os países muçulmanos fazem com mulheres e homossexuais…

  • Ronaldo Ribeiro

    otimo post, tenho nojo do politicamente correto

  • William G.

    Olá, pessoal.
    Como sempre, eu vindo com assuntos que não têm nada a ver… (rsrs) Enfim…

    Gente, eu estou chocado com este documentário: https://www.youtube.com/watch?v=tkfi-7ETdNY

    Em estado de choque mesmo!
    Alguém me ajuda? Eu achei as coisas desse documentário muito fortes…

    • Nossa… tem 2 horas! Tô sem tempo pra ver, desculpe. Se quiser, pode enviar um resumo para nós com suas dúvidas.

      • William G.

        Vivi, não dá pra fazer resumo. O documentário só tem coisa chocante e apavorante do início ao fim. O mais assustador é que o narrador vai apresentando coisas que parecem comprovar tudo o que ele diz.
        Por isso eu estou aflito até agora…

      • William G.

        Pessoal d’O Catequista, por favor, assistam, o que estão falando nesse documentário são acusações muito sérias.

        Sou católico praticante, já fui coroinha, e fiquei desconcertado com esse documentário.

      • William G.

        A Catequista, Gêneto Eugenio postou uma síntese bem resumida do que se trata o documentário. Eis as palavras dele:

        “Acabei de assistir…Realmente foi muito bem montado e dando “provas” aos argumentos expostos…

        A parte das cartas com comparação de letras foi algo que me atormentou.
        O tipo do sorriso, o caso do engano na fumaça, os jornais da época com aquelas notas, a vestimenta papal com vários acréscimos duvidosos, localização da Sé, o porquê de relutar a atender a um pedido explícito de Nossa Senhora…

        Particularmente tomarei a atitude de rezar mais pedindo a Deus misericórdia e sabedoria para ver a verdade.”

    • Ronaldo Ribeiro

      nem vi, mas vou ver e aposto 10 x 1 que é só falácias e subjetividades…

      • William G.

        Ronaldo Ribeiro, depois comenta… Estou estremecido com esse documentário, e eu não quero ficar tíbio na minha fé.

        • Gêneto Eugenio

          William G.

          Acabei de assistir…Realmente foi muito bem montado e dando “provas” aos argumentos expostos…

          A parte das cartas com comparação de letras foi algo que me atormentou.
          O tipo do sorriso, o caso do engano na fumaça, os jornais da época com aquelas notas, a vestimenta papal com vários acréscimos duvidosos, localização da Sé, o porquê de relutar a atender a um pedido explícito de Nossa Senhora…

          Particularmente tomarei a atitude de rezar mais pedindo a Deus misericórdia e sabedoria para ver a verdade.

          Alma de Cristo, santificai-me.
          Corpo de Cristo, salvai-me.
          Sangue de Cristo, inebriai-me.
          Água do lado de Cristo, lavai-me.
          Paixão de Cristo, confortai-me.
          Ó bom Jesus, ouvi-me.
          Dentro de vossas chagas, escondei-me.
          Não permitais que eu me afaste de vós.
          Do espírito maligno, defendei-me.
          Na hora da minha morte, chamai-me e mandai-me ir para vós
          para que, com os vossos santos, vos louve por todos os séculos dos séculos.
          Amém.

    • Padre Orlando Henriques

      Caríssimos

      Realmente, é para ficar chocado, sim, mas é com a grandessíssima lata desses sedevacantistas, e não com os argumentos parvos que eles apresentam e as muitas afirmações gratuitas que arrotam sem verdadeiro fundamento.

      O argumento mais reles dos que dizem que houve uma “Irª Lúcia impostora”, na minha opinião, é o dos dentes: antes de se porem a dizer asneiras, não seria melhor averiguar se a Ir.ª Lúcia não teria começado, entretanto, a usar placa? Ah, pois! Eles são muito espertos na hora de justificar porque é que os familiares da Ir.ª Lúcia não reconheceram a alegada impostora (embrulhando suposições extravagantes sobre grades e cortinados) mas nem uma palavra dizem acerca da hipótese de a Ir.ª Lúcia poder ter passado a usar prótese dentária.

      Não sei se a Ir.ª Lúcia perdeu ou não os dentes originais ou se usava placa, mas não é uma hipótese descabida (bem mais excêntrica é a hipótese de uma suposta impostora!) e essa perda de dentes pode, também explicar a deformação do sorriso e do queixo, de que eles falam. Sim, a falta dos dentes altera (e muito!) a fisionomia, nomeadamente em volta da boca. Claro que isto é uma hipótese levantada por mim, que nada percebo de anatomia; alguém conhecedor da matéria (um dentista, um ortopedista, sei lá…) poderá dizer, mas… os sedevacantistas? O que me parece é que eles têm uma imaginação muito fértil, isso sim.

      ENTÃO E AS MUDANÇAS DE CALIGRAFIA?
      Pois eu apresento-vos o caso de uma outra carmelita que também mudou radicalmente de caligrafia, e, PRECISAMENTE, por causa de ter entrado para o Carmelo! É a Beata ISABEL DA TRINDADE (1880-1906).

      Nas “Obras completas” de Isabel da Trindade (Edições Carmelo, 2008), na Introdução geral, páginas 74 a 77, fala-se das mudanças radicais que sofreu a caligrafia de Isabel da Trindade ao longo da sua curta vida. O livro apresenta alguns “fac-similes” de manuscritos seus em várias fases da vida que ilustram bem o quão radicais foram essas mudanças, principalmente depois de entrar para o Carmelo. Diz o referido livro, na página 74 que [“abre aspas”, diria o narrador desse “documentário” pateta] «Aos dezassete anos, a sua escrita evolui para o que se designará «letra de artista», grande, pontiaguda, com retorcidos» [e fecha aspas, que é uma coisa que esse “documentário” super “científico” se esquece de dizer…]; e, na página 76, diz que «Ao chegar ao Carmelo, a querida postulante tinha uma letra à moda dos artistas, mas não religiosa. Até a Prioresa lhe quis fazer mudar. Uma Irmã, que tinha uma letra muito clássica, redonda e regular, deu-lhe algumas lições». E mais! Na mesma página 76 ainda diz que «Contudo, esta grafia sofrerá, também ela, lenta e inconscientemente, uma profunda modificação, sobretudo no sentido de uma simplificação, em particular pela restrição de volutas sobre as maiúsculas!»

      Portanto, como vêem, é bem possível alguém mudar de caligrafia, sobretudo se isso for imposto à pessoa. Será que a Ir.ª Lúcia, à semelhança da B.ª Isabel da Trindade, também terá sido incitada a educar a caligrafia de forma diferente quando entrou para o Carmelo? Não sei, só sei que a imaginação dos sedevacantistas não tem limites!

      Talvez a Ir.ª Lúcia nunca tenha sido incentivada nem obrigada a trabalhar a caligrafia, mas este exemplo da B.ª Isabel da Trindade demonstra que essa é uma possibilidade a não desprezar, para além de ser um claríssimo exemplo sobre até que ponto é possível alguém mudar radicalmente a forma como escreve.

      Aliás, mesmo que não tenha havido nenhuma educação para alterar a caligrafia, a verdade é que nós mudamos, naturalmente, de caligrafia não só com o passar da idade mas também por diversas vicissitudes da nossa vida, a começar pela fadiga. Se andarmos numa fase da vida de mais stress, ou de maior cansaço, por exemplo, isso nota-se na nossa letra. A nossa letra evolui, sim, e eu posso sempre gostar de escrever hoje de uma maneira e preferir, mais voluta ou menos voluta, escrever de outra forma amanhã.

      De facto, a nossa caligrafia revela os traços da nossa personalidade, mas isso nota-se mais por outros pormenores, como: o tipo de inclinação, o facto de a perna do “q” ou dos “p” serem mais curtas ou mais compridas, a haste do “d” ou do “b” ser mais curta ou mais comprida, se a parte redonda e central das letras é mais graúda ou mais miúda, se o traço do “t” está mais acima ou mais abaixo… Isso são pormenores que definem a nossa personalidade (e, por vezes, também o nosso estado de espírito) e que nós mantemos, inconscientemente, mesmo quando tentamos escrever num “tipo de letra” diferente (para usar uma comparação informática). Com mais ou menos “volutas”, dando a volta do “g” de forma redonda ou de forma angulosa, as nossas características pessoas continuam presentes na caligrafia de cada um de nós.
      Algum estudioso da caligrafia é que poderá dizer isto melhor do que eu. De facto, seria mesmo interessante que um especialista em caligrafia (isso sim, e não um “chico esperto” sedevacantista) fizesse um estudo comparativo para comprovar se é ou não a mesma pessoa a escrever os diferentes textos, apesar dos diferentes “tipos de letra”.

