Que papo é esse de Sínodo das Famílias?

sinodo_familia

Nas últimas semanas, o mundo católico fervilhou em torno das notícias vindas do Sínodo Extraordinário das Famílias. A estratégia de comunicação do Vaticano (ou a falta dela) não ajuda muito, e a mídia divulga tanta informação desencontrada que a maioria dos católicos está boiando nessa história. O que, afinal, está rolando nesse Sínodo? Vai mudar alguma coisa na Igreja? Fique por dentro agora!

O que é um sínodo?

Sabe quando você tem dúvida sobre o que fazer em relação a algo na sua vida, e chama os seus melhores amigos pra pedir conselho? Então… um sínodo é mais ou menos a mesma coisa!

O sínodo é uma reunião de bispos e de alguns especialistas (que não necessariamente são membros do clero) convocados pelo Papa para aconselhá-lo sobre determinado tema – geralmente é algo complexo e cavernoso. Eles discutem e buscam um parecer comum. Se há algum impasse, a questão é decidida pelo voto da maioria, sendo que só os bispos têm poder de voto.

Ao final do sínodo, os bispos sinoidais publicam um documento final, com o resumo das discussões. O Papa, então, avalia essas orientações desses conselheiros e decide quais delas vai acatar e ou rejeitar. Após um ou dois anos, ele publica uma exortação apostólica pós-sinoidal fazendo eco às indicações positivas do sínodo.

O que está em discussão neste sínodo?

Jesus ia ao encontro dos pecadores públicos e sentava-se para conversar e comer com eles – em especial, os cobradores de impostos, prostitutas e samaritanos. Com diálogo, afeição e verdade, o Bom Pastor buscava as ovelhas perdidas e cuidava de suas feridas. Por isso, também as nossas comunidades precisam saber como imitar o Mestre nesse ponto.

Assim, as discussões desse sínodo giraram em torno do tema “Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização”. Como a Igreja deve acolher e evangelizar as pessoas que estão inseridas em uma realidade familiar que contraria a doutrina cristã? Essa discussão é muito necessária no mundo contemporâneo, em que se multiplicam os divórcios e as práticas homossexuais.

Uma coisa deve ficar muito clara: ninguém, muito menos o Papa, está considerando alterar nenhuma vírgula da doutrina, que seguirá INALTERADA, conforme a profecia de Jesus: “Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” (Lc 21,33).  O casamento é indissolúvel e se dá somente entre homem e mulher, ponto final. O que está em debate é a AÇÃO PASTORAL para a acolhida e a evangelização das pessoas em “situações familiares complexas e problemáticas para a escolha cristã”.

divorciados_gays

Mas a Igreja já não acolhe os gays e casais em segunda união?

Sim e não.

Sim, no sentido de que o Catecismo já nos ensina que os homossexuais devem ser tratados com respeito; e, em relação aos “recasados”, também sim, no sentido de que a Igreja procura compreender seus diferentes contextos familiares e, em alguns casos, acena para a possibilidade da comunhão espiritual (ainda que não seja possível o acesso à Eucaristia), conforme disse Bento XVI (saiba mais aqui).

Não, no sentido de que pouquíssimas de nossas comunidades possuem um serviço pastoral eficaz para ajudar essas pessoas a caminhar rumo à santidade. Especificamente em relação aos homossexuais, concordo plenamente com o meu amigo Jorge Ferraz:

“Sério, qual a chance que um homossexual dos dias de hoje tem de levar uma vida santa em decorrência do ambiente paroquial brasileiro médio? Qual o auxílio que alguém com essas tendências recebe, de ordinário, de nossas paróquias? Quantos grupos sérios para ajudar os homossexuais a viverem a castidade à qual os chama o Catecismo existem? Eu conheço o Courage, somente. Em quantas paróquias brasileiras o Courage está presente? Eu não conheço nenhuma. E importa, sim, reconhecer que há algo de muito errado com isso.”

Deus lo Vult. O Sínodo, a família e os homossexuais

Nesse vácuo têm se multiplicado iniciativas de “acolhida” que são verdadeiras portas do inferno, pois pervertem a doutrina e ensinam que os atos homossexuais não ofendem a Deus. É triste ver que muitos homossexuais que desejam viver a fé católica são atraídos e desviados por lobos disfarçados de bons pastores.

Também os divorciados recasados são embromados (ou se deixam embromar, aí vai da consciência de cada um) por falsas “pastorais da acolhida”. Nesses grupos se promove o SACRILÉGIO, estimulando pessoas que estão em pecado grave a comungar do Corpo e Sangue de Cristo. Entretanto, uma pastoral da acolhida que é verdadeiramente católica realiza uma catequese autêntica junto aos a esses casais, sem jamais levá-los ao sacrilégio.

Portanto, já está mais do que na hora de nossas paróquias e movimentos receberem e aplicarem diretrizes claras para a justa acolhida desses irmãos.

Qual a razão de tanta polêmica?

A polêmica se dá, basicamente, pela ação de três elementos conflituosos atuando nesse sínodo:

  • os bispos tradicionalistas – aquele pessoal que nunca quer mudar nada, que confunde moralismo com zelo e se acha mais católico que o Papa;
  • os bispos modernistas – aquele pessoal que prega uma “misericórdia enganadora” (essa expressão é do Papa Francisco). Querem agradar as pessoas mais do que a Deus, e para isso pregam um cristianismo mundano, sem cruz, sem a necessidade de um esforço para realizar a vontade do Pai;
  • a mídia – que, como sempre, sobre as coisas relacionadas à Santa Igreja, desinforma muito mais do que informa. Fizeram uma pressão desgraçada, e chegaram a prever uma mudança radical da doutrina Igreja. Aí o povo incauto fica pensando que agora nada mais será pecado e todo o mundo vai poder correr pelado na rua e depois ir pra Igreja comungar.

O primeiro relatório do Sínodo era um documento provisório, que pretendia somente registrar o rumo que a prosa estava tomando. Entre os 180 bispos sinoidais, mais de 40 protestaram contra o seu conteúdo, alegando que ele não refletia bem as diferentes colocações. Além do mais, a linguagem frouxa dava muita margem para interpretações tresloucadas, o que realmente ocorreu…

Com base nesse relatório, a mídia saiu dizendo que a Igreja estava alterando sua doutrina em relação às práticas homossexuais, e era quase certo que viesse a liberar a Sagrada Comunhão para os casais de segunda união. Depois de muita discussão e votação, o texto foi devidamente alterado, e os bispos sinoidais finalmente publicaram o Relatório Final.

O Sínodo chegou ao fim. E agora?

ovelha_negraO Relatório Final do Sínodo, publicado há poucos dias, deixa claro que o desígnio de Deus sobre o matrimônio e a família não inclui as relações homossexuais, e reafirma a oposição da Igreja às leis que instituem o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. Ao mesmo tempo, pede que os homossexuais sejam acolhidos com respeito e delicadeza.

Quanto aos divorciados recasados, o Relatório deixa em aberto, para maior estudo e aprofundamento, a questão do acesso à Sagrada Comunhão, o que é muito decepcionante (ainda que essa flexibilização esteja sendo considerada somente para casos muito especiais e restritos, e não para os recasados em geral). Essa questão já foi muito discutida antes, e já deveria estar devidamente compreendida e superada.

Alguns órgãos da imprensa foram cretinos a ponto de dizer que o texto final desse Sínodo foi “uma derrota para o Papa Francisco”. Não foi nada disso! Eles pervertem a realidade e tentam vender a imagem de um Papa ultra-liberal (que seria a favor do divórcio, das relações homossexuais etc.) em oposição a um clero ultra-conservador. E assim o povo incauto fica pensando que o justo apelo do Papa por uma melhor acolhida aos pecadores significa uma bênção a seus atos pecaminosos. Jamais!

Sigamos em oração! E agora… que venha 2015! Nesse ano que chegará, veremos o que o Sucessor de Pedro vai concluir de tudo isso, em sua exortação apostólica pós-sinoidal.

“Tantos comentaristas, ou pessoas que falam, imaginaram ver uma Igreja em atrito, onde uma parte está contra a outra, duvidando até mesmo do Espírito Santo, o verdadeiro promotor e garantia da unidade e da harmonia na Igreja. O Espírito Santo que ao longo da história sempre conduziu a barca através dos seus Ministros, mesmo quando o mar era contrário e agitado e os Ministros infiéis e pecadores.

“E, como ousei dizer isto a vocês no início do Sínodo, era necessário viver tudo isto com tranquilidade, com paz interior, mesmo porque o Sínodo se desenvolve cum Petro et sub Petro, e a presença do Papa é garantia para todos.”

– Papa Francisco. Discurso de Encerramento do Sínodo

95 comments to Que papo é esse de Sínodo das Famílias?

  • Sidnei

    Até quem enfim uma matéria sobre este sínodo, já não estava mais aguentando o mau humor do pessoal do frates in unum que não cansa de baixar o porrete no Papa e neste sínodo (mas era somente eles que estavam noticiando algo, o resto da mídia católica está em silêncio), e a mídia secular que só fala bobagens. Porém, quero fazer um adendo, quanto a dizer:

    “os bispos tradicionalistas – aquele pessoal que nunca quer mudar nada, que confunde moralismo com zelo e se acha mais católico que o Papa”

    Não é bem assim, se existem bispos assim, eles são mais resistentes as mudanças, justamente por causa dos bispos modernistas, que se pudesse, estes bispos mudariam tudo na Igreja e até celebrariam casamentos gays, e é por causa destes bispos, que há resistências de bispos ortodoxos, conservadores, que barram estas bobagens que estes bispos modernistas querem introduzir na Igreja e se não fosse por estes bispos tradicionalistas, os modernistas teriam conseguido, basta ver entre o primeiro relatório que saiu e o ultimo e definitivo o qual o primeiro dava mais apoio ao acolhimento dos gays, sem exigência alguma de conversão, e no ultimo os parágrafos que davam esta margem de acolhida aos gays sem a exigência da conversão desaparece.

    Outra coisa que me chama a atenção a matéria, e sobre a comunhão aos casados em segunda união, horas, se a matéria já foi discutida e fecha a muito tempo pela Igreja, porque reabri-la agora?. Não quero ser leviano mas não tem um dedo de nosso Papa aí no meio? Será a intenção do Papa Francisco em liberar a comunhão aos divorciados casados em segunda união tal como é o desejo também do cardeal Kasper, e assim tornar flexível a doutrina da Igreja? Fica a minha questão em aberto.

  • Higor

    O Sidnei falou “exatamente” o que iria falar, economizo palavras agora, obrigado irmão. haha

    Vendo as narrações do Sínodo feita por alguns Cardeais, da até um frio na espinha e nos incentiva a rezar ainda mais pela Igreja, pelos cardeais e principalmente pelo Papa.
    Houve relatos de bispos e cardeais se discutindo ferozmente enquanto o Papa permanecia em silêncio só assistindo, deixando o “circo pegar fogo”, até que ponto isto é certo?! E a parte do “confirma teus irmãos na fé (Lc 22,32)”?!

    Não sei até que ponto isto é certo e a mídia é sim sensacionalista como sempre, mas ora, se tirarmos os exageros e palavras de efeito do que foi publicado, não foge muito da realidade do sínodo. Defender o mesmo está sendo meio que uma tarefa impossível, como defender aquilo que pelo seu caráter é indefensável. Como disse o Sidnei, se um assunto como a comunhão para divorciados já foi tratado e definido, para que tratar isso novamente? Realmente isso soa como uma tentativa de mudar a Doutrina que é imutável, principalmente quando vemos cardeais modernistas e que incentivam tais ideias tendo o apoio Papal como Cardeais Bruno Forte, Maradiaga, Kasper, entre outros.

    Para encerrar, a homilia do Papa na beatificação de Paulo VI (LINDO!) parecia mais um desabafo contra os “tradicionalistas” comparando os mesmos com os Fariseus, inclusive o Santo Padre usou de muitas palavras de efeito, dando assim mais força para a imprensa divulgar que ele saiu derrotado.

    Oremos pela nossa Igreja, isso que escrevi aqui é “privado”, tal opinião não exponho para não escandalizar, de certa forma, outros irmãos.

    • Higor, assim como recomendei ao Sidnei, recomendo também a você a leitura desse texto de Dom Keller:

      https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=555171371251179&id=452874648147519

      Creio que é decepcionante o fato de que, para muitos de nossos bispos, essa questão da comunhão dos divorciados recasados não esteja suficientemente clara e superada. É realmente triste. Mas, já que a realidade é essa, o Papa está sendo muito sábio em deixar todo o mundo falar livremente. Melhor assim do que desobedecer o Papa pelas costas, como já fazem. Quando a verdade vem à tona, por pior que seja, é sempre algo muito positivo.

