A expressão Igreja “santa e pecadora” é uma faca de dois legumes

O leitor Luciano nos enviou essa mensagem na semana passada:

Olá, gostaria que, se possível, me tirassem uma dúvida.
Mas primeiro parabenizo pelo site, pelas postagens que, muitas vezes, me fazem rir, ao mesmo tempo em que me fazem aprender mais. Estou sempre visitando e hoje gostaria de fazer uma pergunta. É a seguinte: alguns padres dizem que “a Igreja é santa e pecadora”, pois é constituída de pecadores. Outros padres já dizem que “a Igreja é santa mas não pecadora” pois ela é o Corpo de Cristo e não pode ter máculas… Diante disso eu queria saber, qual o correto? Qual é a verdade?

Luciano, obrigada por nos dar uma força com suas palavras! Sobre a sua pergunta, a expressão “Igreja santa e pecadora” não é de todo errada, mas não vale a pena usá-la, porque dá asas para as viagens dos hereges de plantão e confunde os menos instruídos.

O principal motivo para evitarmos essa expressão é a caridade para com os irmãos que ainda engatinham no conhecimento sobre a doutrina. Muitos, ao ouvir “Igreja santa e pecadora”, podem cair nas armadilhas do relativismo reinante, achando que “já que a Igreja é pecadora, pode errar em seus ensinamentos, inclusive os dogmáticos”. E isso é uma ideia extremamente danosa e equivocada!

Creio que é prudente evitarmos usar uma expressão que dá tanta margem pra conclusões toscas…

homer_igreja

Para entendermos melhor essa questão de “santa e pecadora”, vamos usar a imagem de São Paulo: a Igreja é um corpo, em que nós somos os membros e Jesus Cristo é a cabeça (Col 1,18; I Cor 12,27). Acaso em Jesus Cristo há mancha, há pecado? Certamente que não! E é Ele quem comanda o corpo.

E em que consistem tais comandos? Na doutrina da Igreja, é claro! Os comandos enviados pela cabeça são os ensinamentos sobre fé e moral que todos os católicos (membros do corpo) são chamados a crer e seguir. A doutrina da Igreja, portanto, é um porto seguro, é digna de toda a nossa confiança, pois não é uma doutrina humana; provém de Cristo.

Por isso, no Credo Niceno-constantinopolitano (aquele mais longo), rezamos “Creio na Santa Igreja Católica Una, Santa, Católica e Apostólica”; e não “Creio na Santa Igreja Católica Una, Santa e pecadora…”. Certo? E o Papa Paulo VI, em um documento do Concílio Vaticano II, deixou claro que a Igreja “é indefectivelmente santa”, ou seja, a crença em sua santidade é uma coisa certa, infalível (Lumen Gentium, 39).

O problema é que nem sempre os membros do corpo obedecem adequadamente aos comandos enviados pela cabeça. Assim, a Santa Igreja prega a caridade, o perdão, a castidade, a temperança… Mas quando seus membros estão doentes ou feridos – com a alma ferida pelo pecado –, falham em cumprir esses “comandos”. Por isso, a Igreja é Santa, mas necessita ser sempre purificada, pois contém filhos pecadores em seu seio.

A santidade as Igreja é certa, porém, com nossos pecados, nós manchamos o corpo da Igreja. E quando um membro vai mal, todo o corpo sofre. Da mesma forma, quando um membro está sadio – são, isto é, SANTO – todo o corpo se beneficia disso!

to_anotando

Então, é fundamental que saibamos diferenciar a santidade DA Igreja (que é certa) da santidade NA Igreja (que é pessoal e nem sempre corresponde à santidade DA Igreja). Nesse sentido, a expressão “Igreja santa e pecadora” é uma faca de dois legumes: se, por um lado, tem seu fundo de verdade, por outro embaralha um pouco as coisas, pois não favorece a necessária distinção.

E, quando usamos uma faca de dois legumes, qual o resultado? Salada teológica! Argh!!!

Até onde sei, o único Papa de toda a história que se referiu à Igreja como “santa e pecadora” foi o beato João Paulo II – e fez isso uma única vez. Já Bento XVI, sabendo bem da necessidade de colocar os pingos nos is, sempre disse “Igreja santa e composta de pecadores”. Nota 10!

Então, esta é a expressão mais adequada: “Igreja santa e composta de pecadores”.