      • William G.

        Ai, padre, muito obrigado pela atenção! Eu já não sabia mais quem procurar, porque o pessoal d’O Catequista não me retornou mais.

        Eu fiquei atormentado com o conteúdo desse video em relação, também, a questão que ele relata sobre os “anti-papas”, o ecumenismo desregrado como deixa a entender, sobre São João XXIII ser maçom, e a comparação que eles fazem do gesto da mão do Papa Francisco com os comunistas e maçônicos, e muitas outras coisas.

        Procurando e procurando pela internet todo desconcertado por causa do pavor que isso me gerou, eu acabei vendo que o Pe. Paul Leonard Kramer é um dos maiores do Sedevacantismo.

        Também achei um documento no site http://fatima.org/ que fala que a teoria do Sedevacantismo é falsa: http://www.fatima.org/port/crusader/cr80/cr80pg03.pdf

        Mesmo assim, esses assuntos – principalmente aqueles em que o autor do documentário demonstra toda a sua investigação em relação às publicações dos jornais da época e dos livros do Papa Emérito Bento XVI e até a questão em que é afirmado que São João Paulo II era herege porque colocou no Catecismo que a Antiga Aliança nunca foi revogada (Catecismo nº 121), tentando constatar os seus argumentos sobre os “anti-papas” – fizeram com que eu titubeasse de aflição.

        Mesmo tendo lido esse documento acima de que a teoria dos sedevacantistas é falsa, eu não consigo me esquecer desse video pavoroso. Me marcou muito, agora preciso purificar meus pensamentos pedindo a graça de Deus.

      • William G.

        Também achei esta carta de resposta de Pe. Chazal ao pronunciamento do Pe. Kramer, bradando pela Sé Vacante:
        http://farfalline.blogspot.com.br/2013/12/carta-de-pe-chazal-ao-pe-kramer.html

        Esclareceu-me bastante coisa como aquela sobre o suposto pontificado do Cardeal Siri.

        • William G.

          Corrigindo: nem me esclareceu tanta coisa assim, porque o Pe. Chazal, no início, começa falando de forma como se fosse refutar o Pe.Kramer, mas da metade do corpo da carta pro final, ele “defende” o Sedevacantismo, falando mal dos papas Bento XVI e Francisco.

          Que coisa perturbante! Não consigo acreditar que está acontecendo esse tipo de coisa dentro da Igreja Católica, padre! É muito triste, eles ficam falando da grande apostasia, isso está me assustando!

          • Padre Orlando Henriques

            Veja esta passagem de Filipenses 3, em que a linguagem de S. Paulo torna-se dura, ao referir-se aos judaizantes, que defendiam a justificação pela Lei mosaica, tornando, assim, inútil a obra de Cristo. Pois, os judaizantes de hoje são esses sedevacantistas:
            18É que muitos – de quem várias vezes vos falei e agora até falo a chorar – são, no seu procedimento, INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO: 19o seu fim é a perdição, o seu Deus é o ventre, e gloriam-se da sua vergonha – esses que ESTÃO PRESOS ÀS COISAS DA TERRA. 20*É que, para nós, a cidade a que pertencemos está nos céus, de onde certamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.

        • Padre Orlando Henriques

          Pois a mim também me parece que essa tal carta dá “uma no cravo outra na ferradura”. Mas já nos vamos habituando a isso da parte dos sedevacantistas.

          Os sedevacantistas são assim: em vez de aceitarem a explicação mais simples, lógica e, até, evidente que as coisas têm, preferem inventar uma teoria da conspiração completamente estapafúrdia.

          Pela sua saúde (isto é, pela sua salvação) não se deixe envenenar por tal farsa. Não faz sentido nenhum! O que eles fazem é promover uma heresia, um cisma! É um pecado gravíssimo pelo qual terão que responder. Eles são como a cauda do dragão do Apocalipse que arrasta um terço das estrelas do céu precipitando-as na terra, isto é, influenciando algumas almas puras e fiéis, tirando-os do caminho da salvação através da ilusão de uma aparência de fé a sério, aparência de fidelidade à Tradição. E muitas almas que querem viver a fé a sério, neste mundo relativista, encontram neles uma firmeza (afinal, falaciosa) que os seduz, pois eles apresentam-se como sendo “os autênticos”. É neles, na sua arrogância diabólica, que se cumpre o ditado “ser mais papista do que o Papa” (como se isso fosse possível).

          Repare: O QUE ELES FAZEM É CONFIAR NA CARNE!
          Apenas confiar na carne, isto é, nas coisas humanas (gostos pessoais, ideias intelectuais (muitas vezes sem grande fundamento), preconceitos…) e não no Espírito Santo.

          Como a Igreja actual não lhes agrada, trataram de arranjar uma Igreja à sua maneira, como eles acham que devia ser. Mas a Igreja não é como eu acho que ela deve ser: ELES ATENTAM GRAVEMENTE CONTRA A PALAVRA DE DEUS QUE DIZ «TU ÉS PEDRO E SOBRE ESTA PEDRA EDICAREI A MINHA IGREJA», e ainda «as portas do inferno NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA».

          A ousadia deles é tão grande que fazem de Cristo um mentiroso: eles afirmam que os Papas desde João XXIII, inclusive, são herejes e agente da maçonaria e do diabo e tudo do pior, e assim CONTRADIZEM CRISTO QUE PROMETEU QUE AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERIAM CONTRA ELA.

          Qual é a diferença entre eles e os protestantes? Não há assim tanta diferença: ambos querem construir uma Igreja à sua maneira. Os protestantes defendem a “sola scriptura”? Pois eles defendem uma espécie de “SOLA TRADITIO” desenxabida. Por acaso, tem graça que, em latim, “traditio” significa “tradição” mas também pode significar “traição”, que é o que eles fazem em relação à verdadeira tradição.

          (“taditio” vem de “tradere”, que significa “entregar”, seja a ENTREGA que as gerações mais velhas fazem às mais novas de uma tradição, seja ENTREGAR alguém para ser preso, traindo, portanto: “Hoc est enim Corpus Meus, quod pro vobis TRADETUR” = “Isto é na verdade o meu Corpo que SERÁ ENTREGUE por causa de vós”).

          O que é que eles querem? Igreja sem Pedro que Igreja é? Se não estão contentes mais valiam virarem-se para os ortodoxos. MAS CISMA CONTINUA A SER PECADO.
          Cristo «obedeceu até à morte e morte de cruz», mas esses cismáticos incitam à desobediência e à rebeldia: ELES PRÓPRIOS SÓ QUEREM É FAZER A SUA VONTADE e não a de Deus.

          • William G.

            Padre Orlando, sua bênção. Muito obrigado pelo alerta.

            Esse documento aqui também me esclareceu bastante coisa: http://www.fatima.org/port/crusader/cr80/cr80pg03.pdf#sthash.YqErGGhe.dpuf

            A única ressalva do autor deste documento é que atesta que São João Paulo II e a Irmã Lúcia declararam, de fato, que a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu: o Papa juntamente com os bispos do mundo inteiro, ao mesmo tempo, consagrarem a Rússia ao Coração Imaculado de Nossa Senhora.

            Inclusive, queria até fazer um apelo para que todo mundo que leu esses posts lesse este documento que postei acima. Eu achei muito esclarecedor, nos faz lembrar que o Papa pode cometer erros, mas não em matéria de fé e moral, e também esclarece bastante a intenção egoísta dos sedevacantistas, que ao invés de se reunirem a todos nós rezando e pedindo ao Papa explicações mais claras, preferem difamar os papas com toda a sorte de absurdos bem montados.

      • Gêneto Eugenio

        A sua benção Padre Orlando Henriques.

        Obrigado por expor o que pensa sobre o vídeo e humildemente, de certa forma, também indaguei o mesmo pensamento do senhor, há de se investigar a fundo essa visão dos lefrebistas para que nossa Fé não fique tíbia.

        Como falei em meu comentário anterior foi muito bem montado esse vídeo e talvez não sei, ser por motivo da minha realidade em minha diocese que é impregnada pela TL e na qual por vários anos teve como Bispo um participante remanescente do Concílio Vaticano II e por aqui a Maçonaria vive a luz do dia com monumentos e mais monumentos, lojas e convites….Isto tudo me fazem AO MENOS FICAR ATENTO claro agora com suas palavras mais do que nunca com muita PRUDÊNCIA.

