Roupa de Missa: dicas pra não irritar a Dorotéia

doroteia_batacla

“Deus não olha as nossas roupas. Ele só se importa com o nosso coração”. Essa é uma meia verdade. Deus não liga para as nossas roupas, mas se importa muito, isso sim, com as intenções que temos ao nos vestir, e com o que sinalizamos para as demais pessoas com o nosso visual.

Se você é daqueles que diz quer não importa a roupa que a pessoa veste, mas sim o seu caráter, eu te faço um desafio: seja homem ou mulher, vá numa entrevista de emprego ou a um casamento de um amigo vestido com camiseta regata, short e chinelo. Topa?

Proponho também um exercício imaginativo: você está tranquilão na laje, todo melecado com óleo, pegando um bronze de sunga (se for homem) ou de maiô (se for menina). De repente, do meio das nuvens, soa uma voz como de trovão, dando a notícia bombástica: “Jesus está voltando! Ele vem te visitar!”. Duvido que você resistirá ao impulso quase que imediato de vestir uma roupa mais composta, em consideração ao Senhor.

A forma como um cristão se veste não é primordial; mas nem por isso a questão deixa de ser importante. Ainda mais quando se trata da roupa com que vamos visitar Jesus na igreja. Recato é bom e Deus gosta!

O sacerdote não sobe ao altar se não estiver coberto com as vestes sagradas, por causa do grande respeito que deve ao Divino Jesus e à sua função sacerdotal. E quanto a nós? Queremos participar da missa vestidos de qualquer jeito? Valei-nos, Jesus, Maria e José!

doroteia

Muitos leitores têm nos pedido informações sobre a roupa adequada para entrar no templo e, em especial, para participar da Santa Missa. Então, damos aqui algumas orientações, partindo basicamente do padrão exigido pelo Vaticano.

vaticano_roupa

A placa acima informa o tipo de trajes permitidos e proibidos para o acesso ao Museu Vaticano, à Capela Sistina e à Basílica de São Pedro. Tá desenhado, mas vamos descrever…

MULHERES:

  • É proibida a entrada com decotões, blusas sem mangas, saias curtas ou shorts.
  • Barriga de fora, nem pensar!
  • Devem usar blusa de manga (pode ser manga curta), saia ou bermuda na altura dos joelhos, no mínimo.
  • Pode haver decote na blusa, desde que seja discreto.

HOMENS:

  • É proibida a entrada com blusas sem mangas e bermudas.
  • Devem usar calça e blusa de manga curta, ao menos.
  • Nem precisa dizer que barriga de fora não rola, néam?

indios_criancasFaz todo o sentido que as igrejas locais de todo o mundo eduquem os fiéis a adotarem esses padrões de vestimenta. Contudo, as realidades locais podem admitir variações sobre esse padrão. Por exemplo: numa comunidade indígena, não é imoral que os nativos participem da missa vestidos somente com tangas.

Atenção, meninas da civilização: não venham com esse papo de que vocês têm ascendência indígena, pra entrar na igreja sensualizando. É bem capaz de vocês receberem um castigo dos Céus, ficando com as tetas caídas que nem as das índias!

Em algumas dioceses, os padres consideram tolerável que os homens usem bermudões para entrar na igreja. No Rio de Janeiro, por exemplo, bermudão na altura dos joelhos é praticamente o uniforme do domingo. Então, é compreensível que a pessoa esteja na casa de um familiar ou em uma atividade de lazer, e de lá vá direto pra missa.

Bermudão pra homem é o traje ideal para a missa? Não, mas, em certas regiões, é tolerável. Os homens que não estejam com calças, porém, não devem ser convocados para exercer funções no presbitério: leituras, apoio da patena etc. Mas, caso esteja recebendo o Sacramento do Batismo ou Crisma (ou se for padrinho), o homem deverá necessariamente estar de calças.

leggingQuanto às mulheres, podem usar calça na missa, desde que não seja daquelas que exaltam o formato das suas “coisas” na frente e atrás. Se estiver de legging, vale usar uma blusa longa por cima, cobrindo o que se deve.

E, em todo o lugar, as NOIVAS mandam muito mal: muitas entram na igreja com o colo completamente nu, ou então usam um decote que deixa os peitos saltando. Meninas, se vocês optarem por um vestido tomara-que-caia ou sem mangas para o dia do casamento, providenciem um bolero pra cobrir as costas e ombros durante o rito (isso vale também pras madrinhas e convidadas).

Se a pessoa já foi caridosamente advertida, e ainda assim insiste em continuar a entrar na igreja em trajes inapropriados, o padre tem até mesmo o direito de lhe negar a comunhão, conforme a exortação do Cardeal Sbaretti, de 1930. Porém, esse tipo de advertência é cada vez mais rara: em nossas paróquias, domina o silêncio e a aparente indiferença dos sacerdotes sobre o problema.

Especialmente o clero e os catequistas não devem ser omissos, mas lembremos que a conscientização dos fiéis sobre os trajes na igreja é mais eficaz quando feita com tato, em vez de duras repreensões. Até porque a maioria não erra nesse ponto por maldade, mas sim pela falta de uma devida catequese. Esse tato, é claro, não necessariamente inclui o nosso blog… A nossa catequese é de boteco!

quenga_noiva

80 comments to Roupa de Missa: dicas pra não irritar a Dorotéia

  • Importante também dizer que nos dias de frio, cuidado pra não colocar muito couro colado porque chama atenção de uma forma negativa.

  • Rad Trad

    Calça pode?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Juliano A.R.P

    URGENTE!!! TRẼS LEIS QUE AMEAÇAM A FAMÍLIA E OS CRISTÃOS SERÃO VOTADAS NESTA SEMANA
    PLN 122
    Na última quarta-feira (dia 11/12), em razão de uma manobra do governo, a votação do PL 122 teve de ser adiada outra vez. Sendo assim, o projeto será definitivamente votado esta próxima quarta, dia 18/12.

