Ideias de jerico no “Cerco de Jericó”

burro

Em diversas paróquias pelo Brasil afora, virou modinha promover o “Cerco de Jericó”: sete dias e sete noites em que os fiéis se reúnem na Igreja para orar, ouvir pregações e adorar o Santíssimo Sacramento.

A inspiração vem do capítulo 6 do livro de Josué, que fala do episódio em que o povo de Israel orou seis dias e sete noites em torno das muralhas das intransponíveis de Jericó. No sétimo dia, deram voltas em torno da cidade com a Arca da Aliança; ao toque das trombetas e diante dos gritos dos israelitas, a muralha veio abaixo, e eles puderam continuar seguindo rumo à Terra Prometida.

Então, a ideia do “Cerco de Jericó” repaginado é derrubar “a muralha dos males espirituais” que prejudicam os cristãos: os pecados, a inveja, os vícios etc. Até aí, tudo bem. O triste é que, em vez de um Cerco de Jericó, o que se vê em nossos templos são verdadeiros CIRCOS de jericos.

O povo entra na igreja, e o circo tá armado: muralha cenográfica diante do altar e sacrário ambulante em forma de Arca da Aliança. Às vezes, tem até fiel fantasiado de israelita que toca shofar (tipo um berrante) pra muralha cair. Ô grória!

As paróquias com mais verba capricham no espetáculo. A igreja fica toda escurinha para favorecer os efeitos com canhão de luz e laser. E tasca fumaça de gelo seco, chuva de papel prata e fogos de artifício. Ô bença!

Vejam o vídeo abaixo (avancem para 1:30) e gritem comeeeeego! GRITA comunidade, clama que Zizuiz vai derrubá esses tijolo endemuniado de isopô!!!

Sim, toda essa algazarra é feita diante de Jesus Sacramentado. E se você achou mutcho lindja a muretinha mostrada no vídeo acima, é porque não viu a construção faraônica que fizeram na igreja do vídeo abaixo (basta ver o primeiro minuto).

Qual a diferença entre a Cruz de Cristo e um porrete? Pro padre do vídeo abaixo, parece que não há nenhuma… E ele ataca o isopor com tamanha força que a cruz se quebra (esse vídeo eu achei no blog Apostolado Tradição em Foco com Roma. Basta ver o primeiro minuto).

Acho que já deu pra vocês entenderem o espírito – de porco – da coisa, mas, quem tiver um pouquinho mais de estômago e paciência, pode assistir um festival completo no vídeo a seguir. A Santa Missa vira um desfile de fantasias e alegorias. E o momento mais triste e angustiante é quando obrigam Jesus Sacramentado a atuar no teatrinho. O padre sacode pra trás e pra frente o ostensório com a Hóstia Consagrada, como se aquele gesto produzisse a “mágica” de derrubar a maldita mureta (10:30 no vídeo).

É de doer o coração. Estão expondo o Senhor ao ridículo. Apresentam o Santíssimo ao povo como quem mostra uma mulher barbada ou um anão malabarista perneta. Isso não é catolicismo, é palhaçada protestante da pior qualidade. Essa é mais uma brilhante criação das…

…ORGANIZAÇÕES NEOPENTECOSTAIS TABAJARA!

Os católicos estão imitando as seitas mais toscas, dos crentes que se amarram em brincar de ser povo do Antigo Testamento. Daqui a pouco algum padre vai promover o “clamor de Jonas”. É só encomendar uma baleia gigante, mandar o pessoal entrar lá dentro e clamar por libertação. Tá repreendido!

Bispo MACEDO e o peixe de Jonas. Mutcho lindjo!

Bispo MACEDO e o peixe de Jonas. Mutcho lindjo!

Que os crentes façam essas coisas, é até compreensível. Sem Tradição Apostólica, sem santos, sem Eucaristia… O culto deles é tão pobre de sentido que precisam inventar coisas mirabolantes e apelar pra emoção barata. Mas nós, aderindo a essas coisas esdrúxulas, mostramos que ignoramos a maravilha da Boa Nova. O que pode ser mais tocante do que saber que podemos nos alimentar com o Corpo de Cristo, o Pão do Céu?