Os fundamentos das afirmações desse post nós tiramos do documento “Memória e Reconciliação: a Igreja e as culpas do passado” (itens 3.2 e 3.3).

18 comments to A expressão Igreja “santa e pecadora” é uma faca de dois legumes

  • Lucas Jr

    Amigos e irmãos em Cristo; Paz e bem que a luz e o amor de Deus continue a preencher vcs de tanto conhecimento, parresia e esperança em dias melhores na nossa missão de Evangelizar; muito obrigado por tanta sabedoria que vcs compartilham com todos(as) que sonham com um mundo TOTALMENTE EVANGELIZADO E UNIDO NA VONTADE DE DEUS!!!
    Paz e bem; DECOLORES, PJ aqui Pj lá e em todo lugar!!!
    Fraterno abraço a todos(as) aí :D

  • Andréa

    Perfect Vivi! Veio bem a calhar com uma situação que precisei esclarecer essa dualidade, o bom que agora terei melhores embasamentos. Mais uma vez obrigada!

  • Gêneto eugenio

    Bom dia!!!
    Aqui em minha diocese essa expressão é de uso comum porém sempre feriu meus ouvidos.Graças a Deus nunca a usei.A Igreja triunfante no céu aguarda-nos, humildes peregrinos.Rogai por nós Santa Mãe de Deus!!!!!!

    “Maria é aurora e esplendor da Igreja triunfante; ela é a consolação e a esperança para o povo ainda em caminho, … Vamos nos confiar à sua materna intercessão, para que o Senhor nos ajude a reforçar nossa fé na vida eterna; nos ajude a viver bem o tempo que Deus nos oferece com esperança. Uma esperança cristã, que não é somente nostalgia do Céu, mas vivo e operoso desejo de Deus aqui no mundo, desejo de Deus que nos torna peregrinos incansáveis, alimentando em nós a coragem e a força da fé que, ao mesmo tempo, é coragem e força no amor. Amém.”(Homilia de Bento XVI na Solenidade da Assunção da Beata Virgem Maria.)

  • Nunca havia pensado nesta expressão “Igreja santa e pecadora”! Para mim parecia tão natural falar, pois realmente a “Igreja é santa, mas nós somos pecadores”!

    Mas é claro, esta expressão “santa e pecadora” nunca deu margem para os relativismos entrarem na minha consciência, simplesmente não havia analisado sob a perspectiva que vocês me apresentaram! A partir de hoje quando for me referir a Igreja vou sempre dizer: “A Igreja é santa e composta por pecadores”!

    Obs.: Obrigado pelo link do documento! Vou coloca-lo na “biblioteca” do meu blog!

    Muito obrigado mais uma vez!