    Gostaríamos de relembrar quais serão as principais consequências da aprovação desse projeto:

    1. Oficialização da Ideologia de Gênero em nossa legislação, ou seja, a subversão da estrutura familiar será institucionalizada. Com as palavras: “ORIENTAÇÃO SEXUAL E GÊNERO” querem desconstruir o modelo natural de família (homem/mulher e filhos).
    2. A perversão das crianças será justificada usando tais termos. Aliás, querem mudar o atual crime de pedofilia, no Código Penal, que é de 14 anos, para 12 anos…
    3. Nada poderá barrar a distribuição de “kits gays” nas escolas do país. Qualquer crítica a eles será considerada crime.
    4. O PL 122 irá criminalizar a simples manifestação a favor dos valores tradicionais da moralidade e da família.
    5. As liberdades de expressão, de consciência e religiosa serão violentadas.

    O PL 122 é feito, entre outras coisas, para tirar a nossa liberdade de expressão e para garantir que na educação escolar seja forçado o ensino sobre novas formas de uniões e tipos de família, conforme já podemos ver no PLANO Nacional LGBT (portal.mj.gov.br/sedh/homofobia/planolgbt.pdf) ? também do Governo ? que já contempla a obrigatoriedade do ensino da ideologia de gênero nas escolas, bem como nas aulas de religião. (leia os nºs. 1.1.3; 1.4.3; 1.4.6;1.4.7 do seguinte documento: portal.mj.gov.br/sedh/homofobia/planolgbt.pdf
    ).

    Uma vez aprovada a PLN 122, ela servirá de base para outras ações que já estão sendo premeditadas, com o objetivo de tolher a liberdade de expressão dos cristãos.

    PLS 236
    Este projeto na verdade propõe alterações no Código penal mas está repleto de aberrações jurídicas que promovem o aborto, a ideologia de gênero e até mesmo o terrorismo! Sim, o terrorismo!
    PLC 103/2012
    A votação do PLC 103-2012 foi adiada para amanhã, terça-feira, 17 de dezembro/2013, quando será votado o Plano Nacional de Educação para os próximos dez anos. Na última quarta-feira, 11 de dezembro, este projeto entrou em pauta para ser votado, porém, após a mobilização de milhares de brasileiros, teve a expressão “igualdade de gênero” retirada de suas diretrizes e sua votação postergada. Todavia, não há garantias de que a “ideologia de gênero” permaneça fora das diretrizes do Plano Nacional de Educação.

    Que a Sagrada Família de Nazaré proteja as famílias brasileiras.

  • Helena

    A paz de Jesus ! Bacana o site. Gosto muito da maneira q vcs abordam os temas… em relação a calça para mulheres, gostaria de saber pq alguns irmãos tradicionais insistem em não aceitar…eles estão corretos ?

    • Oi, Helena!
      Há diversos tipos de tradicionalistas. Se os tradicionalistas afirmam que o uso de saias é mais apropriado para as mulheres, pois exalta a sua feminilidade, então eles estão corretos. Porém, se eles dizem que a mulher que usa calças está pecando, então eles estão equivocados.

      Para afirmar que a mulher não pode usar calças, eles se baseiam em uma notificação do Cardeal Siri condenando a calça feminina, de 1960. O Cardeal se preocupava muito apropriadamente com a ideologia que iguala os papéis de homens e mulheres, e isso passa também por um visual que pouco diferencia a aparência de homens e mulheres. Ele alertou para o perigo de as calças masculinizarem a aparência da mulher e a sua atitude. Não era tanto uma preocupação com o recato, pois, segundo o Cardeal, muitos modelos de calças cobriam melhor o corpo da mulher do que certas saias e vestidos. Veja:

      “Em primeiro lugar, quando a questão é cobrir o corpo feminino, não se pode dizer que o uso de roupas masculinas pelas mulheres seja uma grave ofensa contra a modéstia, pois as calças certamente cobrem mais do corpo da mulher que as saias das mulheres modernas.”

      Ou seja, o problema não é que as saias deixavam a mulher sensual, mas sim que a deixavam “viril”, masculinizada, contrariando necessária diferenciação entre os sexos. E, isso, segundo D. Estêvão Bettencourt, um grande e respeitado teólogo, essa questão da masculinização da mulher por meio das calças já não se aplica mais aos dias de hoje.

      Fizemos um post sobre esse tema:
      http://ocatequista.com.br/archives/7346

  • celma

    Eu acho que devemos usar roupas discretas, ainda mais sendo catequista, devemos dar bom exemplos.

  • Philipe Lucas

    Belo post catequista,
    A ideia do cartaz do Vaticano é fantástica, não tem erro.

    obs.: mesmo em lugares quentes como o nosso RJ ainda acho que a bermuda não é um traje adequado. Salvo as exceções que impedem o uso da calça, a partir do momento que o fiel leigo toma conhecimento do que é a missa e entende e aceita, a bermuda não cabe mais.

    Obs.: vocês comentaram com relação ao sacerdote não celebrar sem as vestes sagradas e, semana passada, participei de uma missa na qual o sacerdote celebrou sem.
    Todo ano, em meu trabalho, é celebrada uma missa de encerramento do ano em dezembro. O padre que iria celebrou comunicou no dia (pelo que entendi) que tinha sido hospitalizado e não poderia celebrar.
    Conseguiram um outro padre às pressas. Este estava (por coincidência) em um hospital administrando a unção dos enfermos, correu na paróquia, apanhou alguns objetos e esqueceu as vestes. Celebrou usando a camisa clergyman.

    Ele fez questão de explicar tudo antes de iniciar a missa.