Mas, se é pra brincar de povo do Antigo Testamento, vamos fazer isso direito. Listo algumas sugestões…

  • Que tal voltamos a fazer sacrifícios de animais sobre ao altar? Será e-mo-ço-nan-te a reação das criancinhas quando elas verem o cordeirinho fofinho ter o pescoço degolado pelo sacerdote.
  • As leis do Ocidente não permitem o apedrejamento de pecadores, mas podemos recorrer a um ritual simbólico, tacando pedras de isopor em nossos irmãos vacilões. Será muito educativo!
  • Abaixo a carne de porco e os frutos do mar. Tire de vez da sua vida o bacon e o pastel de camarão. Tá amarrado!
  • Todos os homens deverão cortar o prepúcio. E não reclama, porque hoje em dia tem anestesia.

Agora, sem brincadeira… Acho até que o moderno “Cerco de Jericó” pode ser espiritualmente frutífero, se realizado de forma reverente e modesta. O problema é que o pessoal abusa, é muita falta de noção! Junto com a muralha de isopor, a gritaria e os “defeitos especiais”, derruba-se a Sagrada Liturgia.

Entendo que existam padres e leigos ansiosos por manifestar seus “dons” de cenografia, artes cênicas e pirotecnia… Mas, por misericórdia: reservem esses showzinhos e teatros para as festas no exterior da Igreja ou no salão paroquial. Não esculhambem mais o santo templo e a Santa Missa! Ou então, assumam-se logo como evangélicos, e vão promover essas bizarrices em outras bandas. Isso aqui é a Igreja Católica, mermão!!!

Depois de tantas cenas tristes, é preciso um consolo. Admirem, então, essa ilustração de Santa Teresinha do Menino Jesus, ainda criança, jogando pétalas de flores ao Santíssimo Sacramento, na procissão de Corpus Christi. Quanta singeleza e doçura! Os santos nos mostram como Jesus merece ser adorado.

santa_teresinha_2

 

58 comments to Ideias de jerico no “Cerco de Jericó”

  • Ítalo

    Pode realmente dar frutos um Cerco de Jericó, quando se adora Jesus Eucarístico, e não fazendo palhaçada. Deviam voltar atrás e fazer uma adoração de reparação…

  • FELIPE TEIDER

    Voces poderiam citar um exemplo em vídeo, de um cerco de Jericó ”correto’?

    - Se possível?

  • Gabriel

    O primeiro vídeo, meus caros, é na minha Arquidiocese. Na capital, inclusive, pertinho do senhor Arcebispo. Depois, quando digo que isso tudo virou mais circo do que ~cerco~, aí eu sou o intolerante, que não tem Jesus no coração, que tem que entender que “o que importa é o coração”. O pior é ver que as autoridades que têm o poder pra acabar com esta palhaçada não fazem nada. E pobres dos padres e leigos que queiram fazer alguma coisa… aí sim é que começa a perseguição. Não sou contra a RCC, nem contra o cerco. O que abomino é essa verdadeira profanação da Santa Missa. Pax!

  • Rafael

    “E a cruz se quebra”. PERFEITA analogia – literal, no caso – ao que sinto ao ver essas imagens. Tá aí o resultado disso tudo: promessas e mais promessas de ver tudo resolvido – como o discurso das protestantes – acho que a cruz fica de lado, acaba se quebrando…

  • Ruan

    Post melhor impossível; aqui na cidade não cheguei a ver algum cerco ou circo de Jérico, mas se a palhaçada que fizeram chegasse aqui eu me revoltava!

  • Rafael

    Só pra finalizar: a melhor adoração que já fiz não contava nem com luz elétrica para acontecer…

  • J. Williams Felix

    Isso só mostrar que algumas de nossas igrejas/paróquias estão se “protestanizando”. Toda essa algazarra diante do Sacrário como foi comentado no post só ofende a Cristo. São atos de diversão ao invés de adoração!