      Quanto ao Papa não intervir, ele faz é muito bem. Ele não está ali para dar a sua opinião, e sim para pedir a opinião do conselho. O Papa vai falar, com a autoridade de Pedro, em 2015. Até lá, ele deixa seus bispos falarem. Linkamos no fim do nosso post o discurso do Papa Francisco no encerramento do Sínodo; acesse, leia e entenda porque o Papa deixou o quebra pau rolar. Ele explicou muito claramente!

  • Ivayr Saraiva

    Explicação razoável, pois demorou tempo demais pra ser publicada… Eu sinceramente depositei minhas esperanças nos tradicionalistas durante esse Sínodo: esses que na maioria das vezes são considerados vilões retrógrados, mas que exerceram um peso fundamental pra que de certa forma o Sínodo não virasse a casa da mãe Joana (perdoem-me a expressão).

  • isabel

    Quanta falta de respeito com os bispos tradicionalistas,graças a eles que a doutrina não mudou, acho que vocêes estão desinformados tem carfeais e bispos querendo mudar doutrina sim e dizendo que tem apoio do Papa.Gente eu não sou sedevacantista nem cismatica ou lefebvriana ou qualquer insulto que queiram me chamar, mas são tempos sombrios na Igreja e ninguém pode negar que o Santo Padre tem uma deficiência em deixar clara a doutrina.com Bento nunca que nenhum bispo falaria disso.Francisco está afastando e rebaixando bispos tradicionais.Sabe aqueles papas renascentistas horrivéis que a gente tinha ? Nenhum deles mudou a doutrina ou mexeu em nada na fé, e agora temos o risco disso acontecer,graças a estes bispos tradicionalistas chatos que a doutrina não mudou.Eu sei que é dificil de admitir, mas o Papa Francisco não está sabendo liderar as ovelhas direito.E antes de me vhamar de herege , cismatica e n sei o q , lembrem se que Jesus chamou São Pedro de Satanàs e Santo Atanasio disse que o papa liberio seguia o demonio quando o excomungou e defendeu os arianos.

  • Fabiane

    Pessoal do blog, sei que às vezes o pessoal do fratres exageram, mas, nesse caso, acho que não houve exagero…pois é vdd que o Papa escolheu seis relatores liberais para este sínodo, os quais foram os responsáveis pelo documento provisório, que era um absurdo, que gerou tanta discussão, que não passou pelo crivo dos cardeais antes de ser publicado, e que se aprovado daquela forma, só Deus sabe o que aconteceria…
    Não procurei checar as fontes, mas se for verdade que o Papa rebaixou o Cardeal Burke, conservador, que teve papel fundamental para o Relatório Final, ai sim…é para se preocupar mesmo.
    Não sei quanto a vcs, mas eu prefiro ser obediente à Tradição, aos ensinamentos dos Santos, ao evangelho, do que ao Papa.
    Já tivemos tantos anti-papas, rezemos para que Francisco não seja um.

    • Isabel Carolina

      Oi Fabiane, a fonte dessa noticia é o proprio Burke, ele disse em uma entrevista no buzz Feed que o Papa o rebaixou a patrono da Ordem de Malta, tem no Fratres, mas o fratres só republicou a matéria, tem em vários lugares, foi ele mesmo que confirmou isso. http://fratresinunum.com/2014/10/19/burke-confirma-sim-o-papa-me-rebaixou-o-papa-faz-muito-mal-ao-deixar-de-falar-abertamente-a-sua-posicao-sinodo-projetado-para-mudar-a-doutrina-da-igreja/ “Na entrevista ao BuzzFeed News, Burke confirmou publicamente pela primeira vez os rumores de que lhe haviam dito que Francis pretendia rebaixá-lo do cargo de guardião chefe do direito canônico para para um cargo menos importante como patrono da Soberana Ordem Militar de Malta”

    • Isabel Carolina

      E Fabiane , não se preocupe, caso o Papa Francisco caia em heresia , como já aconteceu antes com vários papas, ele será anematizado, agora se isso o torna um anti papa eu não sei, não sei se ele vira um anti papa ou simplesmente um papa que foi anatematizado como Papa Honorio I. Devido a infalibilidade papal, toda papa que for herege será ou anti papa ou como falei, anematizado.

      Lembrando que Honório foi anematizado simplesmente porque se calou e não condenou os monotelitas, deixando que eles falassem e falassem…

      • Fabiane

        Obrigado Isabel! 🙂

      • Gente, vocês ficam lendo esses sites de maluco rad-trad, e ficam tudo pilhadão. NENHUM PAPA JAMAIS PECOU POR HERESIA PÚBLICA. Em matéria de fé e moral, todos os 286 papas foram fiéis ao Ministério Petrino.

        O Papa Honório I, por sua vez, não foi herege. Ele errou feio, pois, como bem disse Leão II: “Honório não extinguiu a chama da heresia como convinha a sua autoridade apostólica, mas que por negligência a açulou”. Porém, apesar de seu grande despreparo e imprudência, ele jamais ensinou qualquer heresia.

        Honório foi negligente para com a heresia, o que é muito diferente de ter ensinado ou promulgado na Igreja – ex-cathedra ou não – heresias e doutrinas pervertidas que levem à heresia. Isso significa que ele não usou de documentos oficiais nem de sua autoridade para ensinar heresias.

    • Padre Orlando Henriques

      Mas que diabo de ideia é essa de contrapor Tradição e Sagrada Escritura contra o Magistério da Igreja, nomeadamente do Santo Padre?

      O Papa pode errar em muita coisa, mas numa coisa ele não erra, porque goza de infalibilidade: em proclamar a verdadeira doutrina em questões de fé e moral. Acreditar nisto é ter fé; o contrário, parece-me a mim que é confiar na carne, isto é, mas coisas humanas, nas nossas ideias “luminosas”. Esse é o pecado de certos tradicionalistas: neles se cumpre o ditado “ser mais papista do que o Papa”.

      Se vocês tivessem fé, acreditariam nas palavras do Senhor que diz: «Feliz de ti, Simão, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram mas meu Pai que está no Céu», portanto o Papa é infalível quando fala ex cathedra porque é inspirado por Deus para o dizer o que diz; e ainda «Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela».

      O Papa é Pedro, é sempre Pedra escolhida por Cristo, quer gostemos muito dele quer não gostemos nada.

  • Tais

    Nossa que matéria mais boa e esclarecedora , fiquei muito tranquila pois entendi oque estava para mim um pouco confuso e misterioso.

  • Bruno

    Quando você fala de cardeais tradicionalistas você se refere aos cinco que escreveram o livro contra as teses de Dom Kasper? Por que se não fosse dom Burke, Muller e os cardeais africanos só Deus sabe como teria sido esse relatório final do sínodo. Ora, nao é que eles queiram ser mais católicos que o papa, é trabalho deles aconselha-lo e alerta-lo sobre os possiveis perigos de alguns de seus atos. Senão quem faria isso, Os leigos?

  • Fatima Silva

    Eu não opino , não estudei ciência da religião assisto a s missas leio a bíblia e livros de igreja católica acho quebrem muita gente criticando a igreja e nem conhece a sua fe , papa Francisco e o homem que foi escolhido por Deus veio acabar com a hipocrisia dos vivem nas igrejas tudo que ele fizer vai ser criticado , não acho tão escandaloso as uniões e nem segundo matrimônio sou contra abortamento pais que matam seus filhos em segunda união sou mãe solteira com duas filhas por opção tive noivo gay não sabia tbem nadou gay problema e deles , pior os que não se abrem para o mundo sou pecadora quero me redimir oro por todos no momento certo quem sou eu para julgar me julgam mais eu sei do meu passado vivem me condenando fico no silêncio não matei não roubei

    • Luiz

      Todos somos pecadores, eu acho difícil imaginar alguém que já viu mais pornografia na vida do que eu e uma vez a coisa “acabou indo” com uma mulher (não falo isso para escandalizar, mas para “me orgulhar dos meus erros”).

      No entanto, o fundamental é ir ao confessionário, pedir perdão pela ofensa contra Jesus com o propósito de não mais pecar.

      Se você teve duas filhas fora do casamento, faça isso porque você teve relações sexuais fora do casamento, e procure se guardar para o seu futuro esposo (se você for se casar). Feito isso, absolutamente nada dentro da visão mais tradicionalista do mundo impede você de comungar.

  • Thais

    Infeliz esse post no que tange os bispos tradicionalistas. Graças a eles que nossa Igreja permanece em pé ante um mundo tão secularizado. Concordo com o que o Alex falou acima, o Papa Francisco é muto subjetivo em suas declarações. E com a mídia falaciosa em cima o tempo todo ele deveria se posicionar de maneira mais clara e objetiva! A verdade sempre, com caridade, mas que seja a verdade. Desde aquela fala do Papa no avião, quando retornava para Roma da JMJ Rio2013, ambígua, sobre os homossexuais, deixou a mídia eufórica e toda “catolicada do IBGE” também (O Papa disse “Quem sou eu para condená-los”). Gente, isso não é caridade. Perdeu um ótimo momento para deixar algum ensinamento baseado no evangelho, tal como “arrependa-se, vá e não peques mais”.

    • Thais, creio que a o bom trabalho na defesa da ortodoxia da fé se deve aos muitos mais aos bispos tradicionais do que aos tradicionalistas. Sobre a diferença entre o clero TRADICIONAL e o clero TRADICIONALISTA, há um texto muito bom no blog Tradição em Foco com Roma:
      http://www.tradicaoemfococomroma.com/2014/04/a-diferenca-do-padre-conservador-e-do.html

      • Higor

        Creio que a maioria sabe essa diferença de tradicionalista para tradicional (conservador).

        Me desculpe a página, mas é praticamente inexistente a presença de bispos/cardeais tradicionalistas no sínodo, se falar isso para a turma dos rad-trad eles vão até cair na risada. A definição de tradicionalista varia muito, vai do entendimento de cada um e quem se botou contra as propostas do sínodo e como a página, lamentavelmente, disse que “se acham mais católicos que o Papa” foram bispos conservadores e até alguns que já foram amiguinhos da linha progressista, como Cardeal Müller, mas se endireitou e passou a defender a fé católica que sim estava ameaçada claramente.

        Como explicar uma comissão onde a maioria dos bispos são progressistas?
        E taxar de tradicionalista bispos como Tagle, Müller, Gadecki, entre outros é um absurdo, considerando o sentido apresentado pelo link.

        Continuemos em oração fervorosa pela Igreja e permanecemos na Sagrada Obediência, mas defender algo que se aparenta indefensável é complicado e nem tudo que acontece nesse pontificado é correto só porque o Papa promove, não sejamos cegos também.

  • Sidnei

    Mas Vive, com relação aos cardeais como Burke, Muller, e outros que defenderam o ensino perene da Igreja como sempre foi ensinado, para você e o pessoal aqui do catequista ( o Alexandre e o Paulo Ricardo) vocês consideram estes cardeais tradicionais ou tradicionalistas?.

    • Isabel Carolina

      Sidnei, não importa se estes cardeais são tradicionalistas ou tradicionais, se não fosse por eles e o trabalho que eles tiveram em formar uma resistência,só Deus sabe o que teria acontecido, acha que eu estou exagerando ? A própria mídia esquerdista disse isso e o Papa Francisco também.

    • Isabel Carolina

      O papa disse que a divisão não deveria acontecer, que era uma ousadia os Cardeais terem feito essa resistência e que isso ofendia a Deus.E Kasper disse que ele tinha combinado tudo com o Papa e que os cardeais que fizeram isso eram arrogantes e divisores.Palavras deles, não minhas.

  • Sidnei

    E agora fica a duvida, daqui até outubro do ano que vem, os divorciados podem ou não podem comungar?, os gays podem se aproximar da Igreja com ou sem conversão?, e tantas outras questões que inúmeros católicos farão pelo mundo afora. Horas, a respostas é simples, independentemente do que um diz ou não diz, o que importa é o que sempre foi ensinado pela Igreja e ponto final. Se o Papa ano que vem vier com alguma inovação perigosa que colocará em risco a doutrina e até a unidade da Igreja, o Papa Francisco correrá um grave perigo de ser considerado um Papa herético, mas e nós católico, o que faremos?, simples, deveremos olhar para trás e ver tudo o que foi ensinado até hoje pelo Sagrado Magistério da Igreja, o que esta nas Sagradas Escrituras e ouvir o que sempre foi transmitido pela Sagrada Tradição, o que o Papa falará e ensinará e que estive em desacordo com estes três pilares da Igreja, não deverá ser ouvido, não deverá ser acatado, e deveremos continuar a orar por ele, para que recobre a lucidez e volte a ensinar a sã doutrina, tal como sempre foi ensinado até hoje, até mesmo pelos papas insensatos que houveram na Igreja, mas que muito bem lembrou alguém aqui, nunca mudaram um virgula da doutrina da Igreja.