    Forte abraço
    Deus te abençoe e proteja!
    Nossa Senhora da Conceição interceda por nós!
    Pax et Bonum
    Philipe Lucas

  • João

    Meu pároco diz antes da Comunhão: aqueles que estiverem preparados, por dentro e por fora, ou seja, sem pecado mortal e com uma roupa respeitosa, pode formar duas filas ao centro… E se na hora de comungar a pessoa estiver com uma roupa imprópria, ele não nega dar a Eucaristia, mas antes diz para que a pessoa se vista com uma roupa mais respeitosa da próxima vez e depois dá a Comunhão . Só esse choque já tem funcionado…

  • José Luis

    Excelente matéria. Ficou mais claro que o sol. Só não entende quem não quer. Não é questão de ser conservadorismo, mas sim de coerência. Todo o respeito se deve a um lugar santo.

  • Caroline Sol

    Antes de tudo, temos que ir vestidos com respeito ao Senhor.
    Se fossemos a algum Tribunal, por exemplo, não iríamos de todo jeito, não é mesmo?
    A Bíblia aconselha: “Do mesmo modo, quero que as mulheres usem traje honesto, ataviando-se com modéstia e sobriedade…” 1 Timóteo 2:9

  • Sidnei

    Saindo um pouco do assunto, mas ao ver este personagem do romance de Jorge Amado, Gabriela, esta Dorotéia é o típico estereótipo dos católicos ditos praticantes. Os católicos praticantes, aqueles que querem seguir fielmente os mandamentos e ensinamentos de CRISTO que confiou a sua Igreja a missão de levar estes mandamentos e ensinamentos até o confim do mundo, são retratados como este personagem: carolas; falsos moralistas; hipócritas que julgam a todos mas tem o rabo mais preso que qualquer político safado de Brasília, etc., etc. e etc.

    Jorge Amado, por ter sido comunista, tinha em mente que todo católico praticante fosse assim, ou ele deparou com muitos maus exemplos assim, o que levou ele acreditar que todo católico fosse assim, ou por safadeza mesmo, ele querendo atacar a Igreja, não ousava querer generalizar a todos como se fossem iguais a todo mundo, considera todos joio sem separar o trigo, aí fica difícil engolir personagens como este. Considero Jorge Amado um grande escritor brasileiro, porém, sua opção pelo comunismo e o ateísmo e seu constante ataque a Igreja Católica o qual se pode muito bem ver em suas obras, me deixa em dúvidas se tudo que ele fazia era intencional ou apenas fazia obras literárias levando em conta o ambiente em que viveu.

    • Sidnei,
      Excelente observação. De fato, o Jorge Amado era especialista em criar personagens católicos hipócritas. Se esse tipo existe muito em nosso meio, por outro lado, também existem os justos e os santos. A Bahia que tinha pessoas como Dorotéia também tinha irmã Dulce. E não é possível que Jorge Amado não soubesse disso. Mas, ao que parece, escolheu, como bom marxista, pichar a imagem da Igreja e de seus filhos. Que Deus o julgue.

    • Mudando um pouco de assunto, aproveitando o ensejo…

      Jorge Amado só sabia escrever UMA história. Mudava nomes de personagens, talvez o local e um ou outro detalhe do enredo, mas era sempre a mesma coisa. Pra mim, é mais um exemplo de “artista” incensado pela revolução cultural gramsciana do Brasil, mas que se espremer não sai muita coisa boa não.

    • Jotacê

      Sidnei,
      Realmente! O Jorge Amado para mim era pior escritor do que o Paulo Coelho, e considero suas obras chatíssimas, além de um lixo total. Só conseguiu toda a repercussão que teve graças ao Partido Comunista e, como bem frisou o Fabão, graças também à revolução cultural gramsciana do Brasil.

      • Sidnei

        Se for ver pelo lado que como comentou o Fabão que suas histórias era sempre as mesmas, só mudavam o nome dos personagens, mas no fundo no fundo, era sempre as mesmas estórias, ele não tinha criatividade alguma, pois lembrando o que o Fabão comentou, logo me venho a mente todas as obras do Jorge Amado e seus personagens eram sempre os mesmos, ou seja, não tinha em nenhum obras dele que faltassem: prostitutas; coronéis; político mau caráter; católicos hipócritas como as beatas que a todos julgavam mas não olhavam para o próprio rabo, o qual nisto se via a generalização que o Jorge Amado como bom comunista e ateu via de todos nós católicos e as pessoas do bem eram aqueles ligados ao candomblé ou eram ateus ou pessoas sem ida nem beira como a personagem Gabriela que dizia que para que casar se como esta (amasiada com o Sr. Nasib) estava bom.

        Relendo esta personagem Gabriela me vem a cabeça que os comunistas conseguiram o que queriam , pois a moda hoje em dia são os jovens não querer mais casar, mas, se ajuntar, se amasiar, casar na Igreja nem pensar, e pior, só no civil e olha lá, e pior, que há paróquias que aceitam pessoas que estão nesta situação irregular perante a Igreja para dar catequese, para orientar equipes de pastorais (nem estou falando das pastorais dos casais em segunda união), enfim, acredito que isto tudo seja influências nefastas não só das obras de Jorge Amado mas de toda esta revolução gramsciana que se estabeleceu em nossa sociedade e até mesmo dentro da Igreja através da maldita TL.

        • Jotacê

          Pois é, ele era cheio de esquemas engessados e rígidos de roteiro, e suas personagens não tinha norte moral nenhum.
          Quando eu era garoto, a Globo exibia a novela “Tieta”, onde um seminarista, na maior normalidade, traçava a própria tia, irmã da mãe dele – e ele era um dos “mocinhos” da história! Já o colega do tarado, também seminarista, que via a situação aberrante e se indignava, era o vilãozinho, o delator. E eu e minha família – e muitas outras, pois a novela era um sucesso – acompanhávamos aquele lixo cotidianamente! Analisando em retrospecto, aquilo com certeza influenciou na minha apostasia!
          O pior é que o Jorge Amado além de ateu, era “ateu macumbeiro”. Aí é demais para a minha cabeça.