  • Amália Dias

    A Igreja é Santa e Imaculada, jamais pecadora! Ou seja, ela é perfeita, pois ela é o Corpo Místico de Cristo. E Cristo, cabeça da Igreja, é perfeito!
    A maior prova de que a Igreja é o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo, é que quando São Paulo (ainda Saulo) indo para Damasco em perseguição à Igreja recém-fundada por Cristo, cai do cavalo, ouve Jesus perguntar: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Saulo disse: “Quem és Senhor?” Respondeu Ele: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues.” (Atos dos Apóstolos 9,1-5).
    Jesus não pergunta a Saulo “por que vc persegue a Igreja que eu fundei?” ou, “por que vc persegue os cristãos?” e sim, “por que ME persegues?”. Sendo assim, a Igreja é o próprio Cristo! E se ela é o Cristo, ela é perfeita!
    Mas nós também somos igreja e nós somos pecadores! Alguém poderia argumentar… Sim, é verdade! E por sermos pecadores, a Igreja se torna pecadora também? De jeito nenhum! Vamos refletir:
     Ao recebermos o Sacramento do Batismo, nos tornamos “Filhos de Deus”. Portanto, voltamos à condição de santos, pois “Deus nos criou semelhantes a Ele. (…) E viu que tudo era muito bom” (Gêneses 1, 26-31). Ou seja, nada era ruim, tudo provinha de Deus e Deus é perfeito! Portanto, fomos criados para a perfeição. Deus nos queria perfeitos como Ele (não escravos!) e, por isso, nos deu o livre arbítrio, ou seja, o poder de decidir sobre nós mesmos. O livre arbítrio não é um defeito, mas foi através dele que o “tentador” encontrou uma brecha para nos destruir, oferecendo a única coisa que ele tinha para nos oferecer: o PECADO. Por isso, Jesus nos convida a “permanecermos” em santidade: “Sede santos, assim como vosso Pai celeste é Santo”. (Mt 5, 48).
     O pecado pertence ao maligno. DEUS NÃO NOS CRIOU PARA O PECADO. DEUS NOS CRIOU PARA A SANTIDADE. Quando pecamos, estamos pegando emprestado, com o maligno, o que a ele pertence. O PECADO NÃO NOS PERTENCE!
     Ao pegar, com o maligno, o pecado, automaticamente, cortamos o vínculo com a santidade que nos é própria e passamos a pensar, falar e agir como o maligno, ou seja: DEIXAMOS DE PENSAR, FALAR E AGIR COMO IGREJA DE CRISTO, NAQUELE EPISÓDIO DE PECADO. Nos tornamos instrumentos nas mãos do maligno, apesar de continuarmos igreja, pelo nosso batismo.
    Sendo assim, a Igreja é exclusivamente santa. Mesmo que alguns de seus membros ajam, em nome da Igreja ou não, de forma errada, esse erro jamais vai pertencer à Igreja. O pecador, sim! O pecado, nunca!
    A Igreja, também, é Mãe Santa e Imaculada. Nós, seus filhos, é que nos tornamos imperfeitos porque cedemos à tentação do pecado. Dizer que “a Igreja é santa e pecadora” é um erro! Apesar de seus filhos serem maculáveis, a Mãe é Imaculável. Dizer que a “Igreja inteira pecou”, por causa do pecado de um ou de alguns, é acusar pessoas inocentes! Estaremos sendo injustos com quem faz parte dessa Igreja e não cometeu o pecado. Assim como a salvação é individual, o pecado também é! Não podemos colocar nas costas de inocentes o pecado que a outro pertence!

    Então, por que o Papa pediu perdão pelos pecados cometidos pela Igreja?

    O Papa NÃO PEDIU PERDÃO PELOS PECADOS COMETIDOS PELA IGREJA; e nem pediu perdão pelos pecados de uma coletividade. Ele pediu o perdão, para filhos específicos da Igreja que pecaram ao longo da história, exatamente porque não foram bons filhos, não ouviram e não aceitaram o desvelo e o convite dessa Mãe, para que se convertessem e mudassem de vida.
    E por que a Igreja não expulsa esses filhos de seu convívio? A Igreja é a continuidade de Cristo na história. E como o Cristo não rejeitou os pecadores e sentou-se à mesa com eles, a Igreja continua esse grande mistério de Cristo… Não nos rejeitando e sentando-se à mesa conosco.
    Portanto, nós, católicos, não devemos aceitar este conceito de que “a Igreja é santa e pecadora”. Isso, definitivamente, não é correto.

  • Luís Felipe

    Acredito que o uso dessa expressão tenha sido popularizado pela Oração Eucarística V. O que vcs acham disso?

  • pedro antônio da silva

    bom dia a todos irmãos em Cristo,(santa e pecadora)
    é só ver o chamados dos apóstolos foram 12 um traiu a Jesus e a igreja continua santa.

  • patricia banhos

    Paz e Bem a Todos!!!Estupendo post!!!

  • Parabéns pelo artigo! Esclarecedor.
    Aproveito para indicar uma fanpage muito legal do Papa Francisco. facebook.com/mensagensdopapachico com Papa Francisco e a turma da Mônica!

    Deus abençoe!

  • Leilah

    E toda vez que pecamos estamos fora da igreja santa! E quando nos confessamos voltamos a fazer parte dela!