    • Sidnei, qualquer um – traficante, prostituta, avarento, fofoqueiro, gay – sempre pôde e pode entrar na Igreja. Jesus sentava-se para comer com esse povo, misturava-se com eles, e só então os chamava à conversão. Se a Igreja não convidar os pecadores públicos para se aproximar de Cristo, do jeito mesmo que eles estão, como poderão compreender a moral católica? Acaso podemos convencer alguém a mudar de vida dizendo: “mude essa sua vida de pecado, depois sim pode entrar na nossa igreja e nós te explicamos as razões.”?… Será que isso faz sentido? Ou será mais razoável dizer: “venha como você está, Jesus tema ama, venha se encontrar com Deus”, e depois, quando a pessoa estiver diante de Cristo, dentro da comunidade cristã, apresentar a ela a doutrina, dar as razões da nossa fé e chamá-la à conversão?

      Você leu a Evangelii Gaudium? Leu o trecho desse documento em que o Papa fala sobre a necessidade de contextualizar a fé? Se leu, leia de novo, de forma orante.

      Quanto aos divorciados, eu não tenho o dom de profetizar, então, não posso prever o futuro. Mas no meio dessa chiadeira toda, opto por fechar com a visão de Dom Keller.

      Também acho que é importante ler o discurso do Papa Francisco no encerramento do Sínodo. Parece-me bem claro que ele é contra a proposta de uma falsa teologia que cede À tentação de “descer da cruz”, ele é contra uma falsa misericórdia daqueles que enfaixam as feridas dos doentes e tratam os sintomas sem se preocupar em promover a sua cura.

      • Sidnei

        Vive, convidar os pecadores obstinados em sua praticas pecaminosas, a Igreja nunca disse não, para que eles entrassem nela, mas estando eles lá dentro, eles terão que sim, se converter, e não ficar na mesma, porém o que vemos hoje em dia, é: ““venha como você está, Jesus tema ama, venha se encontrar com Deus” e completando “você não precisará mudar em nada, poderás continuar sendo homossexual mesmo praticando atos sexuais que ferem a natureza, poderá ser prostituta e continuar vendendo o corpo, poderás ser adultero e continuar pulando a cerca”, e não me diga que não é isso que acontece hoje em dia na Igreja que é justamente isto que acontece. Os pecadores assim que adentrar na Igreja, sim, eles devem ser orientados imediatamente no que a Igreja ensina e o que JESUS espera de cada um, e não ficar com esta manjubice toda de passar a mão na cabeça de todo mundo, esperando a conversão que nunca vem, e ficam na Igreja aporrinhando todo mundo, querendo algo que nem mesmo este pessoal pratica, como a comunhão para os divorciados, o qual a maioria dos casais divorciados nem sequer pisam na Igreja e aqueles que pisam, sabem que não podem comungar e não comungam, mas os que mais enchem o saco nesta história toda, é justamente os que vão a igreja apenas para missas de enterro, casamento e batizado. E quanto a você fechar com Keller, em que aspecto você fecha com ele, poderia esclarecer isto para nós?.

        • Luiz

          Tem horas que eu penso que a gente tem que ter um pouquinho de confiança na Divina Providência. A pessoa tá começando a caminhada, ela já deu um grande primeiro passo entrando dentro de um lugar que o mundo inteiro dizia que ela devia hostilizar. Só Deus e meu confessor sabem o quanto os caminhos de conversão podem ser muito tortuosos.

          Quem sabe diante da presença real e concreta do Nosso Senhor Jesus Cristo um milagre espiritual comece a acontecer e ela sinta uma chamada à conversão?

          Isso tudo dado que a pessoa sabe a doutrina dentro de uma boa formação…não vejo grande problema. O médico veio para os doentes. E aquele que começar a trabalhar na videira às 4h da tarde vai receber sua moeda de prata antes daqueles que começaram cedo.

  • Isabel Carolina

    O problema das pessoas hoje em dia é não admitir que há uma crise na Igreja.acho que essa é a pior crise da Igreja desde Lutero. Os sedevacantistas erram em dizer que não temos Papa,que o concilio foi invalido e não sei o quê. claro que temos papa! Esse é o problema.Ele não está agindo como deveria agir.Aí que começa o problema dos novos “conservadores”,insistem em dizer que está tudo bem,que nada está de errado na Igreja e se oponhem a todos que façam uma resistência maior. Nessas horas , me lembro de Santo Atanásio de Alexandria,ele salvou a Igreja Catolica e a fé universal mas sabe o que aconteceu com ele ?foi expulso de sua diocese, excomungado,xingou o Papa, os bispos,seguiu firme e forte combatendo na fé e nunca cedeu aos hereges.Sabe o que fariam com Santo Atanásio hoje ? Os mesmos que dizem não julgueis o ermão,a igreja é muito dura a condenar, diriam,Excomungue-o!!Cismatico!!Tem que apoiar Roma em tudo!!!Me lembro também de São Thomas More,que morreu porque se recusou a servir a um divorciado, a um adultero,ele que acreditava tanto no matrimonio,na lei e amor de Deus a ponto de morrer por ela, deve estar chorando no céu ao ver cardeais e bispos defenderem o adulterio. Me lembro também de Jesus, que foi tão amoroso ao falar com prostitutas, pecadores mas sempre foi rigido ao dizer o que deveriam fazer.”Se olhar para uma mulher que não é a sua,já cometeu adultério”Não existe razão para divorcio , nem mesmo adulterio,pois o que Deus uniu ninguém separa” Pois saibam que vim para trazer a espada e não a paz” Eu sou o caminho a verdade e a vida,ninguém vem ao Pai senão a mim”.Me lembro também de Deus, que foi misericordioso,as pessoas de Sodoma e Gomorra, mas o mesmo tempo foi rigido em seguir o que ele mesmo falou.Sou pecadora, precisa da Igreja e ela não precisa de mim, só quero que Deus tenha piedade de mim,por isso me preocupo,quero que a Igreja que eu vou para fugir deste mundo e encontrar Deus seja a mesma, quero a missa, o Calvario de Cristo que eu participo continue a mesma, por isso me preocupo e acho que os cardeais deveriam querer também.

    • Isabel Carolina

      Minha mãe está em segunda união e é uma católica praticante que vai para a Missa e se confessa. Mas ela não comunga,os divorciados são bem vindos na Igreja,contanto que sigam o que Jesus falou.Ninguém está dizendo que é para divorciados não irem para a Igreja, o problema é eles quererem mudar a doutrina para o interesse deles, sendo que muitos nem se importam com isso.Quem está em segunda união e ama a Deus e a Jesus e a Igreja Católica,sabe o que deve ser feito e o faz, sem criar nenhum alarde sobre isso.

  • Alzira Passeti Tossato

    Gostei do texto. Jesus ama cada um de nós como somos, Ele nos ama a todos igualmente e disse que não perderia nenhum de nós. Gosto muito dessa frase:Jesus te ama como vc é.Foi com ela que me senti acolhida.Boa tarde.

  • Gêneto Eugenio

    Fiz tempos atrás essa pergunta que hoje a Igreja começa a me responder como se dará o acolhimento nos nossos dias dessas pessoas e das situações tão complicadas que nos apresenta os tempos atuais…

    O PAPA FRANCISCO JÁ AFIRMOU SER FILHO DA IGREJA e como bom filho não nos guiará para fora dos ensinamentos IMUTÁVEIS da IGREJA com relação ao ser humano.

    “Igreja não foi a autora dessa lei e não pode portanto ser árbitra da mesma; mas, somente depositária e intérprete, sem nunca poder declarar lícito aquilo que o não é, pela sua íntima e imutável oposição ao verdadeiro bem comum do homem.”(Papa Paulo VI – Humanae Vitae)

  • Eu não sei se as pessoas estão se dando ao trabalho de ler o discurso do Papa no encerramento do Sínodo. Ele fala de algumas tentações que se manifestaram durante o Sínodo. Entre elas, destaco:

    – A tentação do “bondosismo” destrutivo, que em nome de uma misericórdia enganadora, enfaixa as feridas sem antes curá-las e medicá-las; que trata os sintomas contra os pecadores, os fracos, os doentes (cf. Jo 8,7), isto é, transformá-los em “fardos insuportáveis” (Lc 10,27).
    – A tentação de descer da cruz, para contentar as pessoas, e não permanecer ali, para realizar a vontade do Pai; de submeter-se ao espírito mundano ao invés de purificá-lo e submeter-se ao Espírito de Deus.
    – A tentação de negligenciar o “depositum fidei”, considerando-se não custódios, mas proprietários ou donos ou, por outro lado, a tentação de negligenciar a realidade utilizando uma língua minuciosa e uma linguagem “alisadora” (polida) para dizer tantas coisas e não dizer nada”. Os chamavam “bizantinismos”, acho, estas coisas…

    Esse não me parece o discurso de um Papa que pretende esculhambar com a doutrina da Igreja. Muito pelo contrário!

    • Sidnei

      Vive, não precisa se dar trabalho a nada, mas onde tem fumaça há fogo, se não não haveria cardeais que ficaram contra o primeiro documento que passava a mão dos pecadores sem se dar o trabalho de dizer para eles se arrependerem e por final venho um documento que retirou esta manchubice toda. Se vocês não querem abrir os olhos para estas manobras que tentam tornar flexível os ensinamentos da Igreja, problema de você, mas que não dá para negar que elas existem e parecem ter aval até do Papa, parecem.

      • Airton Lino

        Eu admito q fiquei preocupado quando vi o primeiro relatório, mas depois do discurso de encerramento do papa, eu lembrei q quem guia a Igreja eh o Espírito Santo. Lembrei também, que em matéria de fé e moral o papa é infalível. Se cremos nisso, por que o medo? “Ah, mas onde a fumaça a fogo”… Ai eu pergunto: Confia no Espírito Santo sim ou não? Se sim, não há o que temer. Nenhum papa vai errar em fé e moral.

  • A mídia sempre exerceu muito bem o infeliz papel de jogar os católicos contra a Igreja ou criar falsas esperanças (ou seja, “liberar geral”).

    Há alguns dias, em minhas rotineiras pesquisas na internet, me deparei com um post em um site que se referia ao Papa de maneira ofensiva, rotulando-o de herege. E pior, sequer se tratava de um site de orientação sedevacantista o rad-trad.

    Pois é, pessoal, o lamaçal midiático está se infiltrando até mesmo entre aqueles que, supostamente, desejam defender a Igreja…

    Peguei, digamos, o “bonde atrasado”: estou completamente alheio ao Sínodo. O post foi bastante oportuno, pois muitos católicos, como eu, estão sofrendo pela falta de informações realmente úteis.

    Quanto aos católicos da “tchurma” do IBGE… só digo que precisam se tocar de uma vez por todas: ou aceitam a doutrina da Igreja ou saem. Simples! Por que pentelhar no pé do Papa, dos bispos e sacerdotes?

    Religiões e seitas para todos os gostos não faltam!

    Pax Domini!

    • Sidnei

      “Quanto aos católicos da “tchurma” do IBGE… só digo que precisam se tocar de uma vez por todas: ou aceitam a doutrina da Igreja ou saem. Simples! Por que pentelhar no pé do Papa, dos bispos e sacerdotes?”

      Não são da tchurma do IBGE mas os católicos que se preocupam verdadeiramente com a Igreja o qual estão vendo que há muitos lobos em disfarçados dentro da Igreja e querem por toda lei rever tudo somente para agradar ao mundo.

      • Sidnei, os católicos do IBGE são aqueles que só aparecem nas estatísticas: porém, jamais são vistos na Igreja!

        Me refiro à “tchurma” que deseja liberar tudo aquilo que é contrário à moral cristã: o aborto, os métodos contraceptivos, a eutanásia… estes “caóticos”, sob a bandeira da (falsa) tolerância desejam uma Igreja liberal e democrática.

        Minha crítica final foi dirigida a eles, e não aos católicos que estão preocupados com a preservação da sã doutrina, preocupação esta completamente compreensível e justificável.