  • Estou horrorizado com tamanha idiotice. Nunca vi tanta bizarrice litúrgica na minha vida. Isso é um Circo de muito baixo nível.
    Que bando de jumentos! Cadê adoração? cadê contrição? Cadê conversão?
    Já vi muita profanação litúrgica e achava que não me escandalizaria com nada. Mas esses circos de jerico ai conseguiram me tirar do sério.

  • O melhor a se fazer é parar de achar que o “eu” precisa reinventar a Igreja, se todos assim fizessem, teríamos uma Igreja numa situação bem menos crítica.

  • Daniel Armenio

    Show hein… e essa semana (no sábado) acabou de começar o Cerco aqui na minha Paróquia… Vou participar (não, não farei teatro nem nada, só irei) pela primeira vez… Só espero que não aconteça nada desse tipo de coisa, e se acontecer, alguém vai ouvir.

  • Sidnei

    Se acontecesse isto durante uma missa, sem pestanejar, eu corro da Igreja. Que mania os católicos tem de imitar os evangélicos, até canções deles se tem mania de cantar dentro de nossas igrejas, até parece que não temos canções lindíssimas e ótimos autores, precisa ir buscar nas igrejas evangélicas?, quando há uma canção que eu sei que é de origem protestante, eu não canto, posso ser até intolerante, chato, o que quiserem, mas tenho meu orgulho (não um dos sete pecados capitais, mas o de acreditar que também temos canções e autores bons e ate melhores que os protestantes), de ser católico e de nós católicos promover o que temos de melhor na nossa Igreja. Coisas como estas, como de cantar canções protestantes na nossa Igreja e de fazer estas palhaçadas como estes circo de jerico, só rende comentário de protestantes o qual eu mesmo vi em um programa na RIT no Vejam Só, o qual os pastores comentavam entre si, que nós católicos sempre fomos contra os protestantes, mas hoje até cantamos as canções deles, só que isto não é ruim, porque por estas canções o povo católico vai começar a crer em Jesus e quem sabe virar evangélico, ou seja, ainda temo que escutar isto, é brincadeira?!. Só espero que nesta JMJ não tenha estas palhaçadas, porque se tiver, será uma mega circo e não um mega evento.

  • Lucas Rodrigues

    Olha, realmente fico muito triste com essa situação, profanação, desrespeito ao S.Sacramento, “quebraram a cruz meu!!!!!” idiotice de primeira, os ministros dançando e pulando, o padre ajudando a algazarra, isso é o Brasil, queria tanto que o Santo Padre distribuísse excomunhões para essa gentalha, eu fico triste, aqui na paróquia São João Batista no litoral norte de sampa também ocorre certos “erros” litúrgicos, acontece, mas são leves e as vezes imperceptíveis, mas essa aberração ai diante do Santíssimo, poupe-me!
    Heresia pouca é bobagem…

  • FELIPE TEIDER

    Ata Obrigadoo Catequista!

  • Ana

    o pior é que isso tem acontecido nas missas e adorações com shows, gritaria e lágrimas. Fora o povo que se joga no chão quando toca o santíssimo. O padre passa pelos fieis exorcizando impondo as mãos empurrando-as sobre as cabeças e ai daquele que não se jogar no chão… ele empurra a cabeça com mais força e ainda diz que tá dominado…
    triste triste

    • Cristiano Estolano

      Ana,

      Você tocou em um ponto interessante: NÃO SE DEVE TOCAR NO OSTENSÓRIO, nem esfregá-lo como se fosse a lâmpada mágica de Alladin! Quando isso ocorre (muitas vezes em adorações pela TV) eu fecho os olhos, viro pro outro lado, pois me tira do sério! Prefiro não olhar a perder todo o sentido do momento!

      A quem considera isso exagero, lembro o seguinte versículo: “O zelo de tua casa me consome” (Jo 2,17 – Sl 68,10)

  • Reinaldo

    Poderiam deixar ai no site qual é a posição da Santa Sé sobre o assunto Cerco de Jerícó e sobre esses vídeos que estão neste site (sobre os exageros ?) Melhor ouvir a posição da igreja sobre o assunto assim, seremos melhor orientados.