        • Padre Orlando Henriques

          Deus o abençoes, Eugénio.
          Sim, é de facto, uma tentação para quem vive num ambiente onde tudo à volta é relativista aderir a um movimento onde parece que, finalmente, as coisas são “como deve ser”. Mas, ao negarem coisas tão importantes na Igreja, estão a tornar-se, eles próprios, RELATIVISTAS TAMBÉM.
          E, talvez, de uma maneira pior, na medida em que, por vezes, A PIOR MENTIRA É UMA MEIA VERDADE, pois tem aparência de verdade total sem que seja, de facto, totalmente verdade.
          Todos sabemos bem que, entre os protestantes, as dissidências são habituais: todos os dias surge mais uma seita protestante. Porquê? RELATIVISMO!
          Pois com esses tradicionalistas radicais é a mesma coisa: por exemplo, a Sociedade de S. Pio V é uma dissidência da Fraternidade Sacerdotal S. Pio X. Talvez, um dia destes, alguém nessa Sociedade S. Pio V se chateie com os companheiros e funde uma Associação Pio 2,5 🙂

    • Padre Orlando Henriques

      MAS HÁ MAIS…
      Continuando a minha refutação a esse “documentário:

      Esse pseudo-documentário, para além de longo e cansativo, é pedante: a propósito de quê é que vem aquele paralelo entre a arca da aliança e Nossa Senhora, logo ao princípio? O que é que isso tem a ver com o resto? É só para se armarem em “teólogos” e dizerem que sabem umas coisas? Ou é para dar credibilidade às barbaridades que vão dizer a seguir? Se o que queriam era dizer mal da Igreja (e dos Papas e do Vaticano II e de nós todos, afinal) então fossem logo directos ao seu reles assunto…

      E, depois, há afirmações que não sei de onde vieram… A razão que o Vaticano apontou para não revelar o segredo é que o segredo seria incómodo para o Vaticano? Não parece fazer sentido, pelo menos dito assim.

      A concha é um símbolo satânico? Eles não devem estar bons da cabeça! Não será antes um símbolo do Baptismo! Pois, claro! Evidente! E que dizer das conchas de vieira de São Tiago de Compostela? Também são satânicas? Quando é tão simples (mas tão simples, meu Deus!) ver na concha um símbolo evidente do Baptismo, esses visionários vão buscar um texto do fundador dos “iluminati” (tão “iluminado” como eles), pegam num pormenor (uma comparação evolvendo conchas) e vão dar uma volta “ao bilhar grande” para relacionar um aspecto secundaríssimo do discurso desse “iluminato” com os paramentos dos Papas… Ridículo!

      Eles dizem que a cruz invertida é um sinal satânico? Pois, até pode ser em muitos casos, MAS, e se eu vos disser que é uma CRUZ DE SÃO PEDRO?
      Ah, pois, S. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo.
      Até a wikipédia sabe mais do que esse “do-comediante” do “documentário”! Ora confiram aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cruz_de_S%C3%A3o_Pedro

      Tal como a cruz de Santo André é um “X”, a cruz de São Pedro é uma cruz latina invertida, e isso é da tradição. E o que não tem jeito nenhum é “fundamentarem” essa crítica às cruzes invertidas de S. João Paulo II com passagens bíblicas que não têm nada a ver. E, já agora, (não tem muito a ver, mas não deixa de ser jocoso) que ideia foi essa de apresentar textos de uma Bíblia impressa no “século carqueja”, com ortografia antiga (com “Christo”, em vez de “Cristo”)? Há uns “tempitos” que já não se escreve assim, nem em Portugal nem no Brasil…

      E que ideia foi essa de apresentarem uma fotografia em que Bento XVI está, supostamente, a fazer “chifres” com as mãos? Só quem for muito burro é que não percebe que ele estava a agitar as mãos, saudando a multidão (quem não se lembra daquele seu tique?) com os dedos em movimento, e que a câmara do fotógrafo o apanhou naquela posição; não estava estático naquela posição mas a fotografia apanhou aquela fase do movimento dos dedos.
      Uma vez mais se comprova que esses sedevacantistas gostam muito de fazer de nós parvos.
      São uns sofistas cheios de soberba e arrogância, que baralham tudo e “tiram o texto do contexto para servir de pretexto”: ousam tirar frases de Bento XVI do contexto para dizer o que ele nunca disse; mete nojo ver esses calhaus brutos a desdenhar da perspicácia e subtileza de um teólogo do calibre de Ratzinger, calibre que eles nunca atingirão, nem que comam muita broa!

      A narração tem informações mal apresentadas, tratadas de forma preconceituosa, como, por exemplo, dizer que o Padre Fuentes foi substituído pelo Padre Kondor, e que este era originário de um país comunista…
      Dá vontade de perguntar: SIM, E DAÍ? Lá porque o país é comunista o que é que isso tem a ver com a idoneidade do Padre? Temos um “argumentum ad hominem”, é?

      A somar a tudo isto, eu, pessoalmente, sinto-me particularmente ofendido com as calúnias contra a minha Diocese de Coimbra. Eu, que sou de cá, nunca em tais coisas ouvi falar, mas sempre quero averiguar… talvez dê para rir!!! Vê-se logo que esses “do-comediantes” nunca estiveram em Coimbra, pois sempre que se fala da “Chancelaria de Coimbra” mostram uma igreja velha que não sei onde é, mas em Coimbra é que não é de certeza; e, para falar do Carmelo, mostram, a certa altura, uma gravura do mosteiro de Santa Cruz. Que grandes cromos!

      Falam de um documento da Diocese “escrito á máquina”? Para quê? Para dar feições de auteticidade? Essa é boa! Que documentos é que nessa época não eram escritos à máquina? (para mais, tendo em conta que a máquina de escrever sempre foi o “bicho de estimação” do Chanceler da nossa Cúria Diocesana até há bem pouco tempo, em plena era informática).

      Eles ousam acusar a minha Diocese de Coimbra de autoritarismo mas o autoritários (e cobardes) são eles, que nem sequer deixam fazer comentários lá no youtube, onde publicaram esse vídeo ordinário. Têm medo do diálogo, do debate de ideias: como as suas ideias não têm valor preferem calar os comentadores em vez de contra-argumentar.

      Para acabar bem, quero deixar-vos um link para o site “Católico hoje”: http://catolicohoje.com.sapo.pt/
      Este site disseca muito bem todos os grupos ultratradicionalistas, mas vejam, particularmente, a parte dos sedevacantistas: http://catolicohoje.com.sapo.pt/sedev.html

      Acreditem, esses, que se dizem os maiores defensores de Fátima, são o mais recente (e, talvez, pior) ataque à Mensagem de Fátima. Se a Ir.ª Lúcia (a única que sempre houve!) cá estivesse, o que teria para lhes dizer era que o melhor que faziam era pôr em prática a Mensagem em vez de se porem a inventar.

      • William G.

        Muito obrigado mesmo, Padre Orlando!!!!!
        Suas explicações me deram ar de vida na fé novamente, pois eu não fazia ideia de toda essa conspiração, por isso, ao assistir ao video, eu fiquei atormentado com tudo aquilo.
        Obrigado!

        • Padre Orlando Henriques

          Deus o abençoe, Wiliam.
          Acredite que fico mesmo feliz por si!
          Os sedevacantistas não são católicos, são uma seita nascida das ilusões da carne, da SOBERBA humana.
          Já viu como alguns grupos sedevacantistas não resisiram à tentação de eleger o seu próprio Papa? Uma colecção de “papas” que para aí estão (na Espanha, nos Estados Unidos da América…) e cada qual, com a sua seita, a dizer “eu é que sou o verdadeiro Papa”… Diga se isto não é senão soberba e vanglória. É ridúclo não é, pois é a esses extermos ridículos que nos leva essa praga do sedevacantismo.
          Fuja disso como quem foge do protestantismo, pois não é muito diferente.

          • carlos

            Desculpe meter o bedelho, mas eu assisti o documentário e não vi nada demais nele, pelo menos nada que afete a fé de um católico.

            A fé católica não se fundamenta nem um milímetro sequer em aparições de Nossa Senhora. Um católico não fica nem um milimetro menos católico se não crer que a mãe de Cristo apareceu em Fátima ou em qualquer parte. Isso é o que diz o ensinamento oficial da igreja, a doutrina ortodoxa da fé. Ora se nem a aparição em si é fundamental para a fé, imagine todos esses detalhes e discussões acerca deles (consagra-se ou não a Rússia, e isso e mais aquilo).