        De fato, a geração atual de bispos não é das melhores… mas é o que temos, então rezemos por eles.

        Pax Domini!

  • Dani

    A catequista, eu também quero saber a opinião de voces sobre a posicao daqueles bispos que escreveram aquele livro. Burke e Muller. Eles são tradicionalistas ou tradicionais?

  • Isabel Carolina

    Levítico 18,22 “Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação.”

    1 Coríntios 6,9 “Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas.”

    1 Timóteo 1,10-11 “Para os devassos, os sodomitas, os roubadores de homens, os mentirosos, os perjuros, e para tudo que for contrário à sã doutrina, segundo o evangelho da glória do Deus bendito, que me foi confiado.”

    Romanos 1,26-27 “Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro.”

    Jesus disse: “Quem repudiar sua mulher e casar com outra comete adultério; … com a mulher repudiada pelo marido também comete adultério” (Lucas 16,18).

    1 Coríntios 7,10-11 – “Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido (se, porém, ela vier a separar-se, que não se case ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher.”

    Jesus avisou: “Qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de matrimônio falso, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada também comete adultério” (Mateus 5,32).

    Para finalizar:

    “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”. (GÁLATAS 1,9).

    Vamos mandar isso para o Cardeal Kasper, ai como eu tenho vontade, talvez ele tenha esquecido.

  • Isabel Carolina

    Mudando de assunto, hoje é o primeiro dia De São João Paulo II , aqui está uma homenagem na turma da Monica para ele, no dia em que ele morreu, se puderem colocar no face seria lindo!! http://www.chavescatolico.com/2014/10/um-dia-de-abril-uma-homenagem-de.html

  • Daniel

    Boa tarde. Não me recordo de ter lido na Palavra, que Jesus se misturava com gays ou traficantes, me engano? Jesus Nosso Senhor, por ser Homem e Deus conhecia o coração das pessoas. Nós não temos esse poder, assim devemos acolher a todos por amor a Deus, mas também abominar os seus pecados e antes ainda os nossos. O pecado ofende a Deus, sempre, em qualquer circunstância. Ele deve ser abominado, extirpado do nosso convívio. Nós cristãos, unidos a Jesus Cristo pelo batismo, selados com o Espírito Santo, procuramos viver o Amor Verdadeiro, e por isso mesmo, Santo. E por estarmos assim unidos a Deus, não podemos acolher o pecado em qualquer uma de suas muitas formas. A Caridade vive com a Verdade, são inseparáveis, por isso sou levado a dizer ao meu irmão: Irmão, Deus te ama e por isso sou levado a amá-lo também, mas este relacionamento homossexual que você tem praticado, está totalmente em oposição ao mandamento do Amor de Deus. Se dele não te arrependeres e te afastares, estarás condenando a ti e a teu irmão a perdição eterna. Isso te falo por Amor, Amor a Deus e a ti, por quem o Senhor Jesus entregou Sua própria vida para salvá-lo. Palavras semelhantes, nós esperamos ouvir daqueles que Verdadeiramente entregaram sua vida a Deus por Amor. O Amor Une, todo aquele que Ama a Deus não divide a Igreja entre esses e aqueles, mas a congrega em torno de Seu Centro Jesus Cristo. A divisão dentro da Igreja procede do maligno. Todo aquele que acolhe divisões ou as estimula, procede em seguimento ao maligno, e repete o que ouve do pai da mentira. Há uma só Igreja, Una Santa Católica e Apostólica, fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, há dois mil anos. Sempre Verdadeira pois conta com a Assistência do Doce Espírito Santo que a Santifica e mantém, para entregá-la ao Senhor Jesus quando da Sua vinda Gloriosa. Quando o Senhor Jesus entregou as chaves Dela a Pedro, exigiu dele a tríplice declaração de Amor. Da mesma forma exige hoje do atual Pedro, a mesma declaração, tu és Pedro e assim sendo, deves-Me Todo o teu amor, devendo por isso mesmo dar a tua vida em oblação, pelos Nossos Irmãos. Suplicarás, prostado de joelhos todos os dias, pela Salvação Daqueles que te confiei, para que não se perca nenhum Deles. Deves chorar, clamar e implorar a Mim, de todo coração, pela conversão e salvação dos Nossos Irmãos pecadores. Para isso te elevei tão alto, te constitui Príncipe na Minha Igreja. Não é a outros que deves falar, mas a Mim que deves te dirigir a todo o tempo com súplicas, ação de graças, louvores e adorações. Quando te dirigires aos Meus Irmãos, deverás exortá-los a Me Amarem, a prestarem cultos de louvor, ação de graças e adoração. Não és o ramo mais alto? Quem te elevou? Será talvez que tenhas entrado por outro lugar e não pela porta do Redil, assim sendo não és Pastor, mas mercenário, e as Ovelhas não te reconhecem, não ouvem a tua vós e não te seguem… És Meu Pedro? Se O fores, conclama a todas as Minhas Ovelhas, a todos os Meus Cordeiros, a seguirem a única e verdadeira Doutrina, confiada por Mim a Minha Igreja. Céus e terra passarão, mas as Minhas Palavras sendo Espírito e Vida não passarão. Isso Eu juro por Mim mesmo, não há outro deus além de Mim, Eu Sou o Senhor! Não é Isso que nos ensina o Senhor Nosso Deus?

    • Puxa, na Bíblia não está escrito que Jesus se misturava com gays e traficantes? Que tola sou! Eu realmente achava que naquele tempo já havia bocas de fumo e boates gay na Palestina, e Jesus ficava lá na porta desses lugares anunciando a Boa Nova. Mas vejo que me enganei… Obrigada, Daniel!

  • Isabel Carolina

    Escândalo no Céu: João Baptista descanonizado!
    P. Gonçalo Portocarrero de Almada
    http://observador.pt/opiniao/escandalo-ceu-joao-baptista-descanonizado/

  • Elaine

    E o Papa lutando para que os católicos acolham a todos e vem uns se achado santo expulsando gente da Igreja. Afff. que é cada um que não olha o cisco que está em seu olho.

    • Isabel Carolina

      Que cisco Elaine ? quer dizer que lutar pela Doutrina é ser Hipocrita ? Eu não sou divorciada, e caso aconteça isso, não comungarei, pelo menos desse pecado posso dizer que não cometi, os Catolicos não tem que acolher a todos não, tem que acolher apenas os que querem ser catolicos e seguir a Jesus Cristo e seus ensinamentos. estar divorciado é PECADO MORTAL,apagaram o meu comentário sobre João Batista uma pena, eu explicava bem essa questão. Quer uma Igreja que acolha a todos e nada é pecado ? vai para a Anglicana ou a luterana, você que é hipocrita,diz que os outros tem ciscos mas não escuta o que Jesus disse:“Qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de matrimônio falso, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada também comete adultério” (Mateus 5,32, não seguir o que Jesus disse é pecado, tira primeiro o cisco do seu olho!!

      • valeria

        Isabel Carolina Parabéns pelo seu comentário muitas pessoas estão esquecendo que o sacramento é um processo de santificação.
        Eu sou divorciada e não vou me envolver em outra união por amor ao meu Jesus sacramentado pois jamais renunciarem a minha comunhão com meu Jesus na forma correta como diz a palavra.Pois AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.
        Porque eu digo que levo a minha vida assim porque eu busco o caminho da cruz pois não é fácil as humilhação que sofro por minha decisão de viver só sustentando a minha família os olhares das pessoas que disse essa é um tonta tem mais que curtir a vida.Estar dentro da minha igreja faltando uma parte a parte PAI.
        Neste mundo laico quer que engolimos a seco este descaso com a sagrada Eucaristia que é uma união plena com um corpo que foi imolado com muito sofrimento por causa dos pecados da humanidade agora quer unir pessoas que estão em pecado com Jesus?
        Volto a perguntar porque foi a igreja pedir o Sacramento?
        Por acaso a igreja obriga alguém Casar?
        Mas quando o casamento tem suas crises a primeira coisa é o divórcio os pensamentos “que tenho que ser feliz curtir a vida” e faz com que o dia da bênção dada no dia do casamento vire nulo por a pessoa quer viver em pecado.
        ISSO É BRINCAR COM A BÊNÇÃO de DEUS
        É BRINCAR COM A IGREJA QUE JESUS MORREU POR ELA
        É BRINCAR COM OS SACERDOTES TESTEMUNHAS QUE PRESENCIARAM AQUELE MOMENTO QUE FOI SELADO DIANTE DE DEUS.
        A BÍBLIA NÃO ENGANA NINGUÉM ELA é bem clara aos casado a viverás tribulação mas o povo não quer isso quer ficar brigando com a igreja por um assunto que vai ofender Jesus.
        A igreja pode até rever isso mas eu manterei a minha posição pois um dia vou estar diante de Jesus posso até não merecer o céu pois tenho muito que mudar mas este pecado eu vou poder dizer a Jesus neste eu fui fiel porque eu te amo.

    • Sidnei

      Elaine além do que a Isabel comentou, só fazendo um atento ao comentário dela, quem se separe de um cônjuge e não casa, não esta em pecado, pecado será se ela vier a casar em uma segunda união sem antes resolver a situação da primeira união, como disse JESUS e que a Isabel citou em Mateus 5,32, mas o que eu outros e tantos bispos e cardeais quiseram colocar neste sínodo é: que sim devemos acolher os pecadores na Igreja, haja vista que todos nós também somo pecadores, porém, não se deve ser de qualquer jeito, não levando em conta o pecado, e aceitando as pessoas como elas são sem uma perspectiva nenhuma de conversão. E claro que o processo de conversão de todos nós deve ser um exercício diário, todos os dias devemos evitar o pecado e se cairmos devemos sempre buscar a misericórdia de DEUS pelo Sacramento instituído per NOSSO SENHOR da Penitência ou Confissão, porém, o que vemos hoje em dia são pessoas que assim como você hajam que não precisa dizer para ninguém que estamos em estado de pecado todas as vezes que caímos e ofendemos a DEUS e aos irmãos, que não devemos passar por penitência alguma, que DEUS aceita a todos nós como somos, e todos vamos para o céu independentemente se alguém for um adúltero inveterado, um homossexual praticante do sexo antinatural, se um prostituta vende seu corpo, enfim, ninguém precisa deixar estas coisas e continuar com suas vidas de pecados e indo a igreja todos os domingos, voltando a dizer, sem nenhuma perspectiva de conversão. Como escrevi no inicio desta resposta, todo os pecadores são convidados entrar na Igreja, porém aquela frase que a Vivi citou em um comentário anterior: “venha como você está, Jesus tema ama, venha se encontrar com Deus”, só terá sentido se complementada: “depois que você se encontrar com DEUS, perceba o que ele quer de você, abandone a vida de pecados, se converta, e siga o que DEUS ordenou”, tal como a pecadora adultera o qual JESUS disse que se ninguém a condenou ELE também não a condenaria, mas no final disse: “Via e não peques mais” (João 8, 11), parece que todo mundo se lembra que JESUS não condenou a mulher porém esquecem da frase final o qual JESUS ordena que ela não deveria mais pecar, e é isto que esta faltando hoje em dia na Igreja, nos dias de hoje é muita jujubice, se fala muito em misericórdia, mas nada de conversão, nada de mudar de vida. E para terminar devemos lembrar das passagens de Ezequiel 33, 7-20 que diz:

      “7. Filho do homem, eu te constituí sentinela na casa de Israel. Logo que escutares um oráculo meu, tu lhe transmitirás esse oráculo de minha parte.

      8. Se eu disser ao pecador que ele deve morrer, e tu não o avisares para pô-lo de guarda contra seu proceder nefasto, ele perecerá por causa de seu pecado, mas a ti pedirei conta do seu sangue.

      9. Todavia, se depois de receber tua advertência para mudar de proceder, nada fizer, ele perecerá devido a seu pecado, enquanto tu salvarás a tua vida.”

      portanto eis um mandamento bíblico e esta entra as boas obras de caridade de cunho espiritual, e de chamar os irmãos a conversão, isto não é querer tirar o cisco do olho de um irão enquanto temos um trave em nossos olhos, o será se condenarmos nossos irmãos fechando as portas da Igreja na cara deles, porém, volta a dizer, se um vez eles entrarem na Igreja é missão nossa, da Igreja colocar as claras o que é pecado e o que não é, e o que devemos evitar para não ofendermos a DEUS NOSSO SENHOR. São Tiago assim também diz com relação a este tema:

      19. Meus irmãos, se alguém fizer voltar ao bom caminho algum de vós que se afastou para longe da verdade,

      20. saiba: aquele que fizer um pecador retroceder do seu erro, salvará sua alma da morte e fará desaparecer uma multidão de pecados.
      (Tiago 5, 19-20)

      Portanto é fundamentada biblicamente a correção fraterna, o zelo pela conversão dos irmãos que entram na Igreja, pecadores como são, mas que como todos nós, devem abandonar a vida de pecado, se converter a cada dia, e sempre que cair, buscar a misericórdia divina pelo sacramento da confissão.