    • Reinaldo,
      Até onde sei, o Cerco de Jericó é uma devoção extra-oficial. Não conheço nenhum documento de Papas, Cardeais ou bispos citando o Cerco de Jericó (se algum leitor souber de algo, por favor, nos envie!). Como dissemos no post, essa ideia nasceu entre os protestantes, e nós a copiamos. Não há mal em fazer uma adaptação do Cerco, de acordo com o espírito católico e sem avacalhar a liturgia. Mas fazendo exatamente como os neopentecostais fazem, não dá.

      O absurdo da coisa está evidente por si, e não há necessidade de documentos. Mas se você quer ler um documento que prove que o que estamos falando aqui não se trata de uma opinião pessoal, mas de algo inerente ao Magistério da Igreja, basta ler a Carta Encíclica Ecclesia Eucaristia, de João Paulo II:
      http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_20030417_eccl-de-euch_po.html

      Nesse documento, o beato JP II fala sobre o sentido profundo da Missa e da Eucaristia. Ele deixa bem claro que a Missa é um “banquete sacrificial, assinalado com o sangue derramado no Gólgota.”. Então, diante do altar, que assume o lugar do Gólgota, fazemos a memória de que Jesus sofreu muito por amor a nós. Pense, então amigo: se é assim como o Papa diz, tem cabimento essa algazarra, essa folia de show de axé diante da Santa Eucaristia e do santo altar?

      Destaco mais um trecho desse documento:

      13. Em virtude da sua íntima relação com o sacrifício do Gólgota, a Eucaristia é sacrifício em sentido próprio, e não apenas em sentido genérico como se se tratasse simplesmente da oferta de Cristo aos fiéis para seu alimento espiritual. Com efeito, o dom do seu amor e da sua obediência até ao extremo de dar a vida (cf. Jo 10,17-18) é em primeiro lugar um dom a seu Pai. (…)

      Ao entregar à Igreja o seu sacrifício, Cristo quis também assumir o sacrifício espiritual da Igreja, chamada por sua vez a oferecer-se a si própria juntamente com o sacrifício de Cristo. Assim no-lo ensina o Concílio Vaticano II: « Pela participação no sacrifício eucarístico de Cristo, fonte e centro de toda a vida cristã, [os fiéis] oferecem a Deus a vítima divina e a si mesmos juntamente com ela ».(19)

  • Elvis Souza

    Ahh! O quanto esperei por este post.
    Mais uma vez sou grato aos melhores Catequistas do Brasil.

    Esplêndido! Magnífico! Por um bom tempo indaguei “Qual seria a forma acertada de se fazer um Cerco de Jericó?”. Aqui em minha paróquia, esses momentos ganhavam uma certa ”atenção” por parte dos membros ativos, em especial o padre. Chegado a hora de organizar, era sempre um corre pra cá, corre pra lá! Visando os menores detalhes. O triste, e ponto negativo, era a quantidade de enfeites, bancas reviradas, mesa-altar deslocado, etc. Sem contar os cantos mais ”carismáticos” possíveis. Outro detalhe, se dava na divisão dos grupos para os 7 dias. Cada grupo tinha o seu horário para realizar o seu momento diante de Jesus Eucarístico, o que ”subjetivamente” possibilitava as mais variadas formas de expressão abusivas ou não (o BOM era que o padre não permitia “oração em línguas”, Ô grória!). Apesar disso, quem sempre dava as coordenadas era o padre local.

    Mas, por outro lado, havia uma certa reverência e respeito em ”alguns” momentos, cito: Durante a Santa Missa, e só. Resumidamente o Cerco de Jericó aqui era, e ainda é, cheio de nuances. Precisa haver uma conscientização e formação no aspecto litúrgico e no sentido espiritual, visto que, sem dúvida, é um grande contributo para o alimento da nossa vida cristã.

    Mais uma vez Parabéns pelo post.
    Com júbilo em Cristo!
    Abração!

  • Regimario

    E quando a gente pensa que a neopentecostalização da Missa e da Liturgia não podia ficar pior do que está… Chamar essa gente de jumenta é ofensa ao pobre bicho!