          • Sidnei

            Acompanhei também esta novela Tieta em uma época em que não tinha muito senso critico, mas, graças a DEUS, os anos vão passando e a gente olhando para trás vai fazendo um julgamento do que fazemos, do que vimos e ouvimos, chegamos a algumas conclusões, se elas ainda estão equivocadas, tenho até o fim da minha vida ainda para revê-las.

      • Harun Salman

        Sidnei, Jotacê e André: sejamos justos! Jorge Amado tem dois livros com bom valor literário: “Capitães da Areia” e “Mar Morto”. O resto realmente não vale muita coisa, mas também não é pior do que Stephen King ou Sidney Sheldon, que não deixam de ter seus lugares no mercado literário. Para ser franco, mesmo o que ele deixou de bom tem mais valor poético e folclórico do que de grande arte. Mas, ainda assim, é legítimo. Não empobreçamos ainda mais a cultura brasileira. Precisamos de toda ajuda para impedir o naufrágio dessa civilização e, por incrível que possa parecer, Jorge Amado é parte, ainda, de um mundo mais civilizado do que o que se avizinha. E… Honey, I’m home! Abraço a todos!

        • Jotacê

          Harun, de minha parte estou tão contente de ver você de volta, que não vou nem discordar, hehehe!
          Grande abraço, irmão!

          • Harun Salman

            Meu querido, eu estou bem feliz de estar de volta! E, por favor, não entenda minha observação como um apoio ao entendimento podre que Jorge Amado tinha do Catolicismo, nem de valorização de sua obra supervalorizada. Meu apelo é somente para não “jogarmos o bebê fora, junto com a água do banho”. O que alguém fez de bom, aproveitemos. O que fez de ruim, denunciemos, com todas as forças. Mas não deixemos de aproveitar, fazendo o inimigo gastar sua energia nessas bobagens. Façamos sempre o diabo carregar pedras! Um imenso abraço!

  • Bel Nogueira

    Caríssimos amigos de O Catequista,

    Lanço um pedido por uma matéria muito rica sobre o Natal. Não sei se já notaram que são muito poucas lojas enfeitadas para o Natal, que as casas não se revestem de luzes, enfeites,como antes!

    Cadê aqueles prédios, varandas iluminadas com motivos natalinos? Cadê a alegria de nossa festa favorita, porque nela nos unimos aos anjos do presépio e cantamos aquele Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade?

    Diz minha avó que é um dos natais com o comércio mais aquecido dos últimos tempos, mas ninguém prepara a festa em honra ao seu dono.

    Além do mais a toda a fúria evangélica, creio que vinda especialmente dos neopentecostais, contra o Natal. Hoje mesmo vi uma publicação da Igreja Universal clamando aos seus seguidores a Farsa do natal, ou seja, não comemorem essa invenção: Jesus não nasceu no dia 25/12. No fim das contas é não comemorem o mistérios da encarnação de Deus feito homem. Eles se atem a dados históricos, destituindo-os de toda a graça do magistério da Igreja Católica, pois como sabemos o Natal celebra o mistério Cristão da encarnação, tendo sido escolhida uma data propícia para tão magnânima data: o solstício do hemisfério norte. Por tal motivo, – salvo melhor juízo, realmente não há certeza histórica da data certa do nascimento de Cristo, mas se tiver enganada, por favor me ajudem a desfazer a cegueira da ignorância -, foi escolhida essa data especial, que não é nada incompatível com a simbologia das Sagradas Escrituras, como se observa nessa passagem de São Lucas sobre São João Batista:

    76. E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor e lhe prepararás o caminho,
    77. para dar ao se povo conhecer a salvação, pelo perdão dos pecados.

    78. Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente,
    79. que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz. tece sua data escolhida

    Bom, termino esse longo e fundamentado pedido, pois parece que urge renovar a alegria do Natal, conhecer a fundo tudo o que pertence a tão graciosa data. Sinto-me como num desses contos de Natal, clamando ao espírito dos homens que não deixe morrer o espírito de Natal.

    FELIZ NATAL!

    • Sidnei

      A Igreja Universal atacou o Natal? Que gracinhas, mas receber o 13º salário e querer que seus fieis deem estes 10% do 13º salário para eles, eles esquecem rapidinho que o Natal foi um dia uma festa pagã e que a Igreja Católica a tornou cristã. Porque este pessoal que não aceita celebrar o natal, não vão trabalhar neste dia e ainda não aceitem o 13º Salário, presentes das empresas e por aí afora, sabe falar m*** contra o natal a Igreja Católica a tornou esta festa que era pagã em cristã eles podem, mas renegar a tudo que venha desta festa, aí não, no fundo no fundo eles não querem renegar os benefícios e nem mesmo a festa em sí, mas no fundo no fundo o que eles não querem é seguir esta festa porque se seguissem eles teriam que aceitar a ideia que a Igreja que através do Papa utilizando o poder das chaves, de ligar e desligar, desligou esta festa como pagã e o ligou-a como cristã, e o que aconteceu aqui na terra, aconteceu no céu também, reconhecer isto por parte dos protestantes, nem morta santa. Mas os presentes dados pelas empresas como o 13º Salário que foi criado justamente em torno desta festa, renegar isto também, nem morta santa.

      • Jotacê

        Sidnei, a boca desse Edir Macedo é uma verdadeira cloaca. Só sai “mercadoria” dali. Se existe um sujeito que merece ser atacado, combatido e ridicularizado pelos católicos é esse fulano aí.

        • Sidnei

          E pior Jotacê são os protestantes de outras igrejas, que nos atacam o tempo todo e quando falam deste sujeito só limitam a falar algumas coisas, ou seja, para mim são tudo farinha do mesmo saco.

          • Jotacê

            A crentaiada é aquela história: odeiam-se profundamente, mas para atacar a Igreja, se unem feito cafajestes. Que Deus os censure e os julgue.