  • luiz alberto

    O que foi dito por DEUS, sera ouvida por nós, nós não temos que mudar a igreja temos que seguir a igreja, os homossexuais não estão arrependidos de seus pecados, mas estão a fim de mudar a doutrina da igreja em favor de si mesmo.
    Os homens casados e separados romperam com DEUS a promessa do matrimônio, eu acho que cada um fez as suas escolhas.

  • Fernanda

    Ótimo post Viviane!!!!

  • João

    Uma coisa é fato, somente a palavra de Cristo é eterna. Aceitando ou não, favoráveis e contrários, nossa sagrada Igreja sempre precisou se reformular e traçar novas estratégias para a evangelização. Foi assim e continuará sendo durante os próximos milênios. Mudanças são e sempre serão necessárias. Se nossa sagrada Igreja ainda continua em pé após dois mil anos, é justamente graças ao bom senso das mudanças necessárias. Dúvidas? Basta rever nossa milenar história católica e suas mudanças. Sinceramente, que bom que nossa Igreja de tempos em tempos “para” e reflete sobre os novos tempos, pois esses, assim como a palavra de Deus, sempre existirão. É preciso que saibamos refletir nossa ações e atitudes, para que não nos perdamos diante do radicalismo concervador, ou, diante da libertinagem liberal!!

  • adriano

    Hoje em dia existe uma grande confusão de opiniões entre os membros da Igreja. Esse é um grande problema, e a fonte de muitos outros problemas.

    Imaginem um recém convertido que vá frequentar sucessivamente os seguintes grupos: FSSPX, tradicionalistas estilo “associação montfort”, teologia da libertação, modernistas, e depois de tudo isso vá conversar com um paroquiano normal do bairro dele.

    Provavelmente em cada lugar ele vai ouvir coisas totalmente diferentes, não só em questões pastorais e disciplinares, mas mesmo em matéria de fé e costumes, onde deveria haver perfeita unidade.

    Tudo bem que a FSSPX está em comunhão apenas parcial com a Igreja e a teologia da libertação e o modernismo são heréticos, mas todas essas “correntes de pensamento” estão misturadas nas cabeças dos fiéis por aí, o que torna a confusão ainda maior. E nem mencionei as faculdades, seminários, grupos de estudo, etc., que muitas vezes são mais complicados ainda.

    Acontece que essa situação é inadmissível, pois a unidade de fé é um dos atributos essenciais da Igreja. Aos meus olhos, parece que essa confusão provém sobretudo da falta de catequização correta e da soberba de muitos.

    Agora, vejam só, além dessa confusão de opiniões (perda da unidade da fé), estamos assistindo também a uma oposição de certos fiéis à hierarquia visível da Igreja (perda da unidade de governo)!

    É claro que a oposição à hierarquia provém das mesmas causas geradoras da confusão doutrinária: falta de catequização correta e soberba, além de uma terceira, que é a falta de fé, como falou o Pe. Orlando.

    Na verdade estão cagando nas calças dentro do barco em meio à tempestade. Cristo pediu à S. Pedro que tivesse fé, não se lembram? Depois acalmou a tempestade.

    Não confiam na ação do Espírito que move à Igreja,
    e ainda se dizem “tradicionalistas”?

    Adoram ver as reuniões sinodais e conciliares como uma troca de favores promíscua e suja, mas se esquecem que o Espírito move à Igreja. Veem podridão em tudo, mas isso é porque eles mesmos são podres.

    Tenham fé!

    Agora, me mostrem as frases escandalosamente heréticas do Papa Francisco? Toda essa campanha contra o Santo Padre é baseada em boatos e mentiras!!

    Muitos estão contribuindo para a confusão generalizada inocentemente ou de boa fé, mas lamento dizer, estão sendo instrumentos do demônio, que deseja a divisão, o cisma, a confusão.

    Quem não ajunta comigo espalha, esqueceram?

    E ai daquele que escandalizar um dos pequeninos!

    Cuidado com os escândalos! Cuidado com o que falam da Igreja e do Santo Padre por aí…

    Não pensaram que Francisco pode estar ouvindo as opiniões diferentes para formar sua convicção, e ainda aproveitando para discernir os pastores dos lobos? Não leram o discurso pós-sinodal?

    Agora, vamos nos empenhar em reformar a nossa unidade, no dia a dia, de pouquinho. Vamos melhorar a nossa casa e a nossa paróquia antes de querer sermos árbitros do Papa.

    E se queremos mesmo resolver a questão do matrimônio, da homossexualidade, etc., vamos nos empenhar antes de tudo em valorizar a castidade.

    Sobretudo, tomemos cuidado com os escândalos.

    “De calar-te não te arrependerás nunca; de falar, muitas vezes.”

    S. Josemaria Escrivá. Caminho, 639.

    • adriano

      Viu só Sidnei, já concordamos em algumas coisas.

      Mas fique claro que não tenho nada contra os cardeais Burke, Muller, etc., pelo contrário. Penso que eles estão no lugar correto e em condições propícias para a discussão, e também gostei que as ambiguidades daquele primeiro documento foram sanadas.

      Nós podemos também nos pronunciar sobre os assuntos da Igreja, mas com muita prudência, principalmente quando dizem respeito ao Santo Padre ou questões de fé, que possam escandalizar terceiros.

      Usei a citação de S. Josemaria, porque se estivermos com dúvidas nessas matérias graves, é melhor mesmo o silêncio.

      Outra coisa: minha indignação não foi por causa dos comentários que li aqui. Na verdade, estava (e ainda estou) indignado com a cobertura de certos sites, como o fratres in unum, que parecem ter como objetivo incitar a ira dos leitores contra o Papa, baseados muitas vezes em boatos e em fontes duvidosas. É totalmente insensato!

      Por outro lado, achei muito prudentes as análises desse site e do http://www.deuslovult.org

      Um abraço!

      • Lenieverson

        Por isso, que devemos separar o joio do trigo, se este site para um ou para outro, é cheio de equívocos, deixe-o de lado. A melhor forma de lidar com certas coisas, é desprezá-las.

    • Excelente comentário, Adriano!

      Em relação à FSSPX, tenho uma novidade interessante para contar: como bons PROTESTANTES, eles já estão se dividindo em diferentes denominações! Até que tava demorando pra acontecer isso…

      http://regisaeculorumimmortali.wordpress.com/2014/07/21/surge-a-uniao-sacerdotal-marcel-lefebvre/

      Onde não há amor e reverência sincera pelo Papa, entra o espírito do maligno, o espírito de soberba e divisão. E olhaí agora… A FSSPX fez meiose! rsrs

      • adriano

        Então já temos uma FSSPX do B.. rs

        Até no jargão eles acabam se assemelhando aos protestantes.Já vi chamarem católicos fiéis de papólatras. (!!)

        Aproveitando o gancho, queria fazer uma sugestão pra Viviane e pra equipe do site.

        Vocês podiam fazer uma série de posts sobre aparições marianas… Acho que seria muito instrutivo.

        Um abraço!

    • Este foi o melhor comentário que li até agora, rs. Ele é uma extensão muito feliz daquilo que foi dito em meu primeiro comentário: mesmo os bons católicos, que desejam a fidelidade ao Sagrado Magistério, estão caindo no erro de opor o Papa à Igreja.

      Não desejo apontar as falhas – e, de fato, elas existem, o que é natural – ao longo do pontificado do Papa Francisco; porém, ainda que ele não seja um São Gregório Magno, continua sendo o ponto fundamental da unidade cristã, o sucessor legítimo de Pedro a quem devemos obediência, fidelidade e amor.

      E, neste caso, não é a FSSPX ou a “esquerda católica” (?) que deve nos apontar o caminho: é o Santo Padre, o Papa Francisco quem dá a palavra final.

      Confiemos no Espírito Santo… Pedro dorme no Horto das Oliveiras, mas Nosso Senhor permanece vigilante!

      Pax Domini!

    • Gêneto Eugenio

      Ótimo comentário, Adriano!

  • Padre Orlando Henriques

    É muito triste ver todos estes ataques contra o Papa Francisco. Será que esta gente ainda não percebeu que sem Pedro (o seu sucessor, neste caso) e sem os Apóstolos (e os seus sucessores) nada disto faz sentido? Será que não perceberam que o que faz de nós Igreja é a sucessão dos Apóstolos, é termos como CABEÇA um Papa sucessor de Pedro e um Bispo sucessor dos Apóstolos? e que sem o Papa e os Bispos não passaríamos de reles protestantes? E, se não entendem isso, pelo menos olhem para a banda desenhada que abre este post: o Papa pediu uma OPINIÃO aos Bispos (conservadores, progressistas, tradicionalistas, o que quer que sejam), mas a PALAVRA FINAL é dele.
    Viva o Papa Francisco!
    “… e as portas do inferno não levarão a melhor contra ela!”

    • Padre, que bom contar com seu reforço aqui. Porque eu realmente estou com pouca paciência para continuar argumentando neste post. Procurei colocar tudo bem didático mastigadinho, e ainda complementei nos comentários com a excelente visão do bispo brasileiro Dom Keller. Mas pouco parece ter adiantado…

      O problema é que tem uns blogs católicos por aí que incitam as pessoas contra o Papa. O mais suscetíveis acabam ficando na maior neura.

      • Padre Orlando Henriques

        Só blogues? E e-mails que tenho recebido ás carradas a dizer tudo de mal do Santo Padre!?
        Tanto querem ser “fiéis” que rejeitam a maior prova de fidelidade que é a submissão ao Santo Padre. Será que faz sentido uma Igreja “decapitada”? Ou teremos, então, uma protestantíssima “ligação directa” a Cristo?
        Esse pessoal é passadão da cabeçorra!

        • Sidnei

          Padre Orlando, Vivi Adriano, só me respondam uma coisa, mais somente uma coisa, se não for muito incomodo para vocês: se o Papa, não estou alegando que fará, mas se fará, se o Papa vier com alguma inovação perigosa para o seio da Igreja como o acolhimentos dos homossexuais sem a exigência de conversão alguma, se vier a querer distribuir a comunhão a casais de segunda união, o que devemos fazer, deveremos todos baixar a cabeça e aceitar tudo numa boa, já que devemos respeito e obediência incondicional ao Papa, e o Sr. Padre Orlando, vai dar a comunhão a casais em segunda união já que foi determinação do Papa?. Só esta questão que faço, não quero levantar mau juízo do Papa Francisco, tanto que oro por ele todos os dias e tenho como verdadeiro Sucessor de Pedro, porém, se não ele mais algum Papa no futuro vier a introduzir algo de estranho a tudo o que a Igreja ensinou até hoje, o que nós católicos devemos fazer?. Se der para responder somente esta questão eu agradeço, mas não vou aceitar nenhuma agressão verbal vinda de ninguém de quem quer que seja, pois me agrediu verbalmente, já dou o troco na hora, portanto, perguntei com o máximo respeito a todos, e espero ter a resposta com o máximo respeito também. Obrigado.

          • Padre Orlando Henriques

            Caríssimo Sidnei
            Antes de mais, quero pedir-lhe as minhas desculpas e apresentar-lhe o meu arrependimento sincero porque, reconheço, exagerei na maneira como disse as coisas. Também quero dizer-lhe, neste meu último comentário, ao fazer esses meus ferozes e desmedidos ataques, não pensava em si nem em ninguém que aqui se tenha expressado, mas sim nos tais e-mails que tenho recebido e aos quais me referia nesse mesmo comentário. Em todo o caso, aquilo que eu disse e, sobretudo, o facto de eu não ter deixado muito claro a quem dirigia, em concreto, o meu ataque naquilo que ele teve de mais desrespeitoso, deixavam em aberto essa falta de respeito para consigo e para com outros aqui, pela qual só tenho que pedir perdão.

            Sabe? Tenho recebido mensagens por e-mail que fazem do Papa alguém diabólico, a acusá-lo de ser maçónico, blasfemador (até blasfemador!), falso, herético, a classificar algumas das suas acções como rituais satânicos (veja só!), a condenar a beatificação de Paulo VI… Era a esses, que chegam a extremos de dizer isso (certamente serão sedevacantistas, ou não sei o que são a não ser hereges), que eu atacava com tanta veemência.