  • Arthur Santana

    Na minha Paróquia é realizado todo mês o Cerco de Jericó, com Adoração 24h por dia, tem até um grupo (Guardiões do Santíssimo Sacramento) que se responsabilizam para que em momento algum o Santíssimo Sacramento deixe de ser adorado…

  • Ainda sobre a posição da Igreja a esse respeito… Acho importante colar aqui um comentário que o amigo Carlos, da Galicia, fez em um post anterior:

    “Vocês comentam as coisas parecendo protestantes, ou seja, tem que ter num documento. Gente, precisamos ter em mente que há uma tradição de 2000 anos, que claro que existem algumas adaptações, mas é preciso que o essencial esteja no centro de tudo. A Missa é o santo sacrificio do calvario, porém de forma incruenta como ensina a Santa Igreja, explica-nos o catecismo. Se tivermos isso em mente certamente deixaríamos de cometer na Missa tantos abusos liturgicos, tanta desobediência à Igreja…”

  • Meire

    Não sei porque esse povo não vai de vez para as igrejas protestantes. Realmente é de doer o coração.

    Pessoal, desculpe sair do tema desse post,mas gostaria de saber uma coisa: na paroquia que estou frequentando (casei e mudei de bairro) o Padre fez a Homilia sentado. É certo isso??

  • Gêneto eugenio

    Sinto no coração uma tristeza…
    .
    .
    .
    Não tive coragem de ver nenhum vídeo…
    Pude perceber através das palavras de quem viu, o erro.
    Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.
    Lucas 23:34

  • Johnny

    Que tristeza senti ao ver esses vídeos. Que falta de Respeito com Jesus Sacramentado.

    Vergonha alheia desses catocrentes.

  • Gente acontece tantas coisas em nossas vidas, e a pior delas é a nossa língua. Jesus sacramentado é Jesus, Vivo, onde ele envia seus discípulos a amarem aos seus inimigos e levar essa boa nova ao mundo inteiro. Quanto aos videos não vi nada que Jesus condenasse. Mas mesmo se houver ele implora ao Pai: ‘Meu pai eles não sabem o que fazem perdoa-os” Quanto ao Sr. Edir Macedo fui certa ocasião no maracanã. Lá sim, embora não houvesse cenas como as dos videos, mas o que vi foi explorar o povo. Tinha até arco ires, quanto mais pagassem para passar debaixo dele, mas os pecados seria perdoados. Depois veio sacos recolhendo, alianças, cordões, óculos e dinheiro. Foi uma limpeza total

    • Alci,
      O que a Igreja Católica condena, Jesus também condena. Afinal, o Espírito Santo é quem guia a Igreja.
      Leia o comentário que fizemos neste post como resposta para o Reinaldo. Dou a você a mesma dica que dei a ele: estude a Carta Encíclica Ecclesia Eucaristia, de João Paulo II. Não é possível ler essa carta e continuar achando esse tipo de abuso litúrgico tolerável.

      Então, você até pode não ter visto nada de mau, mas o que interessa é o que a Igreja acha, e não o que nós achamos. Pense nas missas de todos os papas em todos os tempos e lugares, e me diga se já foi feito uma palhaçada similar à mostrada nesses vídeos. Me diga se eles cercaram o Santíssimo de teatrinhos, fogos de artifício, explosão de chuva de prata, luz laser e fumaça de gelo seco.

  • Claudia Maria

    Parabéns pelo post! Eu sou fã de vocês. São por essas e outras que a Igreja brasileira fica conhecida internacionalmente pelas liturgias “de palhaços”,ou pelas palhaçadas liturgias. Olhem isso que saiu no blog de um padre nos EUA comentando as Missas durante a novena de N. Sra. Aparecida no Santuário de Aparecida.
    http://wdtprs.com/blog/2013/07/when-clowns-attack/
    Está na hora de nossos bispos agirem e colocarem ordem nisso!
    Um abraço a todos da equipe do OCatequista.