    • Jotacê

      Bel, sua sugestão é maravilhosa. Tomara que o pessoal do blog aceite!
      Ah, uma curiosidade IMPORTANTÍSSIMA para todos que, como eu, consideravam a data de 25 de Dezembro como “não real”, instituída apenas para combater o paganismo: segundo estudos recentes, JESUS NASCEU REALMENTE EM 25 DE DEZEMBRO!!! Confiram:
      “Na realidade, hoje – graças também aos documentos de Qumran* – estamos em condições de poder estabelecê-lo com precisão: Jesus nasceu mesmo num dia 25 de Dezembro. Uma descoberta extraordinária a sério e que não pode ser alvo de suspeitas de fins apologéticos cristãos, dado que a devemos a um docente judeu, da Universidade Hebraica de Jerusalém.”
      Link do artigo (DIVULGUEM!): http://www.veritatis.com.br/doutrina/deus/970-jesus-nasceu-mesmo-num-dia-25-de-dezembro

  • Dáltoni

    A paz de Jesus, prezados!
    Sobre o desafio: eu topo! Desde que eu tenha certeza que o entrevistador possui atributos divinos (não irá me julgar e condenar por eu estar devidamente vestido, porém fazendo pouco uso da “etiqueta”). E no casamento se todos que estiverem lá já encontrarem-se em estado de graça (ex.: no céu), inclusive minha esposa (que pra essa sim será difícil permitir minha ida nos trajes citados.). E voltando para a realidade, no casamento de uma amiga de minha esposa (essa colega na época participante da Igreja do Evangelho Quadrangular) eu acompanhei minha então namorada vestido de calça jeans, tênis e camisa do Padre Pio (com a frase “O mundo pode existir sem o sol, mas nunca sem a Santa Missa.”).
    Sobre o exercício imaginativo: Devo salientar que esta possibilidade é improvável, tendo em vista que não ficaria melecado de óleo, muito menos em cima da laje!rs… No máximo um protetor solar pra piscina ou praia, e mesmo assim embaixo dum guarda-sol, tomando uma água de côco, lendo um bom livro….rs Não curto ficar tostando no sol, só pra pegar uma “corzinha” rs…
    Mas exercitando essa “possibilidade”, eu sairia correndo sim da laje, até pq trovão é sinal de raio e eu poderia virar o captor do pára-raio se continuasse alí… E dentro de casa seria obrigado a colocar uma roupa pq minha esposa não iria deixar eu me sentar melecado no sofá, na cama ou onde quer que fosse…rs
    Deixando a brincadeira um pouco de lado, concordo que “recato é bom e Deus gosta!”, e vejo aí a chave para a questão. A vestimenta para a missa não deve levar meu irmão a pecar. E isso se deve mais para as mulheres, pois os homens são muito mais “visuais”. Exemplo é a calça da moça do post, fica difícil alguém se concentrar no culto com aquelas beringelas de Itú na fileira da frente… O mesmo vale para aqueles decotes até o umbigo, Vale-me Deus!
    Deus abençoe, galera!!
    Paz e bem!

    • Christiane

      Berinjelas de Itu, kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

      Mas, voltando ao assunto: Aqui em Belém tudo é desculpa para usar retalhos no lugar de roupas: calor, umidade, suor… O sentido do sagrado já está se perdendo e de forma bem rápida.

    • Jotacê

      Dáltoni,
      “E voltando para a realidade, no casamento de uma amiga de minha esposa (essa colega na época participante da Igreja do Evangelho Quadrangular) eu acompanhei minha então namorada vestido de calça jeans, tênis e camisa do Padre Pio (com a frase ‘O mundo pode existir sem o sol, mas nunca sem a Santa Missa.’).”
      Meu amigo, essa atitude foi sensacional. Imagino as expressões de escândalo e desgosto nas fuças da herejada, huá, huá, huá! Falando sério, como você foi recebido por lá?

      • Dáltoni

        Paz irmão!
        Então o casamento foi bem simples, apenas a cerimônia e um bolinho no salão do lado. Chegamos discretos e ficamos nos fundos (não estávamos na nossa praia…rs), e após a cerimônia comprimentamos os noivos e já saímos, então não tiveram muito tempo de nos “fuzilarem”…rs
        Abç

  • Thiago Puccini

    Seria interessante falar sobre modéstia na praia.
    Tema importante ao meu ver…

  • Thiago Puccini

    Abafa, acabei de ver um post aqui! rs

  • Cintia

    Salve Maria!
    Quanto a questão de o padre poder negar a comunhão para quem estiver vestido de forma incorreta, onde encontro esta afirmação? Um padre vive me dizendo que em hipótese alguma deve-se negar a comunhão, mesmo que o padre saiba, pessoalmente, que a pessoa está em pecado grave.
    Poderia me tirar esta dúvida?

    • Oi, Cintia!
      Esse padre que vc citou está equivocado. Se a pessoa está excomungada (como um político ou artista que defenda o aborto) ou está em situação de pecado grave conhecida publicamente (como um homem que viva com uma mulher casada, sem esconder isso de ninguém), então o padre tem não só o direito de lhe negar a Comunhão, mas também o dever. Isso para impedir que a pessoa cometa sacrilégio, e some mais um pecado gravíssimo aos seus demais pecados.

      A base para a minha afirmação está no Código de Direito Canônico, no cânone 915:
      «Não sejam admitidos à sagrada comunhão os excomungados e os interditos, depois da aplicação ou declaração da pena, e outros que obstinadamente perseverem em pecado grave manifesto» (cân. 915)

      Quanto a negar a comunhão a uma pessoa que esteja trajada indignadamente para receber os sacramentos (Comunhão, Batismo ou Crisma), isso está afirmado em uma exortação do Cardeal Donato Sbaretti, janeiro de 1930, exortação esta que teve a aprovação do Papa Pio XI:

      “IX. Donzelas e mulheres vestidas indecentemente devem ser impedidas de receber a Comunhão e de atuar como madrinhas dos sacramentos do Batismo e da Confirmação, e, além disso, se o delito for extremo, podem mesmo ser proibidas de entrar na igreja.”