            Eu creio piamente que Maria se manifestou em Fátima (como em Lourdes, Guadalupe, na Ruanda etc.) e fico com a essência do que ela disse, repetindo o Evangelho do Senhor: “convertam-se, creiam no meu filho, façam penitência e oração, voltem-se para o meu filho de todo o coração, etc.” Isso me basta, não me preocupo minimamente com essas outras coisas, que às vezes são mesmo confusas. Nenhuma aparição substitui a doutrina da igreja, e essa doutrina divina me diz que devo obedecer o santo padre (a não ser que ele me mande pecar) como alguém que o Senhor Jesus deixou como guia cá na terra, junto com os bispos a ele fieis. Pronto, para mim é simples assim. Se eu fosse católico, no tempo do Papa Bórgia, independentemente de todas as suas podridões pessoais, ele seria para mim, o sucessor de Pedro e o vigário de Cristo, infiel aos chamados (do batismo, da confirmação, do presbiterato-episcopado e do pontificado) que o Senhor lhe fez, mas sempre papa para mim, ora essa! Se ele não corresponde aos chamados, problema dele (e até onde eu pudesse eu o alertaria) mas jamais diria : “minha fé está abalada porque você é infiel à missão que o Senhor lhe confiou!” Porque eu diria uma bobagem dessa? São Francisco talvez pensasse que o Papa Inocêncio não fosse lá muito católico,mas a sua absoluta fidelidade à autoridade papal (não por causa do papa em si, mero homem que o Senhor chama e usa conforme a abertura que demonstrar) mas por amor à unidade da igreja, dom do Espirito que o Senhor quer que cultivemos, mesmo as custas das nossas pretensões de possuir o melhor cristianismo.

            Nas épocas da história cristã em que as atitudes de certos papas pareciam prestes a fazer afundar a barca do Senhor, sempre houve cristãos que nunca se abalaram em sua fé (nela inclusa a fidelidade ao sucessor de Pedro). Objetivamente falando (do ponto de vista da divina instituição da igreja, do aspecto normativo e vinculativo) o papa é o responsável e a garantia da unidade da igreja. Mas concretamente, ás vezes um mero leigo , se fiel, garante muito mais a unidade da igreja do que um papa do seu tempo. Eu creio que Santa Catarina de Sena trabalhou bem mais pela unidade da igreja do seu tempo do que o papa. Mas “detalhe”: sem jamais tirar um mílimetro da sua missão e autoridade (dadas por Deus) como garantidor oficial da unidade cristã, ao contrário, sempre endossando (como Francisco) e reforçando essa autoridade e missão. As pessoas que deixam de crer ou de viver o mistério da unidade da igreja por causa das contradições, das supostas ou reais faltas de transparência dos papas, mesmo que se intitulem de tradicionais, são iguaizinhas a Martinho Lutero e Leonardo Boff. É preciso amar a UNIDADE DO CORPO DE CRISTO ainda mais que amar o papa, e por causa do amor à essa unidade querida por Jesus, amar e respeitar qualquer papa eleito, santo ou pecador. É o que nos ensinam Francisco, Catarina de Sena, São João Bosco, cristãos que estavam longe de ser ingênuos frente às contradições dos papas de seu tempo, mas que eram conscientes da sua relação pessoal com o Cristo Vivo que os chamou. A nossa missão cristã no mundo (dada pelo batismo) é um chamado direto do Cristo, que independe do que o papa fizer ou não. Pode ser o papa mais corrupto e sacana do mundo, o que Cristo me deu pela mãe igreja está dado, inclusive a fé de que a unidade do seu corpo não se dá sem o papa. Se o papa corresponde ou não á sua vocação-mandato-missão divinas, isso em nada interfere (antes o aumenta!) no meu dever de fazer a minha parte pela unidade que ,com certeza, não passa por deslegitimar o papa vigente. Creio que isso é ponto pacifico até mesmo para o Professor Olavo de Carvalho que parece endossar essa tese da falsa Irmã Lucia.

          • Padre Orlando Henriques

            Caríssimo Carlos
            Não, eles não são inocentes, eles estão mesmo contra a fé católica.
            Não, não é por negarem as aparições de Fátima, porque ELES NÃO NEGAM as aparições; fazem mas é outra coisa bem pior, que é “avacalhar” a mensagem de Fátima!

            Não viu nada que afecte a fé de um católico?
            Eles estão contra a fé católica por estrarem contra a autoridade de Pedro, por afirmarem que os Papas desde S. João XXIII são apóstatas.

            Repare: eles afirmam que o Papa é satânico, negam a validade dos sacramentos da Igreja pós-Vaticano II, convidam os cristãos à rebeldia contra o Papa e contra a Igreja…

            Sim, é verdade que as aparições não são dogma de fé e que é perfeitamente possível ser católico sem acreditar em nada de Fátima. Mas repare nenhum de nós diz o contrário disso, NEM eu NEM esse documentário.
            Na verdade, tanto eu como eles acreditamos nas aparições de Fátima: o problema é que eles pretendem deturpar a história e a mensagem das aparições para fundamentar as suas ideias loucas contra a Igreja. Eles não dizem que as aparições são falsas: inventaram mas foi um “teoria da conspiração” segundo a qual a verdadeira mensagem de Fátima não é a que a Igreja nos transmite, daí eles falarem de uma “verdadeira Irmã Lúcia” que, segundo eles, teria sido substituída por uma impostora.

            Sim, é possível ser católico sem acreditar em Fátima: por isso mesmo eu preferia muito mais que eles não acreditassem em Fátima em vez de usarem Fátima para enganar as pessoas com a sua falsa doutrina. Eles querem fazer o mundo acreditar o chamado “terceiro segredo de Fátima” que foi revelado no ano 2000 é falso que o “verdadeiro” segredo de Fátima, abafado pela Igreja com recurso a uma “Irª Lúcia impostora”, seria a confirmação das suas ideias sedevacantistas completamente tresloucadas.

            Tenham paciência! Não suporto que alguém conspurque Fátima, que está na origem da minha vocação, nem que insulte injustamente a minha amada Diocese de Coimbra!

        • Padre Orlando Henriques

          Eles convidam à rebeldia dizendo às almas cândidas que não é desobediência porque S. Tomás disse isto ou S. Pio V promulgou aquilo… E eu pergunto, então onde é que está o poder que Cristo deu aos Apóstolos de ligar e desligar?
          Se Cristo disse “o que ligardes na terra será ligado nos céus e o que desligardes na terra será desligado no céu», porque é que eu havia de desobedecer ao Papa Francisco para obedecer a uma suposta “tradição”? Porque é que eu havia de obedecer a decretos de São Pio V se, depois disso, Paulo V “ligou” e “desligou” coisas que agora estão a valer? E estão a valer porque o que ele ligou na terra ficou a valer no céu e ele é que tem o poder “ligar e desligar”, de dizer se está a valer ou não, e não um chico-esperto qualquer que diz que não está a valer “porque S. Pio V disse que era eterno”.

          • carlos

            E além disso é preciso ver os frutos (critério dado por Jesus), uma das principais vozes em defesa de teses parecidas com essas do documentário, era o Dr. Plinio Correia da TFP e toda a TFP com ele.

            Ora, claro que não desmereço aquilo que Plinio e a TFP possam ter dito de válido e sensato (ninguem é errado 100%) e apontar aspectos contraditórios ou ambíguos no Vaticano II (como o fazem Olavo de Carvalho, Padre Paulo Ricardo, os próprios papas Paulo VI, J.P II , Bento 16 e até mesmo o progressista Padre Libanio, noutra direção) – aspectos que talvez ainda precisem de uma palavra definitiva de clarificação por parte do magistério papal – é normal e nao significa rejeitar o Vaticano II. Mas a TFP, pelo menos certos setores dela (justamente os mais sedevacantistas) deram uns frutos bem podres e fedorentos,sendo o mais nefasto deles um verdadeiro culto idolátrico às pessoas de Plinio Correia e sua mãe, conforme denuncia de Orlando Fedeli (ex tefepista) : http://www.livrariamontfort.com.br/no-pais-das-maravilhas-a-gnose-burlesca-da-tfp-e-dos-arautos-do-evangelho-de-autoria-do-professor-orlando-fedeli.html e http://www.montfort.org.br/nova-confirmacao-do-culto-delirante-prestado-a-plinio-correa-de-oliveira/

            Bento 16, que considero um homem santo, caiu na besteira de endossar um pouco essa gente. Mas o papa pode ser falivel em quaisquer áreas que não a fé e a moral solenes da igreja. A gente precisa ter uma fé madura que não dependa de ouvir um sinal papal a cada segundo para agir. E se vier um papa daqueles bem safados e corruptos como alguns poucos que houveram séculos atrás??? Nossa fé morre por causa disso??? O ministério papal foi inventado por Jesus, em vista da unidade da igreja. É essa unidade que devemos amar mais que ao próprio papa e é por amor à essa unidade que não devemos deslegitimar nenhum pontificado eleito e vigente. Os tradicionalistas que rejeitam os papas que vieram depois de Pio XII não amam a unidade da igreja, a não ser que toda ela se una em torno de suas teses. Isso não podia dar bons frutos mesmo! São como as seitas da historia da igreja, tão “zelozas” e “santas”, ora na suposta maior pobreza, ora na suposta maior castidade e no fim viravam antros de loucura. O caminho de amor à unidade do Corpo de Cristo (que é a igreja) não é a ruptura com esse corpo a pretexto do papa vigente, mas é o caminho de S.Francisco e Sta.Catarina: nunca se escandalizar com nada, mas fazer a propria parte pela unidade da igreja que nunca exclui o papa, qualquer que seja ele.