  • Fernanda Silva Rieger

    Realmente traz bons frutos! Já participei aqui na minha paróquia umas 3 vezes e é muito bom!!! Mas fica tranquila catequista aqui é tudo certinho viu! Nada desses abusos de liturgia, e é muito bom mesmo estar em adoração diante de Jesus sacramentado

  • MANOEL

    Amados de Deus, quero relatar que na minha paróquia se realiza o cerco de jericó que tem origem na polônia.São 7 dias e 7 noites em adoração ao santissimo sacramento com a reza do terço de nossa senhora.Nada de invenção.Nada de bizarrice.Nada de ofensas ao coração de Jesus.Nada de enfeites.Vamos ficar em oração pela nossa igreja.JESUS,EU CONFIO EM VÓS.

  • MaFê

    É impressão minha ou as trombetas do primeiro vídeo estão tocando o tema de introdução dos filmes da 20th Century Fox?
    Cada vez mais, eu sou, como diria uma amiga minha, da “Congregação Anti-Palmas pra Jesus”. Nossa Tradição é tão bonita… Não precisa estragar com muros de isopor…

  • Marcelo Rocha

    O verdadeiro Cerco de Jericó é algo de profunda comunhão com a Igreja de 2000 anos. Rezamos rosários, louvamos ao Senhor, lemos os Saltério, adoramos e nos entregamos a Ele. Rezamos pelo Papa, pelos bispos, pelas vocações sacerdotais e religiosas, pela JMJ, por famílias Santas, por leigos honestos e comprometidos com a vida e o evangelho, contra o aborto, pela cura, salvação e libertação dos presentes, pela Igreja, etc. Agora, toda essa parafernália é algo que não nos pertence. É uma pena que esse modo de fazer o cerco tem acontecido diante do Senhor. Mas, louvado seja Deus por esse post.

  • Infelizmente a busca do oba oba por parte de muitos, aliada à falta de critério,de zêlo, respeito ao sagrado tem produzido abusos em todos os âmbitos em minha igreja. Que pena, minha religião tão rica de valores ter tantos administradores tão mal formados em relação aos mesmos. Santa Maria mãe de Deus, intercedei pelos vossos filhos prediletos.
    Oséias, 4,6.´´ porque meu povo se perde por falta de conhecimento;“

  • João Nunes

    Sinceramente indignado com o protestantismo dentro da ICAR que tanto amo. Outro dia fui num batizado e o padre distribuiu a hóstia (que era naquele formato que aparece no filme Paixão de Cristo do Mel Gibson: um pão ázimo de cor escurecida) segundo o costume protestante, onde todos ficaram com o pão na mão e cearam de uma só vez. Existem ordens da Igreja quanto a essa prática?

  • Amo Minha Igreja

    Olá, senhor “ooooooocatequista”! Vejo o quanto a sua critica vã não leva ninguém a crescer na fé, mas na discórdia, fofoca, e julgar o outro pelo erro, e sem falar da perca de tempo no ficar procurando tudo isso para sempre ficar apontando o erro. Procure ajudar a Igreja em coisas que levam as pessoas ao encontro com Jesus Cristo, a quem provavelmente você e tantas pessoas que te apoiam conhecem apenas por papel ou palavras. Enquanto você está preso a documentos nossa Igreja vai se perdendo por falta de pessoas que vivam autenticamente a fé. Para de ficar procurando intrigas e causando elas dentro da sua própria Igreja. Procure publicar matérias que vão ajudar as pessoas a não serem preconceituosas, arrogantes, racistas e nem cristãos fossilizados.

  • katia

    Bom dia,ao ver este post parecia que eu estava no cerco da minha paróquia…é lamentável….2 fatos do cerco daqui:no ano retrasado no momento da comunhão “acidentalmente” uma mulher ao comungar derrubou o Sangue de Jesus em cima do Padre,pois que ele estava dando a comunhão,e consequentemente o Sangue tbém caiu no chão.E no ano passado Jesus Eucarístico tbém caiu das mãos de um ministro.Dois fatos que nos levam a pensar,pq?..ou para que?
    Nesta mesma próquia acontecem toda quinta feira a “missa do Santíssimo”….lindaaa….mas no final quando o padre passeia com Jesus no ostensório…é de lei: as pessoas TEMMM que cair….se não cair,ahhh a graça não aconteceu…infelizmente,muitos pensam assim….vou tbem nesta missa pela eucaristia,por JESUS…mas o teatro acontece pq o padre permite….e detalhe: muitas vz aconteceu do padre não poder realizar a tal missa e virem outros padres…O padre desce para dar uma rápida passeada com JESUS e detalhe: NINGUÉM CAI!!!!….pq será???????
    Enfim,BANALIZARAM A SANTA MISSA!!!
    Pe.Pio fala bem isso: JESUS FALOU A ELE COM TRISTEZA,MINHA CASA SE TORNOU CASA DE ENTRETENIMENTO….
    Para atrair fiéis eles permitem TUDOOO….
    Esta é a Igreja Católica no nosso Brasil!