      Um padre só não tem o direito de negar a Comunhão a um fiel a seu bel-prazer, com base em opiniões subjetivas, ou de forma a revelar pecados escondidos.

  • Amei o post, mas eu tenho uma dúvida: ainda vale a regra de “saia abaixo do joelho”? Eu como sou baixinha, fico muito esquisita com isso, uso um comprimento um pouco acima (Em Natal também faz calor)e também vou com regatas de alça larga, sempre alça larga! Tenho toda a consciência tranquila de que estou modesta, não estou mostrando peito, bunda, barriga ou 80% da coxa.

    • Clarinha,
      Nesse caso da roupa de missa, evitamos dar uma opinião pessoal, já que o Vaticano possui uma orientação precisa e bastante razoável. Então, o fato é que, com saia acima do joelho (ainda que não fosse uma saia mega curta) e regata de alça larga você seria barrada na entrada do Museu Vaticano, da Capela Sistina e da Basílica.

      A saia não precisa ser abaixo do joelho, basta que seja na altura do joelho. Há modelos que ficam bem mesmo nas baixinhas. De qualquer forma, você tem a ótima opção de usar calças, e assim a questão fica resolvida.

      Aqui no Rio de Janeiro faz muito calor também, mas sinceramente, não faz tanta diferença assim para o nosso alívio usar uma blusa regata de alça larga e uma blusa de manga curta. Outra opção é você levar na bolsa um lenço ou xale de tecido fino, que não ocupa muito espaço, e colocar sobre os ombros ao entrar na Igreja, se estiver sem mangas.

      Quando fui a Santiago de Compostela, estava muito calor. Eu estava com um vestido longo de frente única, e andava com xale na bolsa, para assim poder entrar nas igrejas com dignidade. Isso não era exigido (lá os turistas entram na Catedral com short mostrando a polpa da bunda), mas eu fazia com muito prazer.

      Abraço!

      • Legal, vc usar frente única, tenho 23 anos e minha mãe não deixa. Estou querendo investir em bolerinhos. Tomara que caia fora da missa, você usa? Me valoriza muito. Uso com saias rodadas e sempre junto ás axilas. S2

        • Oi, Clarinha!
          Aposentei meus vestidos e blusas tomara-que-caia desde que nasceu minha primeira filha. Maternidade e tomara-que-caia não combinam, pois quando a gente pega a criança no colo a blusa desce, ou o bebê pode puxar a blusa.

          Os bolerinhos são ótimos para nos deixar mais compostas, são uma ótima opção.

  • Muito obrigada por tudo, A Catequista! Estou com um blog católico em construção e estou querendo fazer um “look do dia” com roupas compostas, mas não me conformava a ter que me vestir como uma irmã freira. Sou uma moça jovem, solteira, leiga, estando no mundo sem ser do mundo, porém sem fundamentalismos, valorizando mais a religião e regras como os judeus e farizeus do tempo de Jesus. Se clicar em mim, vai ver o meu blog desativado, mas com coisas escritas lá, dê uma olhadinha. Paz e Bem!

  • Boa noite! Quem, realmente, estudar o ensino moral da Igreja sobre as vestes, saberá que a Igreja ensina que roupa de mulher são saias e vestidos abaixo do joelho, blusas com mangas até o cotovelo, etc. Isso para uso comum, quanto mais para uso na Igreja! Santa Modéstia, é a Virtude que a Igreja ensina e que o mundo e, quase todos os fiéis católicos odeiam!

  • Acredito que para tudo deve se ter prudência e um olhar cristocêntrico.

  • Amanildo Peixoto

    Se somos Cristãos, somos seguidores de Jesus Cristo. O Pai disse:Sede santos porque eu o Senhor vosso Deus Sou Santo. Lv.19,2. I Pd.1,16. Jesus, disse: Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito. Mt.5,48, Paulo também disse: Tornai-vos os meus imitadores, como eu o sou de Cristo.I Cor.11,1. Para refletirmos: Como a Sagrada Família, e os Santos iriam à Santa Missa?

  • Regina Machado

    Bom dia,
    Gostei muito do seu blog.
    Gostaria de informar que no Vaticano e demais Igrejas da Itália, Assis, Pádua e também os templos de Jerusalém, Palestina e demais cidades de Israel homens e mulheres entram de bermudas na altura do joelho. Há em todos esses lugares, que visitei, uma exigência grande quando aos ombros cobertos. Algumas Igrejas possuem inclusive echarpes para emprestar.
    Há um abuso muito grande, acredito que em todos os lugares, não só no Brasil. A palavra é bom senso, acredito.
    Forte abraço, parabéns pelo trabalho e um ano de 2014 cada vez mais produtivo.

  • o modo de se vestir é o carater da pessoa,mtos dizem q roupa não é carater,mas uma mulher descente sabe como se vestir.

  • o modo de se vestir é o carater da pessoa,mtos dizem q roupa não é carater,mas uma mulher descente sabe como se vestir.tem mulheres q vão p fila receber Jesus,com certas roupas q só por Deus………..

  • Martielle

    Camisa com um pouco de transparência ou até mesmo de renda, se usar uma blusa por baixo tipo segunda pele ou regata, é válido ou devemos evitar?

    • Harun Salman

      Momento Anna Wintour: roupa curta, justa ou transparente só é perdoável à gente muito jovem (de no máximo 15 anos de idade) e muito magra (com no máximo 3% de gordura corporal). Fora desses parâmetros, independentemente da ocasião, é BREGA! A não ser que você esteja sozinha em casa, com a luz apagada, não use nunca!