  • Leilah

    Por isso a igreja é sempre santa. Pois o pecado grave faz com que deixemos de ser por um tempo (o tempo em que deixamos de buscar a confissão reconciliadora) por assim dizer, seus membros efetivos,ficamos desligados do corpo de Cristo que é sua igreja, por causa do pecado. Tão logo retomemos o caminho da graça, voltamos a fazer parte da igreja e viver de sua vida que é a santidade e a graça, voltamos a fazer parte da COMUNHÃO DOS SANTOS. “Saudações a todos os santos” já costumava dizer São Paulo. E santos, porque abraçados pela amizade do Senhor vivo e presente em nosso meio e em nós. Tão logo Ele deixe de nos abraçar (por fuga nossa e não vontade dEle) viramos poeira levada ao vento. Portanto somos santos por graça, por causa da misericórdia Maior que nos redime. Em nossa natureza mora toda a fragilidade humana e a sentimos ainda maior diante da beleza de Cristo. Mas porque a mão dele está segura à nossa, vivemos de sua vida, porque nossos ramos estão presos ao tronco da videira que é ele, sua seiva divina nos alimenta. Isso não é mérito algum nosso, ou no dizer de Agostinho é do plano de Deus que sua graça seja o nosso mérito, pois até o nosso frágil SIM (sempre passível de queda se o abraço do Senhor não nos envolver sempre) que é mérito da nossa liberdade, é dom da sua presença que nos atrai a Si. Edifiquemos cada um de nós, a igreja santa, retomando nosso SIM quantas vezes for necessário. Abraço a todos.

  • Augusto

    Por favor, leiam e dilvulguem ao máximo esse artigo.
    Creio que é necessário estar a par da gravidade da situação e alertar o maior número possível de pessoas.

    Pax et Bonus

    http://lucianoayan.com/2013/09/18/movimento-gay-oficializa-genocidio-cultural-contra-cristaos-no-brasil-atraves-da-promocao-do-beijo-gay-em-cultos-evangelicos/

  • A Igreja é SANTA. Ponto. A vida única dela é a vida da graça. A Igreja Corpo de Cristo, Esposa dEle, gérmen do Reino dos Céus, ela é absoluta e totalmente santa. Não há um pecado na Igreja. A Igreja, seja ela a Celeste, a Padacente ou a Militante, é INDEFECTIVELMENTE SANTA (não tem um defeito). Pecadores somos nós miseráveis. Quando pecamos, não maculamos a Igreja, seria impossível. Quando pecamos nos afastamos da Igreja. Ao pecar, a alma se afasta da graça e de Cristo, por conseguinte da Igreja.

  • Luciano Souza

    Obrigado por responderem mimha pergunta, estou feliz por isso.
    Estupendo! Entendi perfeitamente…
    Agora sim posso falar com firmeza e clareza sobre isto no meu programa de rádio.
    A propósito, tem uma música, acho que é do Pe. Zezinho, que diz o seguinte: “Sou santo e pecador e minha Igreja também é, porém não troco a minha fé por outra fé”. Um paradoxo total, rsrs’

  • Iara Maria

    ainda não sanou minhas dúvidas. mas vou pesquisar…

    • Harun Salman

      Olá, Iara! Que a Igreja é santa você entende, não é? Afinal, você diz isso sempre que acompanha a missa. Pois bem, dizer que ela é pecadora seria uma contradição, você não acha? Podemos até dizer isso, se entendermos como disse nosso querido Bento XVI, “Igreja Santa, composta de pecadores”. O problema é a necessidade de explicar a expressão, a margem que essa expressão dá para uma compreensão equivocada da Igreja. Claro que esse risco praticamente não existe para alguém com conhecimento firme da doutrina. Mas esses não são necessariamente maioria e, mesmo que fossem, quem de nós pode presumir tanto de si mesmo que se arrisque a usar uma expressão tão ambígua? Espero ter ajudado. Fique aqui conosco! Ajude-nos a manter o blog um instrumento de evangelização sempre útil! Um abraço carinhoso!

  • Jéssica Barros

    Olá povo de Deus!Parabéns galera do blog pelo trabalho realizado aqui nesse espaço para a evangelização de nós Católicos, é com grande alegria que faço desse espaço momentos de muito aprendizado!
    Mas tem uma questão que ainda não ficou clara para mim a respeito de algumas passagens bíblicas e gostaria da ajudas dos irmão para ameniza-lás. É que muitos protestantes usam dessas passagens para justificar a teoria que não há purgatório. Vou transcreve-las aqui.
    1 Tessalonicenses 4:13 “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança.
    Daniel 12:2 “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.”

    Agradeço desde já a atenção!
    Abraço

  • A Igreja é Santa e seus membros não são pecadores porque pecam, mas pecam por são pecadores. Moisés disse: e um povo de cerviz dura…

Deixe uma resposta

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>