    • Marjory Pereira

      Sobre essa estória de cair no chão pelo ação do Espírito Santo, tenho uma de “ESCOLASCAR”: o Bispo da minha diocese, Dom Armando, foi convidado a participar de um evento da RCC. Ele chegou sem ser notado pelos presentes que já estavam no ápice do louvor, orando em línguas e caindo no chão.
      O Bispo em pessoa se dirigiu a cada um e mandou a pessoa se levantar!Nem preciso dizer com que cara o povo se levantou.

      Paz e Bem!

  • Alberto

    Amados irmãos a paz de Jesus e o Amor de Maria!
    Concordo que não devemos fazer da santa liturgia da Missa um espetáculo. Como é dito para nós em Oséias o meu povo padece de conhecimento, pensemos e rezemos nesta palavra :D

  • Tariza Campos

    A paz! Participo da RCC há alguns anos e nas formações somos orientados a conhecer nossa igreja, conhecer a palavra e evitar excessos, exageros e situações semelhantes a essas.
    Deus nos olha com caridade, com bondade e com misericórdia; assim também podemos olhar para os outros semelhantes a nós.
    Não nos condenem pelo que alguns fazem ou pensam, li os comentários e era como se ouvisse: Crucifica-o! Não crucifiquem ninguém, orientem, eduquem, sejam luz como Jesus é luz!

    • A Paz, Tariza!

      Os membros da RCC foram os primeiros que me acolheram dentro da Igreja. Tenho grande afeição pela RCC, e muita gratidão. Não continuei na RCC por que Deus quis que, justamente na hora do grupo jovem da RCC da minha paróquia, eu tivesse que estudar, e parei de frequentar o grupo.

      Como qualquer movimento eclesial, entretanto, a RCC não é perfeita. Alguns aspectos podem estar sujeitos a críticas. Mas isso não invalida a grande importância desse carisma para o bem das almas.

      O grande problema é que muita gente vaidosa – em especial certos padres – usa a RCC como trampolim para se tornarem celebridades católicas. E aí, em vez de promoverem a liturgia católica, que é cheia de elegância, simplicidade e moderação, eles fazem um circo. Fazem show de entretenimento, porque assim acreditam que atrairão e cativarão as massas. Pra que? Pra evangelizar? Não! Pra satisfazer suas vaidades.

      Aí, já não é nem mais RCC – porque a RCC é católica, é apoiada pelos papas -, mas é movimento pentecostal, protestante mesmo, invadindo e maculando a Santa Igreja com suas palhaçadas. Imitam os protestantes nas piores coisas, nos “ritos” mais ridículos e descabidos. É quem sofre são as almas dos menos instruídos. Esses não merecem ser crucificados, mas bem que mereciam um bom puxão de orelha de seus bispos, para que parem de esculhambar a liturgia católica.

  • Pe Valdecir

    Obrigado pelas postagens. Estarei realizando o Primeiro Cerco de Jericó na Paróquia, já ouvi falar muito, mas não tinha conhecimento do que acontecia num cerco de Jericó, a primeira preocupação que tive, realmente, foi esta: não fazer do Cerco um Circo. Achei um absurdo o que vi em todos os vídeos. Certamente são pessoas que não sabem o que fazem. Que pena, isto apenas denigre a imagem da Igreja, do Cerco e de pessoas integras que organizam. Grato pelos alertas (vídeos), embora deprimente, mas que nos ensinam que tudo não deve ser entendido como teatro.