  • Jair Victor

    O catequista, socooooorrooooo!!!!!!!!!!!!!!
    Eu tenho uma dúvida. Na solenidade de São Pedro e São Paulo em minha paróquia, no momento da comunhão um jovem de bermuda jeans se dirija em direção a fila para receber a eucaristia, porém desde o lugar em que o garoto estava até na fila um guarda o acompanhou,gesticulando e dizendo que ele não poderia comungar e que saísse de la e voltasse para seu lugar, minha amiga que estava ao meu lado perguntou porque o guarda da paróquia tinha feito aquilo, eu sem saber achei que fosse por causa da bermuda e falei para ela, que ficou indignada disse que se Jesus veio para os pobres, e se a pessoa não tiver dinheiro pra comprar uma calça (o que aparentemente não parecia ser caso dele)a igreja não poderia expulsar, porque é hipocrisia. Eu tentei argumentar falando do respeito que devemos ter, mas enfim. Eu quero saber o seguinte, a atitude do guarda foi correta ou não? E como a igreja deve reagir em relação as pessoas mais pobres

    • Jair,
      Para pobres ou ricos, a Igreja tem o direito de exigir uma vestimenta decente para que se possa entrar no templo. Se não tem uma calça, pode pedir uma no setor de doações da Igreja, é quase certo que consiga uma.

      No Vaticano não deixam entrar homens de bermuda, mas em algumas regiões no Brasil o bermudão é tolerável (apesar de não ser o ideal). Não sei qual é a orientação do seu pároco. Não sei por qual razão o tal guarda que vc citou estava tendo essa atitude, então é impossível opinar. De qualquer forma, partindo do princípio que o guarda estava querendo impedir o rapaz de comungar pq estava de bermuda, isso me parece inapropriado. O guarda deve agir, muito gentilmente, na entrada no templo, orientando as pessoas com vestes inadequadas sobre a roupa adequada para adentrar no templo. E não expor a constrangimento quem já está dentro do templo.

      De qualquer forma, em 99,99% das vezes, quem está com roupa inadequada na missa tem possibilidade financeira de se vestir mais recatadamente, só não o faz por falta de conhecimento ou por que não valoriza o recato no templo.

    • Sidnei

      Já coloquei aqui no blog, que fui e vu a missa de bermudão até o joelho e com meais até as canelas, somente quando tiver um calor escaldante, fora disto, se o clima estiver favorável, se estiver calor, mas, não escaldante, não tem o porque de ir com bermudão, posso ir muito bem com calças compridas, pior é eu ver as mulheres reclamando do calor, em que vão com calças compridas quando elas poderiam ir de vestido, e pego muito no pé da mulherada por causa disto, se elas passam calor é porque querem, porque elas podem muito bem ir de vestido o qual minimizam e muito o calor para elas, agora, nós homens temos que sofrer com o calor. Como ficaria ridículo um homem de vestido, então só nos resta aturar o calor, ou então, como alguns padres são mais tolerante quanto a isto, permitem que nós homens, mesmo não sendo o ideal, usarmos bermudão, mas apenas bermudão, nada de camisas regatas e apenas em dias de verão em que o calor foi insuportável.

  • Luciana

    Que bom que sigo todas as dicas de como se deve vestir dentro da igreja. Acho que todos com um pouco de bom senso deveriam saber que não se vai a casa do senhor de forma depravada.
    No ultimo casamento que fui, fiquei com vergonha alheia, vi a noiva com os peitos quase pulando na cara do padre e as madrinhas? tudo quenga decotada.

  • Guilherme

    Parabéns pelo post. Infelizmente, pessoas vão na Igreja com roupas absurdas. Lembro até hoje o dia que meu pároco deu uma bronca em algumas meninas que estavam de saia curta na Missa. Devemos sempre respeitar o sagrado. Eu não apareço na Igreja sem calça comprida e blusa de manga, pois acho uma falta de consideração pelo Santo Sacrifício do altar. De novo, parabenizo ao blog.

  • HH

    Olá , gostei da dica para as roupas na nossa Santa Igreja, mas acredito que não deveriam entrar bermuda de qualquer cumprimento e nem saia acima do joelho!

  • Douglas Manoel

    O artigo generaliza ao falar de ir a missa com short e regata. Mas e se eu vou de tênis, bermuda jeans e camiseta ?

  • Juliana B. Martins

    “A nossa catequese é de boteco!” Essa foi simplesmente ótima! Gosto muito dessa catequese de boteco de vocês!
    Mas e quanto aos calçados? Há algum tipo de restrição ou impropriedade? E nos dias de muito calor, do tipo, além de 40°C (sensação térmica de quase 50°C), como é aqui na área de Realengo/Bangu no Rio? Tem muitas paróquias por aqui que não estão preparadas para esse calor e o povo vem mesmo com shorts e regatas.

  • Janaina Lima

    Gostaria de saber quanto a modéstia infantil. Qual a vestimenta mais adequada para meninos de até 8 anos de idade?
    Calças curtas (calções/Bermudas) ou calça comprida, para ir à igreja?

    Como sempre “O catequista” é maravilhoso, muito formativo!

    Deus os abençoe e Maria santíssima os guarde!

  • Janaína, vou falar por mim.

    Mesmo sendo de Fortaleza, com um calorzinho gostoso, meus pais sempre me ensinaram a ir à Missa de calça comprida.

    Ainda mais, Com 8 anos a criança já chegou na idade da razão e pode perfeitamente compreender os motivos de precisar se vestir conforme a situação.

  • gracieth pintali

    Parabens! Quem dera q todo mundo encontrasse essas informações!!!!