            Por isso, perdoe-me, por favor! Eu só quis defender o Santo Padre e dizer que sem estarmos em comunhão com ele não somos nada; a falta de respeito foi um excesso da minha parte.

            Mas, respondendo à pergunta, eu, sinceramente, não sei o que faria se, numa mera hipótese académica, o Papa permitisse o acolhimento aos homossexuais sem exigência de conversão alguma ou se permitisse distribuir a Sagrada Comunhão a casais de segunda união: é que eu, pura e simplesmente, NÃO ACREDITO que isso possa acontecer. Bem ou mal, é assim que vivo a minha fé na infalibilidade pontifícia. Os Papas até podem ter sido, por vezes, adúlteros e/ou homossexuais (como sabemos que alguns foram) mas nunca mancharam o depósito da fé promulgando esses erros da sua vida pessoal como norma para o Povo de Deus; portanto, muito menos o fará o Papa Francisco, que já deu boas provas de que, no fundo, apesar da imagem que se tem feito passar, é um grande conservador, seguindo rectamente a sã doutrina.

            Por isso, respondendo (talvez insatisfatoriamente, reconheço) eu, na minha fé, simplesmente acho que isso nunca vai acontecer. Mas posso ainda ir investigar e aprofundar esta questão, o que, aliás, me será sempre útil.

          • Sidnei

            Obrigado Pe. Orlando, é isto que eu queria saber. Quanto ao Papa liberar geral, eu acredito que ele também não vai, mas que tem um monte de gente na Igreja trabalhando para que isto aconteça tem. Do Papa Francisco eu tenho algumas queixas, porém, não vou fazer troça dele como muitos vem fazendo. O Papa é nosso Pai espiritual, porém, assim como meus pais, os quais eles tem defeitos, mas mesmo assim sendo meus pais eu devo a eles honra e respeito e amor, assim devo ter pelo Santo Padre, mas, reconheço que tem algo nele que me incomoda, assim como haviam nos papas anteriores como pro exemplo: São João Paulo II era ingênuo demais, acreditava muito na santidade de todo mundo, e não acreditava que poderia haver em algumas pessoas que pareciam santas, que havia algo de errado (vide caso fundador dos legionários de Cristo Marcial Maciel), já Bento XVI era afável de mais, tanto que deixou a cúria solta e ele não dando mais conta, chutou o pau da barraca e renunciou (esta é minha opinião quanto a renuncia de Bento XVI), já o Papa Francisco em condescendente de mais com padres, bispos e teólogos mais liberais como o pessoal da T.L., porém diante destes fatos, com relação ao Papa Francisco, não querendo fechar os olhos com relação a este fato negativo, intensifico mais orações a favor do Papa Francisco para que o ESPIRITO SANTO, o ilumine cada vez mais, e que seja sempre fiel a esposa de CRISTO a Igreja, para que saiba guia-la com sabedoria e obediência as Palavras de CRISTO, para que ao final de sua vida e ao encontrar-se com o SENHOR da messe venha ouvir DELE: “Muito bem, servo bom e fiel; já que foste fiel no pouco, eu te confiarei muito. Vem regozijar-te com teu senhor.” (São Mateus 25, 23)

          • Sidnei,
            A questão é que a maioria dos bispos sinoidais aprovou o lamentável relatório prévio do sínodo, e ainda assim ele não vingou. Fez um considerável estrago, é verdade, mas não vingou. Também nos tempos de Paulo VI, a mídia e a grande maioria dos bispos fazia grande pressão para que o Papa aprovasse o uso de anticoncepcionais. Todo o mundo já estava dando a mudança como certa, mas aí interveio uma pessoa chamada Espírito Santo, e os planos humanos melaram. Entendam: é e sempre será assim.

            Sobre isso, recomendo que leia o excelente artigo do Jorge Ferraz:
            http://www.deuslovult.org/2014/10/20/o-sinodo-e-o-homossexualismo-papa-francisco-e-o-beato-paulo-vi/

          • adriano

            Conheço muito pouco de Direito canônico, mas vou responder-lhe com base no bom senso e a partir da nossa fé. Prometo pesquisar sobre isso e se descobrir algum texto interessante logo indicarei aqui pra consulta. Se você achar alguma explicação interessante, eu agradeceria se trouxesse à discussão também.

            Então a pergunta seria: se um papa estabelecer uma regra contrária aos ensinamentos de Cristo, o que fazer?

            Antes de entrar no mérito, temos que lembrar que o conteúdo da nossa fé é de uma riqueza inesgotável, de modo que certas verdades comportam explicitações e aprofundamentos ulteriores. A Igreja conforme passa o tempo vai aprofundando a sua própria compreensão da fé.
            Disse isso pra não tomarmos uma explicitação ou aprofundamento como uma desobediência. São coisas bem diferentes.

            Agora, suponhamos uma verdadeira desobediência, tal como legitimar o homossexualismo ou – para ficar mais claro – negar a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

            Primeiro, temos de ter consciência que:

            – As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja.

            – A Igreja é sociedade humana e divina, ou seja, visível e invisível.

            Então temos garantia da assistência perene do Espírito Santo, não só invisivelmente, mas também visivelmente através da Igreja e dos seus sacramentos. O Papa é a garantia visível da unidade da fé, que se expressa no governo e na doutrina.

            Isso significa que Cristo quer que confiemos Nele por intermédio de Sua Igreja – que é seu Corpo – cuja cabeça visível é o Santo Padre.

            Então, ocorrendo qualquer confusão, seja doutrinária (negação dos dogmas da fé), de governo (surgimento de um falso papa), ou de qualquer outro tipo, temos a garantia de que a Igreja subsiste, e que por mais que a fumaça da confusão nos atrapalhe a vista, ela irá abaixar e quando isso acontecer nós teremos nossa Igreja ali, de pé.

            Veja, quando Nosso Senhor foi crucificado e morto, esse acontecimento deve ter sido motivo de grande confusão no colégio apostólico. Imagine a cabeça dos apóstolos; eles deviam estar achando que tinha sido tudo em vão, que era tudo uma ilusão.

            Mas a confusão durou pouco. Bem aventurados os que perseveraram. Bem aventurada a Virgem Maria.

            Diz no catecismo (no comentário à passagem do Credo: CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA), que a Igreja segue a mesma sorte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

            Eu entendo, com base nessa passagem, que no final dos tempos ela sofrerá intensamente, e em certo momento será praticamente destruída, mas os que perseverarem verão seu ressurgimento glorioso na Jerusalém celeste.

            Os que perseverarem!

            Quando a fumaça encobrir a Igreja visível a confusão será grande, pois a nossa unidade será gravemente abalada. Mas os que perseverarem na unidade serão bem aventurados.

            Temos ainda a garantia de que com o restabelecimento da Igreja tudo será esclarecido, seja mediante o seu restabelecimento visível na terra, seja o seu restabelecimento definitivo no céu.

            Em suma, a resposta: manter-se em unidade mística com o corpo de Cristo, confiante que logo tudo se restabelecerá.

            ISSO TUDO QUE FALEI SE APLICARIA NO CASO DE UMA CONFUSÃO DOUTRINÁRIA OU DE GOVERNO GRAVE, ONDE UM FIEL COMUM NÃO TEM CONDIÇÕES DE AVALIAR A SITUAÇÃO.

            EVIDENTEMENTE NADA DISSO ESTÁ ACONTECENDO, POIS TEMOS UM PAPA E NOSSO DEPÓSITO DA FÉ ESTÁ INTACTO.

            QUANDO DIGO CASO GRAVE ME REFIRO A UM CISMA TÃO GRAVE QUE NÃO SOUBÉSSEMOS QUAL É O LADO CERTO, OU A PROCLAMAÇÃO DE UM “DOGMA” OSTENSIVAMENTE HERÉTICO POR UM FALSO PAPA.

            GRAÇAS A DEUS NADA DISSO ESTÁ ACONTECENDO, PORTANTO APROVEITEMOS ESTE MOMENTO DE UNIDADE.

            SOMOS FELIZES E NÃO SABEMOS.

            Como falei antes, não conheço de Direito Canônico: tudo o que disse foi a partir dos fundamentos da nossa fé.

            Gostaria de ouvir também a sua compreensão a respeito dessa situação, assim como a de todos os outros que quiserem comentar.

            Um abraço!

          • Sidnei

            Adriano, eu tinha dado uma opinião sobre isto a este respeito, nesta semana mesmo, se não me engano no mesmo dia que saiu esta postagem, mas não estou mais encontrando minha mensagem aqui, mas vou repetir novamente, se algo acontecer desta magnitude na Igreja, nós fieis católicos temos que olhas para os três pilares de nossa fé que são: As Sagadas Escrituras, a Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério de Igreja. Tudo o que foi ensinado até hoje por este três pilares é que são válidos, qualquer Papa que vier com algum inovação perigosa que contradiga a tudo o que esta escrito nas Sagradas Escrituras, e tudo o que foi transmitido pela Sagrada Tradição e a tudo o que foi ensinado pelo Sagrado Magistério da Igreja, deverá ser rechaçada. Porém nós como fies a CRISTO e reconhecendo na figura do Papa o doce CRISTO na terra, não devemos abandona-lo, mas, reforçar nossas orações para que algum Papa que vier com alguma inovação perigosa, possa recobrar o juízo e a vir a trilhar novamente nos caminhos de tudo o que foi: escrito, transmitido e ensinado pelos três pilares de nossa fé, repetindo, que são: As Sagradas Escrituras, a Sagrada Traição e o Sagrado Magistério da Igreja. Finalizando, esta é minha opinião.

  • Padre Orlando Henriques

    As fontes da Revelação são três: Bíblia, Tradição e Magistério.
    O testemunho das três é condizente, sem contradições. Acho que não faz sentido dizer que estas três fontes afirmam coisas diferentes. Quem diz isso são os protestantes.
    Viva o Papa!

  • Juliano Fleith

    Nós precisamos de uma igreja acolhedora, mais humana, creio que seja esse o objetivo do Papa. Não usar de misericórdia e amor ao próximo também é pecado, pelo o que eu saiba; vejam bem, misericórdia e amor não tem nada a ver em concordar com coisas erradas.

  • Antonio dos Santos Junior

    Gostei muito da matéria e achei muito esclarecedor. Confesso que ao ouvir tanta asneira da mídia a gente acaba confuso. Mas graças ao Espírito Santo não me rendo a comentários maldosos. Viva a nossa Igreja.

  • Luís

    resumo da história: o malvado cardeal Burke e seus amigos andam inquinando os santos projectos do bondoso cardeal kasper e quejandos e assim a Igreja não vai para a frente e continua cheia de mofo. Felizmente que o grande papa Francisco teve a coragem suficiente para pôr o malvado Burke no seu lugar.

  • Lenieverson

    A Carta aos Hebreus, capítulo 13, versículo 8º, diz que “Jesus é o mesmo ontem, hoje e sempre”. Nota-se que o texto é claro: Jesus é a atemporal. Mas e a sua mensagem é temporal ou atemporal? Essa é a pergunta que sempre nos vem, principalmente quando discutimos temáticas como essa da postagem sobre os sínodos das famílias. Há um trecho dela que nos lembra duma passagem do Evangelho de São Lucas, que diz: “Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” (Lc 21,33).

    A Bíblia, a doutrina, dogmas e companhia ilimitada são coisas que não deveriam, em tese, estarem sujeitas a reinterpretações ao sabor dos ventos, das “mudanças” de costumes, etc. Ao longo dos tempos, há perguntas de ordem filosófica, que devem ser respondidas: É o homem que deve se curvar ao Evangelho ou o Evangelho ao Homem? Deus deve servir aos homens ou os homens a Deus? O Homem deve mandar em Deus ou Deus deve mandar no Homem? A Doutrina tem de se ajustar aos Homens ou os Homens tem de se ajustar a Doutrina?

    O Evangelho de São João, Capítulo 3, versículo 30, diz que “Deus tem de crescer e nós – homens e mulheres – temos que nos diminuir”. Santa Teresinha do Menino Jesus acompanhava essa ideia dizendo que “aquilo que mais agradava a ela era o amor à pequenez dela”.

    Eu não me lembro de onde está escrito na Bíblia, mas há uma frase lá que diz “o servo não pode ser maior que o Senhor”. Essa passagem, como a de São João descrita acima, mostra que o homem deve seguir aquele princípio “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

    Quando uma ala da humanidade, seja aquela que dirige os meios de comunicação, seja aquela que pertence a “nata” da intelectualidade, quer que a Igreja mude seus costumes para se ajustar ao mundo ‘pós-moderno’, significa mostrar e demonstrar uma inversão de papeis, onde o homem – ou a humanidade – quer assumir o papel de Deus, dizendo o que Ele tem ou não de fazer.