          • Padre Orlando Henriques

            Bem, eu não sabia nada desse Plínio Correia nem dessas “garraiadas” de que falam esses links (talvez por não ser aí do Brasil), mas a verdade é mesmo essa: o sedevacantismmo tem provado, pelos seus “frutos podres” que não é caminho a seguir.

          • Carlos

            Caro e reverendo padre: não vi nada no vídeo que afete a fé católica, ou mais precisamente “nada que afete a fé de um católico”, no sentido de que não existe nada no vídeo que seja motivo para a minha fé ficar abalada, ele não abala a minha fé em Cristo e sua igreja nem por um segundo. Disse isso porque achei estranho a reação de alguns leitores do blog, que ficaram estarrecidos e balançados em sua fé, por tão pouco motivo.

            Pelo que entendi alguns leitores ficaram impressionados com as acusações que o filme faz contra a igreja e seu magistério vivo, como se essas acusações tivessem algum potencial para minar a fé que temos na interpretação que a autoridade da igreja faz acerca da mensagem de Fátima (e é a única interpretação válida para a obediência católica). Foi por isso, pois, que eu disse “Não vi nada ali que possa deixar alguém abalado em sua fé, não vi prova nenhuma que desacredite a posição oficial da igreja acerca dos fatos e mensagem de Fátima.

            Então também por isso eu digo: se nem a própria aparição em si é o fundamento da fé católica, menos ainda o seriam esses detalhes controversos acerca da sua interpretação. Ou seja: não há porque alguém ficar vacilando na sua fé por causa de um negócio desse. Respeito o sentimento de quem vacile, mas objetivamente falando, o vídeo não traz absolutamente nada (nem prova, nem fato e argumento) com potencial de nos afastar da obediência ao magistério vivo da igreja, nada que mine a legitimidade e a autoridade moral desse magistério.

            Por isso fiz questão de recordar com muita ênfase, em que bases o cristão coloca a sua fé (independentemente de Maria ter se manifestado em Fátima ou não) e o papel indispensável de qualquer papa vigente para que essa fé seja inteira, independentemente do comportamento que essa papa tenha. Isso para dizer que, mesmo na hipótese (na qual não creio) de o vídeo provar um eventual comportamento errado dos últimos papas (em relação à Fátima), ainda assim a fé católica, a minha fé como católico não se abala e não tem que se abalar (ainda que o papa fosse um grande canalha), pois absolutamente nada na Revelação Divina e na Doutrina da Fé afirma que a nossa fé tem como fundamento a impecabilidade papal.

            Ou seja, verdadeiras ou falsas, as afirmações do vídeo (as acusações contra os papas) não alteram absolutamente nada na minha fé (nela incluída a minha adesão ao magistério vivo da igreja que não vejo em contradição alguma com a tradição da igreja) não tem potencial intrínseco para isso. Quer dizer não faz o menor sentido, ter fé até ontem e depois ver um filme qualquer hoje e deixar de ter fé, por causa do bendito filme. O alicerce da fé é outro, e Fátima para mim só tem sentido porque reforça esse alicerce. Ao contrário do filme que usando Fátima, ataca esses mesmos alicerces.
            _____________________
            Claro as teses desses grupos são hiper-conhecidas e pra lá de velhas, carcomidas até. E o Dr.Plinio e sua velha TFP (hoje dividida em galhos com outros nomes: Arautos do Evangelho, Sempre Viva, Instituto Plinio Correa, Fundação Monfort, essa última mais crítica em relação aos fanatismos sedevacantistas) são peças chave dessa interpretação dos fatos de Fátima exposta no vídeo. Essa história é muito longa: basicamente o Dr. Plinio (já falecido) e seus seguidores são lefebvrianos, são os maiores responsáveis pela difusão versão lefebvriana do concilio cá no Brasil. Veja pois o fruto podre que deu esse galho (um galho forte) da cisão de Lefebvre entre nós: eles chegam a compor e rezar ladainhas em louvor ao homem e à sua mãe (tanto quando eram vivos, como depois de mortos).

            Não sei se a Santa Sé já mandou investigar essa porcaria toda, mas é coisa grave, sob todos os aspectos, grave inclusive pela ótica pre-conciliar que tanto dizem defender. Que eu saiba nenhum papa antes de João 23, autorizou culto religioso (com litanias e tudo) a pessoas vivas e nem mortas que não tenham passado ao menos pela beatificação. Eu não dou a menor bola para as conversas fiadas dessa gente sedevacantista e tradicionalistas que não tem o menor amor á grande tradição da igreja, mas sim ás suas próprias tradições tolas e doentias. Estou inteiramente com o padre no repúdio a esse grave pecado de desobediência e não os vejo como inocentes por nada desse mundo.Digo apenas que obedecer e valorizar o santo padre, acolher a missão a que o Senhor o chamou em vista da unidade do seu corpo (seja esse papa santo ou pecador) como fizeram São Francisco, Santa Catarina de Sena São João Bosco, São Padre Pio, e tantos outros, não é sinal de ingenuidade. Pois esses santos foram super críticos em relação aos limites humanos dos papas do seu tempo, demonstraram filial adesão ao magistério vivo da igreja, não porque achavam que os papas fossem santos e impecáveis (Catarina de Senna tinha aguda consciência da covardia do papa do seu tempo), mas obedeciam ao papa, por causa de JESUS, por causa do amor à unidade na verdade, que Jesus nos dá como dom, mas também como tarefa e missão!

            Ou seja, o que nos leva a aderir ao papa, como expressão da nossa adesão a Jesus, é a fé! Não é a pessoa do papa, não são suas virtudes ou defeitos que balizam minha obediência, é o que ele significa para a fé, de acordo com a vontade de Jesus. Por isso diga o que disser esse vídeo sobre os papas, isso não abala ( e não deve abalar) a fé de um católico, um milimetro sequer, pois o fundamento da fé é bem mais profundo. Incluída nessa fé, a compreensão e o fiel acatamento do ministério petrino , qualquer que seja o papa vigente e quaisquer que sejam suas atitudes pessoais. Acho que agora, explicitei mais claramente o que quis dizer antes. Assim espero!

          • William G.

            Nossa, Carlos! Que falta de sensibilidade! Fiquei magoado com você, sinceramente!
            Parece que você ridicularizou a aflição que eu passei, e isso foi meio arrogante da sua parte!

            Não faça isso com os outros!
            Posso não ter AINDA tanto conhecimento como você, que já deve ter lido bastante coisa sobre os Santos, a História da Igreja etc.

            Mas, por favor, seja mais delicado com o que os outros possam vir a sofrer.

            Você pode ter montado um belo texto mostrando sua opinião, no entanto o ar de soberba e insensibilidade, no primeiro comentário, “perpetraram” o texto do início ao fim.

            Com todo o respeito, foi indelicado da sua parte!

          • William G.

            Carlos, você precisa ser mais humilde, pois não é todo mundo que sabe essas coisas como você. Você está demonstrando ser muito arrogante e insensível.

            Estou repetindo alguns adjetivos que escrevi acima, porque estou lendo os seus textos aos poucos e achei que você iria mudar o tom do argumento, mas não.

            Eu vim aqui buscar esclarecimento e você fica desse jeito.

            Que diferença o Padre Orlando: ajudou-me, informou-me e me alertou com toda a gentileza! Já você, não. Parece espezinhar as pessoas desprovidas que ficam afetadas com o impacto que aquele video pode provocar.

            Mais uma vez, não é todo mundo que sabe como você, que tem a mesma instrução que você.

            Por favor, respeite e ajude. Estou escrevendo isso para você do fundo do meu coração.

            Demonstre mais sensibilidade nas suas palavras!

            Ficou estranho, não foi legal. Não fui só eu que vi aquele video, muita gente pode ficar aflita por estar desprovida de informações como você já tem. Eu, por exemplo, não sabia que tinha essa conspiração.

          • William G.

            Carlos, se você quer sugerir que não sou católico, por querer dizer que não abala a fé de um católico, diga, pode dizer, você nem sabe de nada do que se passou comigo.

            Carlos, mas a minha fé em Nosso Senhor Jesus Cristo não foi abalada em nada, o que me assustou foi o documentário “martelar” a ideia de que estava acontecendo uma grande conspiração diabólica na Santa Sé, que iria culminar com a grande apostasia.

            Foi isso.