  • Cínthia

    Olá,
    Sou leitora do blog faz pouco tempo, mas estou amando todos assuntos que vocês abordam… Gostaria de comentar um fato que ocorre na paróquia em que eu pertenço… O padre certa vez se negou a entregar a comunhão para um rapaz, que estava de shorts, regata e chinelo, mas pediu na hora que um senhor que estava sentado assembléia (que é ministro da eucaristia, porém não estava atuando naquele dia), que fosse explicar para ele o motivo dele não ter recebido a sagrada comunhão, ou seja, devido a vestimenta que ele trajava, detalhe moro no interior de São Paulo, então não é área praiana nem nada…
    Obrigada por escutar e parabéns pelo blog…

  • Fladja Rodrigues

    Eu particularmente, não sigo nenhuma religião.

    Mas nos últimos tempos, tenho estudado sobre muitas delas que nos cercam, afim de explorar nossas doutrinas.

    Gostei do blog, tem bastante informação de modo que até uma leiga no assunto, como eu, possa entender.

    Parabéns.

  • Márcio

    Tenho uma dúvida. Por que em muitos sites católicos, dizem que a mulher deve andar sempre com a manga pelo menos até o cotovelo. Acho isso meio exagero… O braço de uma mulher nunca me faria pecar, kkkkk. Pra Missa até dá pra entender, mas acho que cobrindo os ombros já está bom, não?

    • Márcio, esses sites se baseiam em uma orientação – ou suposta orientação – do Cardeal Donato Sbarretti, feita em 1930, sob instruções do Papa Pio XI. Ele teria escrito:

      “Um vestido não pode ser considerado decente quando é demasiado decotado, ou seja, mais do que dois dedos abaixo da base do pescoço; quando não cobre os braços pelo menos até ao cotovelo; e quando não vai até um pouco abaixo dos joelhos. Além disso, os vestidos de tecidos transparentes são impróprios.”

      Tais palavras teriam sido publicadas pela Santa Sé no dia da Festividade da Sagrada Família (12 de Janeiro de 1930). Não encontrei esse texto no site do Vaticano (talvez porque não exista, ou talvez exista e esteja em latim, não sei), mas digamos que seja verdade que o cardeal tenha publicado mesmo um documento com essas palavras. Convenhamos: foi algo dito há quase 100 anos, e, se é verdade que nenhum Papa tenha modificado isso, também é verdade que nenhum Papa ou cardeal voltou a ratificar essa norma.

      Mais importante: noto que uma das maiores autores sobre a moral sexual – Karol Wojtyla, o futuro São João Paulo II – ao abordar em seu livro “Amor e Responsabilidade” a questão do pudor aplicada à vestimenta feminina, diz: “Nada há de impudico no vestir a não ser aquilo que, ao destacar o sexo, contribui claramente a diminuir o valor da pessoa, provoca inevitavelmente uma reação a respeito da pessoa como se ela fosse ‘um objeto possível de uso’, por causa do seu sexo (…)”. E em toda a sua obra, Wojtyla relativiza a questão de cobrir mais ou menos; não é esse o ponto essencial. Ele evita qualquer indicação precisa e rígida do que seria uma roupa decente ou indecente. Essa obra foi publicada pela primeira vez em 1960; ora, será que o santo cardeal desconhecia as indicações precisas de Sbarretti? Óbvio que não! Mas o fato é que as desconsiderou ou relativizou.

      A despeito disso, esses sites de modéstia continuam a insistir que as orientações de Sbarretti deve ser obrigatoriamente cumpridas por todas as católicas, como norma rígida e universal.

  • padrejosepedro@hotmail.com

    Gostaria que postassem algo sobre o uso do véu.
    Obrigado.

  • Amanda

    Calça rasgada (tipo destroyed) pode???

    • Não é muito questão de padrão, mas de respeito e modéstia. E isso tem a ver não somente com cobrir o corpo, mas também com não chamar muito a atenção. Então, opinião minha: depende do destroyed. Tipo, se for uns rasgõezinhos mais discretos, é tolerável. Agora, se for aquele meeeeeega destroyed, a calça tooooooda trabalhada nos buracos na perna toda, aquele rombo enorme na altura das coxas, aí não rola, né?

  • Débora Costa

    Gente, é simples assim. Não pode ir na igreja com as roupas já mencionadas, vale p homem, vale para mulher. Quem não estiver de acordo que procure um lugar que possa.

    Existem algumas condições na vida que temos que nos adequar. Por exemplo em um clube para homens casados, qual é a condição para se participar? Ser homem e ser casado, simples assim, se não estiver nessas condições vc não poderá participar. Será que mesmo assim vc vai querer tentar? Tem gente que eu acho que precisa morrer e nascer de novo p poder passar na fila do entendimento.

    Existe uma diferença entre ignorancia e burrice. Ignorante é aquele que desconhece um fato. Burro é aquele que mesmo sabendo que esta errado continua no erro!!!

  • Sammy

    Posso ir com touca de lã nesse frio para a Missa?

  • André

    Porque mulheres podem entrar de bermuda e homens não podem?

  • Bruna

    Tenho uma pequena dúvida. Caso tenha acontecido algum imprevisto e estou chegando de viagem com uma roupa não muito adequada e só conseguiria ir à missa se fosse direto, sem me trocar. O que fazer? Ir ou não ir a missa?

  • Max

    Bermuda e camisa social em homem, pode mesma indo ao altar? Nesse calor de 29° é impossível usar calça comprida. Não vejo nenhum problema o homem usar bermuda

    • Não é impossível. O padre está sempre bem vestido no presbitério; se ele pode, todos podem. No Rio de Janeiro, com o mesmo calorão, o mestre-sala atravessa a avenida sambando sem parar, todo trabalhado no terno e nas plumas.

      E pelo Brasil inteiro, mesmo no verão, milhões de homens usam calça para trabalhar, como traje obrigatório. E ficam não só uma horinha (como é o tempo da missa), mas o dia inteiro.

  • Filêmon

    Sentir calor não é desculpa para não se usar roupa modesta, qualquer que seja o clima em que se esteja. Em especial se esse tipo de alegação vier de adultos. Não é aceitável de jeito nenhum. Max, seja homem, pare de frescura! rs

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>