    Nas questões mais “polêmicas” do Sínodo, como, por exemplo, a união civil de pessoas do mesmo sexo e a questão da segunda união, nós devemos examinar algumas coisas obvias: Se pegarmos as passagens de Gn 1,27 e Mateus 19, 3-6, que, dentre outras, justificam respectivamente a posição doutrinal da Igreja, sobre a heteronormatividade e a indissolubilidade matrimonial, podemos perceber, de forma clara e inequívoca, os fundamentos da mesma.

    Ora, se “Jesus é o mesmo, ontem e sempre” e, “as palavras d´Ele, não passam”, como podemos ou pode-se cogitar em mudanças de interpretação, porque um ou outro, uns ou outros, assim desejam. E mais: isso infringe a Ideia do “crer e converter ao Evangelho” e fomenta muitos subjetivismos.

    Sim, apesar de tudo isso, como pessoas, e, sobretudo como cristãos que somos, nós não devemos fechar os olhos para certas realidades e nuances familiares que existem na atualidade. Não podemos negar a caridade e a misericórdia aos gays e aos casais de segunda união, até mesmo porque, essas pessoas são tão humanas e pecadoras quanto nós.
    É preciso sempre lembrar, que no texto de Mateus 5, 17, Jesus vem, não para abolir à lei, mas sim para nos ensinar que o melhor vínculo é o da perfeição, ou seja, o da misericórdia. E é aí, que está o problema, sobretudo da mídia e certas alas da sociedade. Confunde-se misericórdia, com o passar a mão na cabeça, aceitar naturalmente as coisas, deixar de ver certas coisas, como pecado e “liberar geral”.

    Os artigos do Catecismo da Igreja Católica 2357, 2358, 2359 e os artigos do mesmo catecismo 1649, 1650 e 1651, que falam respectivamente do homossexualismo e a questão dos divorciados, consideram, em comum, a relação do repúdio ao pecado, mas amando o pecador, sendo que, em hipótese alguma excluindo da vida eclesial.

    Se biblicamente e doutrinalmente as questões referentes aos pontos “polêmicos” são estes, e me parecem de bom tom, mudar para quê? Se a questão, como muito bem reforçou a postagem, é a mudança no ‘agir pastoral’, porque ao invés de ficarem na política do “se reunir, se reunir, para no fim, ficar mais ou menos do jeito que está”, porque não focam, especificamente, em como lidar com essas pessoas dentro na Igreja, aproveitando exemplos, como o do ‘Courage Brasil’? Seria melhor, menos descomplicado e não daria margem a má interpretação da mídia e dos tais moderninhos da Igreja.

  • Kriss Abreu

    Obrigada pela informação. A mídia distorce tanto e quase não temos fontes seguras par poder contradizer os colegas que nos atacam em relação ao Sínodo.

  • Em toda a história da Igreja, sempre teve gente (leigos, bispos, etc.) que tentou acabar com nossa fé; divulgando heresias. Porém a cabeça invisível, que é Jesus, não deixou e não deixará de conduzir nossa barca através da cabeça visível que atualmente é o Papa Francisco, legitimo sucessor do apóstolo Pedro. Sempre foi assim e sempre será até o fim dos tempos.

    Como o post já apresentou a Sã Doutrina não será alterada. O Sínodo da Família resultará em ações pastorais. Os casais de segunda união precisam viver a comunhão espiritual e os homossexuais a viver a castidade segundo sua condição, mas eles precisam de ajuda da comunidade para isso. Na verdade para viver a fé, todos nós precisamos da Santa Igreja; que deve acolher a todos que desejam viver este testemunho.

    Rezemos muito pelo Papa e Bispos sem esquecer o principal, um verdadeiro exercício de fé: a confiança no Magistério do Espírito Santo.

    E mais uma vez, parabéns à toda equipe do blog.

  • João Pires

    Caríssimos da equipe d´O Catequista, não tem nada a ver com o sínodo, mas li uma notícia sobre o Papa que me deixou em extrema confusão:

    http://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-considera-inaceitavel-para-um-cristao-apoiar-a-pena-de-morte-63928/

    Pergunto, sem querer causar polêmica, porque amo nosso Papa e estou longe de ser um rad-trad procurador de pelo em ovo, mas com uma sincera dúvida: Isso não está em conflito com o item 2267 do catecismo (http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s2cap2_2196-2557_po.html) no qual é realçado que a pena de morte deve ser evitada ao máximo nos dias de hoje, mas ainda é um recurso aceitável em casos extremos?

  • O post é bem esclarecedor como sempre. Não sei se tem algum comentário parecido, pois são muitos e não os li por completo, mas nem todas as notícias sobre o sínodo podem ser descartadas. Vi no site do acidigital, que por sinal é o que eu mais leio, e fiz um resumo no meu blog. O nosso papa realmente dá um pouco de trabalho ao seu porta voz (rs).

    Como é?????

    Padres pedem mudança no documento do Sínodo.

    Os bispos reunidos no Sínodo pediram mudanças sérias no documento de trabalho do Sínodo da Família, no Vaticano. Os padres ficaram perplexos com a publicação, pois o documento não expressa a opinião única dos mesmos.

    Isso é um prato cheio para a imprensa que costuma distorcer o que o nosso querido Papa fala. Dando um trabalho enorme para os porta-vozes do Vaticano, onde têm que desmentir ou amenizar as polêmicas feitas pelo Papa.

    Vejamos alguns itens:

    – Um grupo lamentou a péssima tradução no documento e a ausência da saudação a todas as famílias cristãs que vivem a fidelidade e o testemunho do Evangelho.

    – Outro grupo advertiu a falta da mensagem positiva do Evangelho, provavelmente por ser a preocupação pastoral da conferência no mundo atual, acreditando que seja indispensável insistir sobre elementos doutrinários básicos, evitando magistério paralelo.

    – Faltou dar ênfase a termos importantes como o aborto, o amplo fenômeno da adoção e homossexualidade.

    – Se pediu mais atenção aos divorciados que não voltaram a se casar. Chamados de heróis da fidelidade ao matrimonio.

    – Reiteraram a “impossibilidade” de equiparar as uniões homossexuais ao matrimonio entre homem e mulher. O acompanhamento pastoral a pessoas com tendências homossexual protegendo sua dignidade humana, sem que pareça uma aprovação da Igreja a sua orientação sexual.

    – Houve duas posturas sobre a comunhão para casais de segunda união: A primeira: Não se deve modificar a doutrina. A segunda: Abrir a possibilidade de conceder a comunhão, mas se cumpridas umas condições determinadas. Ademais se pediu um aprofundamento no conceito de “comunhão espiritual” para que seja promovido e difundido.

    Enfim, os bispos afirmaram que a Igreja seja uma casa de acolhida. Entretanto, pediram mais clareza no texto para evitar confusões, vacilações e eufemismos na linguagem .

    E viva os conservadores!!

    Luciana Dias

    Fonte: Aci Digital

  • Danilo Bezerra

    O que me preocupa:
    http://www.capela.org.br/Crise/salette.htm

    Quando a mensagem de La Salette indica que Roma perderá a fé, como devemos encarar?

    A Catequista poderia me indicar um bom livro sobre esta aparição de Nossa Senhora e sua mensagem?
    No mais, rezemos e rezemos pela Igreja, nunca fará mal.

  • Prezados,

    Escrevemos primeiramente para agradecer a lembrança do nosso trabalho.

    Depois, pedimos licença aos moderadores do site “O catequista” para fazer um apelo aos leitores, que sabemos serem de grande número entre leigos e sacerdotes.

    Temos uma equipe muitíssimo reduzida e dependemos muito da adesão dos padres e leigos para avançarmos nosso trabalho e, no Brasil, isso não acontece, infelizmente.

    As pessoas acham bonita a existência do Courage, nos escrevem elogiando o trabalho, acompanham o nosso site que já contam com uma marca de quase 100 000 visualizações.

    Tudo isso é muito bom; no entanto, ninguém se oferece para comprometer a própria vida em evangelizar esse público e os trata, a priori, como se elas não existissem ou como o levita da parábola do bom Samaritano, ou seja, passando ao largo e esperando que alguém socorra essas pessoas. (E não estamos falando em modo metafórico, mas a verdade pura. Desde 2009, recebemos centenas de elogios via e-mail, mas somente 1 única pessoa se dispondo a nos ajudar).

    As pessoas que tem atração pelo mesmo sexo, muitas vezes, fazem parte dos mesmos grupos/movimentos/novas comunidades que vocês e sofrem em silêncio e normalmente sozinhas, querem ser castas e querem buscar a santidade, mas precisam de ajuda.

    Meus caros, os anjos não podem fazer o trabalho pastoral de ajuda às pessoas com AMS e elogio é bom, mas não ajuda a salvar a alma de ninguém, não ajuda ninguém a caminhar em busca da castidade e da santidade. Por isso, pedimos encarecidamente:

    — Os leigos, que tiverem vontade e disposição, escrevam-nos. Precisamos de pessoas para nossos ministérios de intercessão, de acompanhamento, de tradução de material (pois quase nada há em nossa língua pátria sobre o tema e o que há é material enganoso).

    — Senhores Padres, precisamos do vosso apoio e da vossa ajuda. Sem padres o Courage não tem como implantar células nas dioceses, pois a vossa ajuda é primordial para o crescimento espiritual dos membros na castidade e na busca pela santidade.

    Por fim, aproveitamos a oportunidade e esclarecemos que o Courage atualmente está presente na Arquidiocese de São Paulo e na Arquidiocese do Rio de Janeiro e todos aqueles que sofrem com a cruz da atração pelo mesmo sexo, fiquem a vontade de nos escrever para os endereços: sampa@couragebrasil.com e rio_janeiro@couragebrasil.com, respectivamente.

    Os que sofrem com essa cruz, mas não estão em São Paulo ou no Rio de Janeiro e quiserem ser acompanhados individualmente podem escrever para o contato@couragebrasil.com

    Por motivos óbvios, o nosso trabalho não pode divulgar abertamente os locais onde as reuniões acontecem, mas o fato é que estamos a disposição para ajudar a todos que querem ser castos e santos como a Igreja exorta.

    Para quem estiver disposto a nos ajudar, sejam leigos ou sacerdotes, escrevam para o contato@couragebrasil.com

    Em Cristo,

    Seus irmãos do Courage Brasil.

  • Arlindo

    Eu não apoio tais iniciativas de discutir assuntos polêmicos tão abertamente quando o catolicismo está nesse estado .O papa Francisco comete os erros pastorais de sempre,parece um novo PAULO VI ,porém .ele é o papa,foi escolhido validamente e apesar de suas limitações é uma autoridade que devemos respeito ,devemos confiar na promessa de Cristo que não abandonaria a Igreja.

    Papa Francisco representa o clero dos últimos tempos,rebelde,falante,mas pouco hábil em lidar com a perda de importância social da Igreja.Acredito que ele ainda viva nos anos 70 ,na utopia de uma Nova Primavera na Igreja.Papa Francisco ,com sua posições ruins em governo da Igreja,mas totalmente ortodoxas em doutrina me fizeram me convencer que tenho que começar a ser catolico do zero.Reaprender a ser catolico ,restruturar ,voltar-se a Tradição ,ao Magisterio e aS FONTES BÍBLICAS.

    Começamos criticando o “tradicionalismo ,a “Teologia do Dentzinger”,ao “ritualismo” trentino e onde paramos?Divisões,seitas,apostasia,abusos liturgicos. Ao contrario dos Levefristas,acredito que ao invés de sair da Igreja,agora que devemos grudar mais que um carrapato.é UMA QUESTÃO DE HONRA fazer um catolicismo não-progressista.

    O papa poderia liberar a comunhão para adúlteros em segunda união civil e até mesmo para pecadores graves,pois são normas disciplinares.A proposta de cardeal Kasper é apenas de permitir a comunhão,apos um percurso penitencial sem com isso mudar a doutrina,pois seria uma forma de misericordia com as pessoas em tal situação.Detestei a proposta desse cardeal e achei o discurso de fechamento do sínodo extraordinario do papa muito ingenuo.Parece que não passamos pelas decadas de 60,70,80 ,90 e 2000.Francisco é o papa mais adequado para Igreja,apesar de ser muito pouco esperto para desvendar os perigos de certas atitudes.