            Cara, você é muito arrogante! Sério!

            Como você me magoa! Que jeito orgulhoso de se expressar!

            Com a capacidade que Deus lhe deu era para você estar alertando aos outros com amor e sensibilidade. E não com esse grau elevado de soberba.

            Fiquei muito magoado mesmo com sua forma de escrever. Com suas palavras expressas, é como se você pisasse as pessoas que não têm o nível de profundidade em conhecimentos que você.

        • Padre Orlando Henriques

          Por exemplo, como é que eles podem dizer que é inválida a Missa da liturgia actual, a chamada “Missa nova”, ou “Missa de Paulo VI”?
          Já que eles dizem que a Missa de Paulo VI é inválida, então como é que explicam os mais recentes MILAGRES EUCARÍSTICOS?

          Sim, pesquise no google, por exemplo, “milagres eucarístico de Buenos Aires”… (aliás, este milagre foi comprovado pelo então Cardeal Bergoglio, hoje PAPA FRANCISCO). O resultado da análise laboratorial é impressionante, um grande sinal do Céu!
          Ora, não consta que o padre que consagrou aquela Sagrada Partícula tivesse rezado a Missa tridnetina…

          Mais: procure no youtube “milagre eucarísico de Lourdes” (há vários vídeos, alguns até que mostram o milagre em câmara lenta).
          A Igreja nunca se pronunciou sobre esse milagre, mas o filme deixa-nos de boca aberta!

          Ora, como pode ver nesses vídeos, a Missa em que se deu o milagre tem todos os elementos próprios da Missa nova que são incompatíveis com a Missa tridentina:

          – é em vernáculo (francês; nada de latim);
          – é uma concelebração (por vários sacerdotes);
          – é celebrada “versus populum”;
          – é usada a Oração Eucarística III (nem sequer é o Cânone Romano!).

          Mesmo os paramentos nem sequer são romanos. E é uma Missa celebrada com toda a dignidade (inclusivamente, toda cantada), não é uma dessas missas “avacalhadas” que os tridentinos, desonestamente, gostam de apresentar nas suas comparações para dizerem que eles é que são bons e fazem bem.

          Agora eu pregunto: os sedevacantistas, esses insolentes que andam aí a dizer que “a Missa nova é inválida, é um sacrilégio, blá, blá, blá…”, como é que explicam que se dêem milagres eucarísticos em Missas celebradas segundo o Missal de Paulo VI?

          ESSES MILAGRES SÃO UM SINAL DO CÉU DE QUE A MISSA DE PAULO VI É VÁLIDA, QUE OS ÚLTIMOS PAPAS NÃO SÃO APÓSTATAS E QUE DEUS NÃO ABANDONOU A SUA IGREJA, A ÚNICA QUE SEMPRE EXISTOU.
          Enfim, são a prova de que os sedevacantistas são uma farsa.

          • Sidnei

            Padre Orlando, bossa benção.

            Padre Orlando, o senhor sabe o que este pessoal esta confundindo?. Eles estão confundindo o decreto do Papa São Pio V de que a missa do rito tridentino jamais deveria ser abolida, com a missa novo ou de Paulo VI com se esta fosse a substituição daquela. Não entendo muito destas coisas, o senhor como padre deve entender mais do que eu, mas até aonde eu sei, a missa tridentina nunca fora abolida, e o que me consta, o Papa São Pio V não decretou que nenhum de seus sucessores pudessem criar um novo rito para a Igreja, entre tantos dos que já há, então acredito eu, que estes sedevacantistas, estão procurando cabelo em casca de ovos e chifres em cabeças de cavalos, porque querem diminuir a dignidade papal do Beato Papa Paulo VI como se ele tivesse abolido a missa de rito tridentino, e assim tivesse desacatado a um decreto do Papa São Pio V, o que tornaria o Beato Papa Paulo VI um herege e assim um falso papa e comprovaria mais uma vez mais, de que desde o Papa São João XXIII a sede papal da Igreja esta vacante, só se for nos sonhos delirantes desta gente, que ká entre nós, este pessoal se parecem mais com os protestantes do que com católicos de verdade, porque católico de verdade não fica falando mau do Papa o tempo inteiro, pode até descordar de algumas coisas que o Papa faz e diz, mas ser contra o tempo inteiro, aí este pessoal tem que buscar alguma ajuda psiquiátrica porque estão sofrendo com algum tipo de desvio de personalidade.

          • Padre Orlando Henriques

            É isso, Sidnei, as confusões são mesmo o forte desse pessoal. Eles confundem-se e pretendem confundir os outros com meias-verdades, sempre meias-verdades ardilosas que desencaminham as pessoas. E esse vídeo ordinário, tal como outros, lá continua no youtube, a espalhar o seu veneno, sem que ninguém possa nem sequer comentar por baixo a contra-argumentar em defesa da verdade.

      • mary

        Também percebi que o vídeo inicia de forma cativante fazendo aquela relação entre a arca da aliança e Nossa Senhora, o narrador com uma voz muito agradável e quando você já está confiando que o vídeo seja de uma boa origem, aí vem toda aquela avalanche de mentiras muito bem contada com “provas” que na realidade não provam nada, porém gera aquela tremenda curiosidade e então já estamos ouvindo todo aquele ataque aos Papas e a Santa Igreja. Nesse momento você tem que ser esperto para sair daquela tentativa de hipnose macabra e dizer: basta! Nada que ataque tão gravemente a Igreja pode ser coisa boa. Lembrei que o Nosso Senhor Jesus Cristo falou que Sua Santa Igreja jamais será destruída e por isso mesmo é melhor estarmos dentro desse Santo barco para não perecermos, lembrei também que os sacerdotes podem ter defeitos e até faltas graves, porém, até hoje mesmo com um mundo cada vez mais desviado de valores morais e religiosos, nenhum Papa mudou a doutrina fundamental da Igreja Católica.

  • will

    William G. não fique chocado, o site que publica isso não é católico, é lefebvriano.

    • William G.

      Will, o que o narrador fala e apresenta choca demais.
      Sou obrigado a confessar que isso me deu uma balançada “legal”, fiquei perturbado…

      • Carlos

        Caro Willian,

        Você está totalmente coberto de razão. Diante de quem fica balançado na fé é preciso estender uma mão amiga e paciente, um ouvido solícito e compreensivo, sem qualquer juízo de valor acerca da experiência de fé dos outros.

        Peço o seu perdão meu irmão, e agradeço muito suas palavras nas quais eu me vi como num espelho. Obrigado por me evangelizar, por me oferecer essa oportunidade de pensar na minha postura, por puxar minha orelha, fazendo-me ver que a mão amiga é muito mais importante que a torre de marfim das certezas prontas.

        Eu seria hipócrita se negasse que como você, eu também tenho vacilações na fé, como todos os santos tiveram (não diante desse vídeo, independentemente de serem falsas ou verídicas suas afirmações). E você tem toda razão, o dever do cristão é ser compreensivo com a vacilação dos outros. Afinal, não foram sempre assim comigo, os irmãos mais experientes? Grato , de novo, por me alertar.

        Mas não fique assim meu irmão. Não se deixe balançar por isso, por esse vídeo. Não quero minimizar sua pequena confusão, devo respeita-la e respeitar seu processo, como você tão bem me alertou. Eu não saberia lhe explicar as questões envolvidas diretamente na suposta fraude da falsa Irmã Lúcia, mas veja: tudo que posso lhe dizer (e que não é fruto de maior ou menor conhecimento, mas simplesmente do dom da fé que o Senhor me deu) é que esse monge do vídeo podia dizer (e até provar) coisas bem piores que essas que ele disse e isso não afetaria a minha fé em nada. Podia aparecer uma investigação provando que toda a história de Fátima é pura farsa e nem por isso, seria tirado um milimetro do alicerce da minha fé no mistério santo da igreja de Cristo. E digo mais: eu podia descobrir agora mesmo, que os últimos seis papas (que amo e admiro muito) foram assassinos, pedófilos, ou qualquer outra sujeira cabeluda e ainda assim a minha fé não mudaria, por um simples motivo: a fé é uma experiência, é Jesus que entra em minha vida e muda minha vida (e isso se deu através da igreja, da igreja cuja doutrina se mantém incorrupta devido ao ministério dos papas) . O que Jesus fez (e fez através da igreja) está feito, nada e ninguém tira o que Ele deu.