  • Larissa

    Eu to espantada com o padre quebrando aquela “muretinha” com a cruz,gente que coisa terrível os ministros pulando como se estivessem num show de rock com o Santíssimo exposto! Misericórdia.

  • Wesley Miranda

    Só gostaria que alguém me respondesse uma coisa… Por favor…
    Vamos concordar que é engraçado, me dá risadas e me deixa um pouco “estranhado” ao ver isso. Mas essa maluquice consta na tradição?

    • Não, não consta. O Cerco de Jericó, dizem, foi proposto pela 1a vez por João Paulo II, como sete dias de oração diante do Santíssimo, tudo muito sóbrio. Mas não tinha nada dessas palhaçadas de muro cenográfico e uscambáu.

  • Uilsedir Pessanha Campos

    Nestes dias está se realizando em minha Paróquia de São José em Bom Jesus do Itabapoana RJ um destes “cercos”. Como católico participo da Santa Missa e da Bênção do Santíssimo. Quando começam “as voltas” retiro-me pois não aceito ver o Santíssimo ser tocado por qualquer um. Afinal, para que existem os padres? No último dia, quando a “coreografia” excede os limites do tolerável, sequer vou à Igreja. Ainda bem que contamos em nossa Diocese de Campos com as Igrejas dos nossos irmãos tradicionalistas que celebram a liturgia como a Igreja sempre celebrou.

  • Leonardo

    Originalmente não era o cerco de jericó, 6 dias e 7 noites da reza do Santo rosário 24 horas por dia sem parar? Tenho um livro muito antigo aqui que diz isso e diz também que surgiu na polonia perto da data de posse do São João Paulo II.

    Também diz algo sobre Maria ter botado a mão aí no meio.

    Mas nada de analogias, a boa e velha oração do Terço!

    (Jesus caminha sobre as águas porque vai caminhar sobre os seus problemas… bah)

  • Egberto

    Acredito que as igrejas daqui do Nordeste conservem mais a tradição litúrgica, pois nas igrejas que já frequentei e frequento nunca vi essas palhaçadas.

  • Guilherme

    Como realizar o Cerco de Jericó de forma correta?

    Simples, rezando o terço diante do Santíssimo Sacramento.
    E o que mais? Nada.

    REDEMPTIONIS SACRAMENTUM

    [137.] A exposição da Santíssima Eucaristia seja feita sempre como se prescreve nos livros litúrgicos.[235] Além disso, não se exclua a reza do rosário, admirável «em sua simplicidade e em sua profundidade»,diante da eucarística encerrada no sacrário ou do santíssimo Sacramento exposto. Sem dúvida, especialmente quando se fez a exposição, evidencie-se o caráter, nesta oração, de contemplação dos mistérios da vida de Cristo Redentor e dos desígnios salvíficos do Pai onipotente, sobretudo utilizando leituras tiradas da sagrada Escritura. Sem dúvida, o santíssimo Sacramento nunca deve permanecer exposto sem suficiente vigilância, nem sequer por um tempo muito breve. Portanto, faça-se de tal forma que, em momentos determinados, sempre estejam presentes alguns fiéis, ao menos por turno.

    MANE NOBISCUM DOMINE(Carta Apostólica)

    18b-Que a adoração eucarística fora da Missa se torne, durante este ano, um compromisso especial para as diversas comunidades religiosas e paroquiais. Permaneçamos longamente prostrados diante de Jesus presente na Eucaristia, reparando com a nossa fé e o nosso amor as negligências, esquecimentos e até ultrajes que o nosso Salvador Se vê obrigado a suportar em tantas partes do mundo. Aprofundemos na adoração a nossa contemplação pessoal e comunitária, servindo-nos também de subsídios de oração baseados sempre na Palavra de Deus e na experiência de tantos místicos antigos e recentes. O próprio Rosário, visto no seu sentido profundo, bíblico e cristocêntrico, que recomendei na carta apostólica Rosarium Virginis Mariæ, poderá ser um caminho particularmente adaptado para a contemplação eucarística, actuada em companhia e na escola de Maria

Deixe uma resposta

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>