    A Grande diferença entre os papas é que todos os papas até Francisco sabiam como era o catolicismo antes do Concilio Vaticano II,que era um catolicismo da Contra-Reforma de tensão.Os seminaristas e padres se portavam com um tensão entre catolicidade e o mundo moderno,ou seja,setava claro que o Mundio Moderno estava em desacordo com a Igreja.Já após o Concilio se tentou conciliar o mundo Moderno a catolicidade.Por isso,todos os papas antes de Francisco sempre avançavam e logo percebiam algo errado.Paulo VI com sua Reforma do Missal e depois com a fumaça de Satanás.João Paulo II com seu apoio as CEBs e depois condenação da Teologia da Libertação.Bento XVI e seu pessimismo acerca do catolicismo no Mundo Moderno.Para o atual papa não há crise,esse pontífice é incapaz de ver a crise da Igreja,pois ele se formou nela e para ele a Igreja sempre foi assim.Por isso ele fala que nunca a Igreja esteve tão bem,ele realmente crê nisso. .Nesse ponto de vista ,pessoas como Burke,Padre Paulo Ricardo são exageradas.

    Quando papa Francisco age,lembra-se logo dos bispos desbatinados da CNBB e sua incapacidade de enxergar a crise atual.Pegue os bispos do Brasil s,tire os conservadores e vc terá o que pensa o papa Francisco.O papa não ver um mundo contra o catolicismo,a tendencia dele ,como foi dos padres ,teologos é de se voltar contra os elementos pré-Vaticano II como pastoralmente superados.Na cabeça desse papa a luta não é contra o Mundo Moderno,mas contra elementos conservadores que carregam o passado na evangelização.Para ele,a Contra-Reforma está superada e agora deve-se entrar em uma epoca de dialogo com o Mundo Moderno

  • Arlindo

    Sidnei ,acredito que o papa quer mudança em alguns pontos disciplinares e o fato dele colocar determinados cardeais e suas atitudes indicam que ele não gosta muito dos tradicionalistas.Ele demonstra pensar que essas pessoas que falam em ameaças contra familia e são mais inflexiveis ,advogando uma guerra cultural ,são exageradas.Sjamos francos ,o papa não enxerga o mundo como um embate entre Mundo moderno e catolicismo.Ele tenta conciliar os dois

    • Sidnei

      JESUS, como se vai conciliar o mundo moderno com a Igreja, não tem como. O mundo moderno prega algo totalmente diferente da Igreja, é o aborto, o casamento gay, o divórcio, as uniões irregulares, e por aí afora, como se vai conciliar isto com tudo o que a Igreja ensinou até hoje?. Acredito que o Papa Francisco não seja mau intencionado, mas que ele é tão ingênuo nesta matéria, como foi o Papa São João Paulo II que era ingênuo com respeito a acreditar na santidade dos outros, face aos fatos que se denunciavam na Igreja e vieram a provocar em vários escândalos (pedofilia, caso Marciel Maciel), agora o Papa Francisco esta sendo ingênuo em acreditar que pode conciliar o mundo moderno com a Igreja. Temos que intensificar ainda mais nossas orações ao Papa Francisco, porque a coisa esta feia.

  • Vinicius Galvão

    Acabei de entra numa discussão de fé vs Ciência(algo que eu não queria, pois só tava acrescentando uma informação de uma amiga, que foi hostil comigo) e para provar que a Igreja tava se modernizava me enviaram o link do G1 falando que a Igreja tava aprovando casamento gay e casais divorciados e graças a vocês eu pude rebater! Muito obrigado por manter nós católicos sempre informados perante essa mídia que adorar caluniar e inventar coisas sobre a Igreja!

  • Paulo

    Como um Sínodo nada decide, mas uma espécie de consulta onde cada um dá suas opiniões acerca do tema, espero apenas que jamais prevaleçam o Card. Kasper, Forte etc., que dizia que teria supostamente apoio do papa Francisco, por sinal modernista e apoiador de liberalismo homossexualista e dos em re-uniões, inclusive recebendo a S Comunhão, condenando-se mais rapidamente com esse sacrilégio!
    Acho que o Fratres retransmite a matéria de muitas opiniões de ligados ás questões do Vaticano e v pode concordar ou discordar!

  • Isabel Carolina

    Eu acho que essas pessoas que dizem que o Papa não pode cometer erros, que devemos ficar pianinhos e achar que está tudo bem, tambem condenariam Santo Atanasio e louvariam o Papa Libério por excomunga-lo e aprovar o credo ariano. E dái que o papa não falou ex cathedra ? ele ainda tá errado. O papa recebeu no vaticano o MST e mais 20 grupos marxistas e os louvou, dizendo que estavam sendo cristãos e que lutar por movimentos sociais e contra os ricos é ser cristão E ai, Catequista, vai dizer que o Francisco deturpou Francisco ? e condenou a pena de morte, sendo que no catecismo tem dito que não.. que em alguns casos pode ser.O Padre Paulo Ricardo disse que devemos lutar contra padres, bispos e até papas para defender a fé,na aula da Igreja Antiga, quando falava do Papa Libério.Pois é. Vocês não querem admitir que Francisco não está conduzindo as ovelhas direito e que ele está falando coisas erradas mas ele está.E o quanto antes você admitir isso, será melhor.

    • Sidnei

      Alguém aqui do Catequista poderia dar uma resposta a Izabel carolina, por favor, ou a pergunta dela vai ficar no vacuo?.

    • Padre Orlando Henriques

      Desconhecia (ou, pelo menos, já não me recordava) esta polémica do Papa Libério, mas fui investigar e descobri coisas interessantes.

      Mas, antes de mais, permita-me que lhe diga que estar em comunhão com o Papa não quer dizer, necessariamente, “ficar pianinho”, e, quanto a isso, o exemplo vem-nos de uma Santa: S. Catarina de Sena, que não foi “pianinha” na hora de chamar a atenção do Papa para ir para Roma ocupar o seu devido lugar como sucessor de Pedro. No entanto, embora actuando de forma enérgica, sempre movida pelo ESPÍRITO DE CARIDADE E DE COMUNHÃO COM O SANTO PADRE! Aqui os Catequistas ilustram uma das suas publicações com esse exemplo: http://ocatequista.com.br/archives/11130

      A excomunhão que o Papa Libério fez de S. Atanásio não foi por causa de ele defender a fé católica, mas sim por se recusar a comparecer perante o Papa para responder às acusações que bispos arianos levantaram contra ele. Santo Atanásio temia que as coisas corressem mal para o seu lado e não foi; o Papa tê-lo-ia excomungado por isso, por não ter compareceido. Posso estar errado, mas, pelo menos, foi isso que percebi da leitura da “História dos Papas” de Maurice Lachatre, que, nesse aspecto, é insuspeito, pois era um autor completamente anti-Igreja e a sua “História dos Papas” está distorcida pelo seu ferocíssimo ódio anti-clerical desde o início até ao fim. Mas o próprio Lachatre revela que, após um grande número de bispos egípcios terem manifestado o apoio a Santo Atanásio, Libério logo escreveu a Santo Atanásio com amizade e simpatia, porque, aliás, eram amigos (Lachatre não esclarece se levantou a excomunhão ou não; suponho que sim, mas talvez não interessasse muito a um anti-clerical deixar isso esclarecido). Também há quem diga que o que houve “não foi exactamente” uma excomunhão, mas isso é informação incerta, acerca da qual não encontrei documentação. Seja como for, lendo Lachatre ficamos com a ideia de que a excomunhão se deveu à “rebeldia” de não querer comparecer perante o Papa, e não por ser fiel à verdadeira fé. Portanto, se essa excomunhão, em concreto, fosse motivo para negar a infalibilidade e a ortodoxia do Papa, com certeza que o verrinoso Lachatre não deixaria escapar essa oportunidade.
      Aquilo com que Lachatre e outros costumam pegar, isso sim, é com uma declaração de fé alegadamente ariana que o Papa Libério teria feito no seu exílio na Trácia, para onde o imperador Constâncio o mandou.
      Segundo alguns, o Papa teria assinado uma profissão de fé “neutra”, sem a palavra “consubstancial”, o que seria uma fórmula ambígua, que tanto permitiria a interpretação ortodoxa como heterodoxa; segundo outros, ele teria mesmo assinado uma profissão de fé ariana. Como diz o Paulo Ricardo, aqui do blog “O Catequista”, o que aconteceu foi um bocado obscuro, como podemos ver aqui: http://ocatequista.com.br/archives/1467

      De qualquer das formas, há que ver que o Papa assinou aquilo que assinou (o que quer que tenha sido) SOB COACÇÃO (física e psicológica). Um acto desses é válido? O homens do Direito saberão dizê-lo, especialmente os canonistas, mas a mim parece-me que uma declaração de fé feita sob cocção, quer seja ambígua quer seja mesmo declaradamente herética, não é válida nem representa qualquer apostasia, nem sequer no que diz respeito à opinião pessoal (do Papa ou seja de quem for), muito menos quanto à infalibilidade pontifícia.
      Podemos achar que o Papa deveria ter sido tão forte como S. Atanásio e não ter cedido… pois, mas cedeu: é que ele não foi sozinho para o exílio, mas foi com ele um bispo ariano e uma série de arianos para o controlarem e azucrinarem… Deve ter sido um tempo de pressão terrível, “Constante” (como o imperador…), cheio das piores ameaças, uma situação de coacção que (penso que é claro) invalida qualquer declaração que ele pudesse ter feito nesse período.
      Não foi fácil, quer no exílio, quer antes, quer depois, porque o imperador Constante era mesmo ariano ferranho e toda a sua acção foi de promoção da heresia e de perseguição à fé católica!

      Além disso, basta ver: o que é que Libério fez mal se apanhou livre do desterro e da coacção a que lá estava sujeito? Por-se do lado da verdadeira fé e contra a heresia ariana! Aliás, tirando esse gesto duvidoso em que cedeu à pressão a que estava sujeito no exílio, TODA A SUA VIDA FOI ESTAR DO LADO DA FÉ CATÓLICA E CONDENAR O ARIANISMO!

      Tendo isto presente, acho que é mesmo difícil ver em Libério um Papa herege e adversário da fé verdadeira e de S. Atanásio. A confusão deve-se, ao que me parece, à acção do imperador. Preso pelo imperador em Milão, o Papa disse: «Mesmo que eu fique sozinho, nem por isso diminui a razão que defendo: a fé e unidade da Igreja» (citado por Heitor Morais, SJ, em “História dos Papas”, pág. 60).

      O Padre Heitor Morais, SJ, na sua “História dos Papas” chega mesmo a dizer: «Libério, à frente da cristandade de Roma, consegue resistir ao maior de todos os perigos para a Igreja, em toda a sua curta história: o perigo de uma heresia colectiva.» (pág. 62).
      Também encontrei este artigo: http://www.deuslovult.org/2009/02/16/papa-liberio-patrick-madrid/

  • Geraldo

    Isabel Carolina:
    Mas que o S padre Francisco tem sido econômico em alguns assuntos nas suas entrevistas de condenar erros é fato, a começar que os que o louvam detestavam e ainda se mantêm contra o saudoso Bento XVI, que em seus pronunciamentos não deixava margem para ser reinterpretado de forma relativista, jamais, era corretíssimo ao extremo.
    De fato, era e é odiado pelos inimigos da Igreja e bastou sair(?) para que as denuncias contra a Igreja praticamente cessassem!.
    Confira as radicais diferenças entre um e outro, a começar dos adeptos, como a mídia globalista, revistas gays, Elton John, recebendo no Vaticano as milícias marxistas (vulgo movimentos sociais) até o cocaleiro Evo Morais e o “anjo da guarda” dos laranjais e da destruição de propriedades alheias, o jagunço comunista Stédile!
    Bem disse o Atanasio brasileiro D Manuel Pestana no prefacio do mais famoso exorcista do Vaticano Pe Gabrielle Amorth que o diabo estava é de corpo inteiro no Vaticano!
    Deduzindo que estaria agindo via uns Kaspers e associados e mais suspeitos de serem membros da régua e compasso!!

  • Daniel Ribeiro

    Boa Tarde,
    Gostei demais deste post. Gostaria de saber aonde eu posso encontrar alguma frase ou pronunciamento legítimo (não esses tendenciosos da mídia) do Papa Francisco mostrando que ele não é favorável à união gay. Na minha Paróquia tem algumas pessoas que usam esse meio da mídia para promover a mentira de que ele vai aprovar o casamento gay na Igreja. Quero mostrar para eles o contrário.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>