        Suponhamos que alguém evangelizou você, lhe comunicou Jesus. E você acolheu Jesus que tem mudado sua vida, os frutos tem aparecido na sua vida transformada. Pronto! Isso é seu, é um dom que Jesus lhe deu através daquele irmão que lhe falou sobre Jesus.]
        Agora suponha que esse mesmo irmão que lhe comunicou a Palavra de Deus, prevarique, minta, pratique a fraude , enfim, se enfie na pior lama moral e espiritual possível. Isso muda o que, naquela experiência que o próprio JESUS fez acontecer na sua vida??? Não muda absolutamente nada! E porque não muda? Por causa de um maior conhecimento teórico?? Claro que não, mas porque a fé em sua vida é um FATO, um dom do Senhor que se tornou fato concreto, vida concreta, cotidiana, vida transformada pelo Amor de Deus! Depois que o Senhor deu isso a você, ninguém e nada tira mais!! Nem a incoerência da mesma pessoa que lhe evangelizou!! Para completar meu testemunho, quero acrescentar duas coisas: uma passagem da vida de São Luis, rei de França e um trecho de São João da Cruz.
        1) Dizem que houve um milagre eucarístico na capela do palácio do rei São Luis. E mandaram chamar o rei com pressa: “VENHA MAJESTADE, VER QUE GRANDE MILAGRE, na hóstia santa, está aparecendo o rosto do SENHOR!”! E ele respondeu: ” NÃO VOU LÁ COISA NENHUMA! POIS EU JÁ CREIO com todo o meu CORAÇÃO que JESUS está VIVO na HÓSTIA SANTA!!!”

        Agora imagine que depois se provasse que este milagre, era falso, uma impostura, ou que , mesmo sendo verdadeiro, se provasse que os homens depois manipularam a mensagem do milagre de mil modos, sequestraram e mataram os videntes do milagre, colocaram um falsário em seu lugar, etc.

        Você acha que isso mudaria alguma coisa na fé e na postura do bom Rei Luis???? Obviamente que não e não por dois simples motivos: a fé dele se baseava na revelação divina e na experiencia de sua própria vida transformada pela fé nessa revelação. Quando o dom da fé, não se torna vida em nós, é fácil perde-lo. Mas quando imploramos ao Senhor o dom da fé, e com toda a boa vontade aderimos ao que Ele nos revelou, isso entra na vida, marca um ANTES e um DEPOIS na vida, e não há nada nem ninguém que nos tire isso, nem o pecado mais cabeludo de um papa ou mesmo da pessoa que nos comunicou a fé. Se alguém me disser ” O SOL BRILHA no CÉU” e depois este alguém ficar doido e passar a negar o que disse, isso não muda nada no fato de que O SOL BRILHA no CÉU! E sobretudo não muda nada no fato de que eu mesmo vi que o sol brilha no céu. Não me lembro mais se foi Santo Atanásio ou Santo Antão (eremita) que foi chamado a falar num concílio que discutia a divindade do Senhor Jesus. Esperavam que ele viesse com um raciocínio teológico cheio de sabedoria e lucidez capaz de liquidar aqueles que negavam que Jesus era Deus. Mas ele não apresentou nem argumento ,nem raciocínio, nem prova alguma, apenas testemunhou o que o Senhor tinha feito na vida dele, dizendo: “ELE É DEUS!!! EU O VI!!!!” E nada mais disse.
        A fé em Jesus ( e insisto no fato de que é uma fé que não se dá sem sua igreja, guiada pelo papa!!!E portanto, inclui necessariamente a fé na igreja e a adesão ao papa, por causa de Jesus) é muito simples, meu irmão: sua maior garantia é o seu batismo, sua confirmação que o faz seguidor de Jesus. Todo o resto, o papa, a doutrina, são meios e mediações que visam no fim isso: que você creia com toda a evidencia da autoridade de Deus que não se engana e não engana ninguém e com toda a evidencia do que Deus fez na sua vida, quando você entregou seu coração a ELE. Este é o seu tesouro! Ele não depende em nada daquilo você vier a saber sobre as contradições do caso de Fátima (caso existam). Conheço um homem que conhece esse caso todo da suposta falsa Irmã Lúcia e acredita piamente nessa história toda. E ainda assim a fé dele é uma das coisas mais bonitas que já vi na minha vida! E quando falo na fé dele, falo de uma fé completa, inteiramente católica de ponta a ponta, incluindo a adesão ao santo padre vigente ( o que não o impede de critica-lo naquilo que não é obrigatório a gente aderir ao papa). Este homem é o famosíssimo Olavo de Carvalho. Veja você: duas pessoas crendo na mesma história da falsa Irmã Lúcia, o monge do vídeo e o Olavão. Mas que diferença na reação de ambos!!! O monge aproveitou do caso como pretexto para permanecer no seu cisma lefebvriano, negando os papas e para arrastar pessoas para dentro desse cisma doentio. Já o grande Olavo permanece na mesma fé de sempre, na mesma adesão à única e verdadeira igreja do Senhor, guiada pelo único sucessor de Pedro vigente. Crendo ou não que tenha ocorrido essa fraude da irmã, o que não deve mudar é sua fé em Cristo, que inclui a adesão ao papa (portanto, nada de balançar meu irmão, fique firme no dom que Deus lhe deu!) e essa exatamente essa fé que o monge do vídeo quer atacar, o caso da irmã é apenas um dos muitos pretextos que essa gente arruma para afastar as pessoas da verdadeira obediência, na verdadeira e única igreja. E isso é tudo o que eu quis dizer: reforçar a nossa fé em Cristo, dentro da igreja de Cristo! Fiz isso com palavras e com um tom indevido, como você me alertou e corrigiu, e fez muitíssimo bem! Ah , e já ia me esquecendo do trecho de São João da Cruz que havia prometido trazer para animar um pouco mais seu coração. Eis: “«Ao dar-nos, como nos deu, o seu Filho, que é a sua Palavra – e não tem outra – Deus disse-nos tudo ao mesmo tempo e de uma só vez nesta Palavra única e já nada mais tem para dizer (…). Porque o que antes disse parcialmente pelos profetas, revelou-o totalmente, dando-nos o Todo que é o seu Filho. E por isso, quem agora quisesse consultar a Deus ou pedir-Lhe alguma visão ou revelação, não só cometeria um disparate, mas faria agravo a Deus, por não pôr os olhos totalmente em Cristo e buscar fora d’Ele outra realidade ou novidade». Aí está, eu creio na visão dos pastorinhos e na mensagem da mãe de Deus em Fátima. Mas se um dia, vier alguma prova cabal de aquilo tudo não passou de uma grande farsa, ou que mesmo sendo tudo verdade, pessoas envolvidas no caso fizeram tais e tais podridões, isso não vai me afetar em nada, por causa disso que São João da Cruz nos diz: DEUS JÁ NOS DEU TUDO!!! (muito antes de Fátima). E mais ainda: esse TUDO que Deus nos deu em seu amado filho JESUS, já se tornou experiencia concreta na vida desse miserável pecador que sou eu, portanto nada e nem ninguém me tira a graça e o dom de ser um pecador abraçado pela misericórdia do bom Jesus! Que a mãe dele me confirme cada vez mais nesse caminho e que ela mesma ilumine seu coração. Eu espero que o site O CATEQUISTA possa estudar mais esse caso da Irmã Lúcia falsa e trazer os frutos desse estudo até os leitores do blog. Mas eu sugiro vivamente que você não faça depender sua adesão a Cristo (na igreja e sob o papa, santo ou pecador que seja ele) nem por um milímetro sequer, das informações ou desinformações relativas a esse caso. E por favor, não tome meu longo texto como demonstração de conhecimentos, não é isso que quero trazer á tona, tome como um testemunho pessoal de fé no bom Deus. Como o santo citado acima, eu também posso dizer a partir da minha vida (do que o Senhor tem feito nela): ELE É DEUS! EU O VI!!! Forte abraço e muitas bençãos de Maria sobre sua vida.

        • William G.

          Muito melhor agora o seu jeito de se expressar, Carlos! Obrigado por retornar e me dar atenção! Mas ainda assim, eu creio que quem estuda a vida dos santos e a História da Igreja mais profundamente, torna-se mais solidificado na Fé. E isso é certíssimo, afinal os santos são modelos para nós a seguir. São almas benditas que o Senhor nos envia para nos mostrar que está sempre presente, com o acréscimo de que no caso destes (dos santos), o Senhor quer nos mostrar a Sua presença de forma mais visível – é o que acredito. Um exemplo de que você mesmo se confirma mais contudentemente ainda na sua fé pelos estudos hagiográficos, foi declarar que nada afetará a sua fé por causa do que São João da Cruz disse: DEUS JÁ NOS DEU TUDO!!! (sic)
          Eu não tive nem um pouco a minha fé balançada, como eu afirmei acima no terceiro bloco dos três comentários que fiz, já que a mesma é basicamente a certeza daquilo que não se vê. O meu receio foi de acontecer uma grande apostasia na Igreja, como os sedevacantistas – que, aliás, cujo conhecimento vim a ter por esse video, ou seja, o impacto de ser pego desprevenido com um video aparentemente bem produzido é bem maior, convenhamos – vêm divulgando já estar acontecendo.
          Com todo esse mirabolante plano dos sedevacantistas, pensei eu, o risco de desvio de ovelhas do Rebanho de Nosso Senhor poderia ser maior que o desvio que o Protestantismo gerou, afinal os sedevacantistas mantêm a Doutrina e os Dogmas da Santa Igreja, com a exceção de não reconhecerem a Cátedra de Pedro ocupada por Papas legítimos desde a morte de Pio XII. Enfim, o que quero dizer com isso é que não me preocupo só com que eu saiba e tenha a minha fé convicta e não me separe da Santa Igreja, mas também com que as outras pessoas tenham essa garantia de não se separarem da Igreja, porque, como constatou Pe. Orlando, os sedevacantistas convidam as almas cândidas à rebeldia, utilizando-se da imagem e de escritos de grandes santos e doutores da Igreja. É um risco.
          No mais, novamente, agradeço por sua preocupação em me retornar.
          Rezarei para que a Santíssima Virgem esteja sempre ao seu lado, guardando-o e purificando as suas obras para que não entristeça a ninguém, mas que seja motivo de alento e sustento na fé, porque, mais uma vez, saber sobre a conduta dos santos mantém a fé mais enraizada, pois muitos deles, pela vida extremamente ascética e penitente que levaram, tiveram experiências místicas que em muito sustentaram a riqueza pastoral e doutrinária da Igreja. E até porque os santos são, além de terem a função de interceder por nós, modelos a seguir, como sabemos. São João da Cruz, por exemplo – você deve saber -, é um dos maiores doutores místicos da Igreja. E você, Carlos, pelo modo como escreve e usa de argumentos, falando sobre os santos e experiências pessoais – parece também ser próximo do filósofo Olavo de Carvalho -, demonstra ser bastante conhecedor da fé e moral da Igreja. Que o Senhor o use como instrutor e apologista da Igreja, e também acenda ardentemente em seu coração o desejo de manter a unidade da Igreja, preocupando-se em ajudar delicadmente a quem é desprovido de conhecimento prévio e possa a vir a se tornar sectário da Igreja Católica! Eu, como você, não me separaria, no entanto eu sofreria muito mais do que já sofro pelo que tem acontecido contra e até dentro da Igreja! Não sei se com você, mas comigo as heresias e a dispersão de “fiéis” enganados me incomodam demais.
          É mais ou menos esse que é o meu pensamento.
          Peço perdão se me expressei mal em algum ponto do texto, ou se errei em alguma questão relevante.
          A Paz de Cristo e o Amor de Maria Santíssima!

  • Amanda

    o governo e nem ninguém de poder tá nem aí sabe porque? o infanticídio é a mesma coisa de um aborto. se o governo libera para os brancos por que não para os índios que também votam,Imaginem só entrarem numa cultura e dizer não matem crianças inocentes. os índios poderiam dizer -vocês não fazem a mesma coisa? A diferença é que fazemos isso por amor, para não vermos nossos filhos deficientes sofrerem por não ter assistência que vocês não dão a nosso povo, e qual o motivo de vocês abortarem se vocês tem tudo?. Essa é uma pergunta lógica e óbvia, falta “amor” falta deus.

  • Marcio Monteiro

    Olá turma bacana de “O CATEQUISTA”

    Pessoal, atenção, muita atenção! Vocês estão vendo a floresta, mas não estão enxergando as árvores…
    Os filhos das trevas são mais astutos que os filhos da luz, e todo cuidado é pouco.

    Vocês prestaram bem atenção na chamada do Fantástico para esta reportagem? Ora, tirando toda esta monstruosidade que ali foi tratada, o que o “mundão” deseja, deixando de maneira subliminar, é pavimentar o caminho no futuro, para tornar a eutanásia, em qualquer idade, algo, digamos, perfeitamente normal e saudável em nossa sociedade ultra-moderna e bacana… Para isso, eles já vão preparando o espírito, mostrando que os índios batutas já fazem isso, e que os “antropólogos” (estes antropólogos estão entre aspas mesmo!), até entendem e defendem!

    Daí, para começarem a “vender a idéia”, de que é custoso para a sociedade manter pessoas vivas deste jeito, fora o “sofrimento” dos pais, vai um passo só (embora diretamente não tenha nada a ver com este assunto aqui abordado, já não tem gente começando a dizer por aí, que a pedofilia pode ser uma “legítima opção sexual”?).

    Prestem atenção pessoal!! Vamos olhar as podres intenções desta gente lá na frente. Vamos parar de ficar só vendo a floresta, não enxergando as árvores.

    A propósito, e a ação contra o Ministério Público do Rio de Janeiro, contra aquele manual distribuído nas escolas católicas, ninguém ainda se habilitou?.
    Marcio Monteiro

    • Padre Orlando Henriques

      Márcio, eu nem tinha pensado nisso, mas é capaz de ter razão: essa defesa de costumes alegadamente culturais pode bem ser uma ponte para algo bem mais diabólico: implementar (ou melhor, continuar a implementar) aberrações nas nossas pobres sociedades…
      Mais uma razão para nos associarmos a esta luta em favor da vida!

  • Tamires Monteiro

    Salve Maria, meus irmãos!

    Aqui na minha Paróquia (na Capital do Pará) há alguns anos um senhor (índio) começou a frequentá-la e nos contou a história dele.
    Ele fazia parte de uma tribo lá no sul do Pará e se retirou dela com sua família porque a mesma queria matar o seu filho que nasceu com deficiência. Ele nos diz que não se arrepende de ter abandonado a sua tribo, porque o seu filho se encontra vivo.
    Achei muito bonita a história dessa família indígena: largou tudo, vieram para Belém sem conhecerem nada e ninguém aqui, para salvar a vida do seu filho. Deus é tão bom! Hoje essa família mora perto de casa, tem sua casa própria, empregos, comida, saúde, vida, felicidade e o melhor de tudo, DEUS!
    Podemos concluir através do relato desse senhor daqui da minha Paróquia e dessa índia do último vídeo que até mesmo os próprios índios estão se opondo a essa cultura.
    Rezemos!

  • Eu novamente com piadinha sem graça, mas vale pelo tema apresentado.
    Meu pai diz que ele é o primeiro bebê de proveta do mundo.
    Conta ele que, quando seus pais casaram, a festa no salão paroquial era iluminada por um único lampião.
    O povo tinha o costume de dar um tiro no lampião para apagá-lo e ver a confusão formada, só pra ver até onde ia a coragem do noivo.
    Acontece que, no momento que o lampião foi apagado,
    minha avó falou pro meu avô: – vamos homi, a luiz tá apagada, tá esperando o quê, proveta, proveetaa, proooveeetaaa!
    Então ele proveto e pimba, nove meses depois meu pai nasceu.

    Voltando…minha mãe, no mês de julho foi ao Paraguay visitar alguns parentes nossos que moram lá, uma cunhada (viúva), uma irmã e vários sobrinhos que já moram lá a mais de trinta anos. Quando eles já estavam perto da cidade de Cascavel, resolveram parar para almoçar. O dono do restaurante viu a placa do carro onde minha mãe, uma irmã, uma cunhada e uma sobrinha estavam e disse que conhecia a região onde moravam, nisso conversaram mais um pouco e logo chegou lá uns dez carros, aliás, caminhonetas, hilux, toiota crv, L200, e uma range rover. Quem vinha para comer, índios de uma aldeia indígena da região, com vale refeição entraram, serviram-se e comeram do bom e do melhor.
    Minha mãe chamou o dono e indagou o que era e ele explicou a situação e disse mais, eles ganham vale refeição da funai todos os dias, todos os dias eles vem aqui pois o órgão do governo não deixa eles produzirem para se sustentarem, eles já tentaram, mas veio ibama, fatma, funai e brecaram qualquer atividade de trabalho que lhes rendesse dividendos, então eles andam por ai bêbados, meio sem rumo, e a grana da refeição? Esta é certa, todo final do mês eu recebo centavo por centavo. Os carros deles, bom, ai eu não sei, é outra história, mas, provavelmente é fruto da bondosa e bela funai.

  • Davi

    “clérico” ou leigo que aprova isso não é católico.

  • Aline Viani

    Engraçado que, nessas horas, esse povo não quer ser “moderno” e ninguém fala de costumes “retrógrados”, não é?…

    Parece que os únicos valores que são arcaicos, ultrapassados e que devem ser eliminados para que a sociedade possa “evoluir” são os cristãos mesmo…

  • Marta

    É bom que os índios não queiram mais comer os antropólogos, assim não correm o risco de ingerir carne estragada.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>